Glenn Greenwald sobre #VazaJato: muito em breve terá mais

“É incrível a disposição de altas autoridades para mentir sociopaticamente”, também disse Glenn Greenwald em entrevista a Amy Goodman, do DemocarcyNow!

 

Do Democracy Now!

“É incrível a disposição de altas autoridades para mentir sociopaticamente”, afirma Glenn Greenwald, a propósito do vídeo em que Moro nega seu envolvimento com a acusação.

Mais um trecho da entrevista que Amy Goodman, do DemocarcyNow!, fez hoje (12/6) com Glenn Greenwald do Intercept.

AMY GOODMAN: A Ordem dos Advogados do Brasil pediu que Moro seja suspenso e que todos os promotores envolvidos no escândalo sejam dispensados. No entanto, como você apontou, Bolsonaro fez dele um tipo de superministro da justiça, reunindo as funções de aplicação da lei, vigilância e investigação, que eram distribuídas entre vários ministérios, todos sob o cargo do superministro da justiça de Moro, fazendo dele, como você apontou, Glenn Greenwald, a segunda pessoa mais poderosa do Brasil agora. Então o que acontece?

GLENN GREENWALD: Então, é tão fascinante, Amy, porque a história me lembra muito da história de Snowden de muitas maneiras. Um modo, lembra-se, que a história de Snowden essencialmente começou quando Snowden ouviu James Clapper ir ao Senado e apenas olhar para eles e simplesmente mentir descaradamente, quando lhe perguntaram: “Você está coletando dados de milhões de americanos?”. Ele disse: “Não, senhor, não estamos fazendo isso. Não temos tal programa.” E foi chocante para Snowden ver alguém naquela posição tão sociopática, e foi isso que, no final das contas, levou Snowden a decidir, com a finalidade, “preciso mostrar a verdade”.

Esta é a mesma reação que eu tenho quando ouço o juiz Moro olhar para as câmeras e dizer: “Eu me irrito com a noção de que eu tenho qualquer envolvimento em uma acusação”, quando eu li todos esses documentos e conversas de anos que temos – muitos dos quais publicamos e continuaremos a publicar, mostrando que ele fez exatamente o que presunçosamente negava, olhando para a câmera com esse sorriso. É incrível, embora eu ache que não deveria ser, a disposição das pessoas nessas altas posições de autoridade para mentir sociopaticamente sobre o que eles fazem.

Leia também:  Advogados desmentem Moro: era "seco" e não ofereceu contato por Telegram

GLENN GREENWALD : Estamos trabalhando freneticamente para publicar o mais rápido que pudermos. Obviamente, já sabe, existe a vontade grande de ver mais, mas temos a responsabilidade, igual que fizemos com o caso de Snowden, de assegurar que o que publicarmos seja bem feito e de maneira profissional e precisa. Porque se cometemos um só erro, eles o usarão para sempre contra nós para socavar a credibilidade das reportagens. Mas, definitivamente vem mais, muito em breve.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. no programa de reinaldo azevedo na band, saiu mais uma do intercept denunciando luis fux…
    parte peguei do site do brasil de fato:
    “As conversas vazadas mostram que Dallagnol assumiu ao menos uma vez o papel de interlocutor entre Moro e Fux. Em uma das mensagens ao grupo de procuradores da Lava Jato, ele teria escrito: “Caros, conversei com Fux mais uma vez hoje. Reservado, claro. Ele disse que Teori [Zavascki] fez queda de braço com Moro e se queimou. Fux disse para contarmos com ele para o que precisarmos mais uma vez. Só faltou, como bom carioca, me chamar para ir à casa dele”.

    Dallagnol copiou a mesma mensagem, segundo o The Intercept, e encaminhou para Moro, que teria respondido: “Excelente, in Fux we trust [que, em português, significa: ‘No Fux nós confiamos'”.

  2. Não creio que Greenwald esteja pensando no que o ministério de justiça, polícia federal, a inteligência ou os donos de empresas privadas dos EUA pensam disso. Mas essa está sendo uma forma ótima deles se livrarem de Moro, Dallagnol e demais membros da Lava Jato, agora que já cumpriram suas missões, e mais, sem sujar as mãos, antes de que os deslumbrados brasileiros comecem a achar que são “amigos especiais” dos EUA.
    (***)
    Já Dallagnol não foi um bom cristão: aceitou a esmola em demasia que os EUA lhe prometeram – R$ 2,5 bilhões – sem desconfiar. Ali ficou claro que o pessoal dos EUA já estava a fim de se livrar do que, dado o golpe, passaria a ser estorvo.

  3. Ta muito lento hein…..
    Se ele mesmo diz que revelou menos de 1% e depois de tres dias nada apareceu, quantos anos irá demorar para mostrar tudo?
    Se existe muito material, deveria mostrar logo, e não o contrario,

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome