Internautas e entidades repudiam FakeNews de Bolsonaro sobre jornalista

"Quando um governante mobiliza parte significativa da população para agredir jornalistas e veículos, abala um dos pilares da democracia", disseram OAB e Abraji

Imagem divulgada nas redes pelo PT

Jornal GGN – O impacto e a repercussão das críticas de Jair Bolsonaro (PSL) pelo Twitter a uma repórter do Estadão, com base em uma declaração falsamente a ela atribuída, fez com que a hashtag #BolsonaroÉFakeNews estivesse entre as mais comentadas no dia de hoje no país.

O texto distorcido e com conteúdo manipulado sobre supostas declarações da jornalista Constança Rezende, do Estado de S.Paulo, por meio do blog Terça Livre, foi compartilhado pelo presidente Jair Bolsonaro.

O site atribuía à reporter uma declaração de que ela queria “arruinar” Flávio Bolsonaro, um dos filhos do presidente, com as reportagens sobre o relatório do Coaf de movimentações bancárias consideradas pelo órgão como “atípicas” por um assessor de Flávio, Fabrício Queiroz, que colocaram o filho do mandatário e toda a família de Bolsonaro também na mira das apurações.

Após a repercussão da mentira pelo mandatário, entidades como a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) divulgaram notas de repúdio sobre o ato do presidente. Ambas organizações afirmam que Bolsonaro está tentando intimidar o trabalho de jornalistas e, assim, promovendo um ataque à “imprensa livre e crítica”, o que é um dos pilares da democracia, apontaram a OAB e a Abraji.

“Isso mostra não apenas descompromisso com a veracidade dos fatos, o que em si já seria grave, mas também o uso de sua posição de poder para tentar intimidar veículos de mídia e jornalistas, uma atitude incompatível com seu discurso de defesa da liberdade de expressão”, acrescenta o texto das entidades.

Leia também:  Joice parte para o ataque e fala sobre rede da família Bolsonaro

Da mesma forma, emitiram o repúdio A Associação Nacional de Jornais (ANJ), a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) e a Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner): “ABERT, ANER e ANJ assinalam que a tentativa de produzir na imprensa a imagem de inimiga ignora o papel do jornalismo independente de acompanhar e fiscalizar os atos das autoridades públicas”.

Assim como as organizações, internautas de todo o país repudiaram a medida de Bolsonaro, publicando comentários com a hashtag #BolsonaroÉFakeNews, que atingiu o posto de trending topics.

“Bolsonaro será responsável por qq ameaça ou agressões q possa acontecer contra à repórter Constança Rezende. Após divulgar informação falsa o presidente lançou uma onda de ódio contra ela. Essa é uma atitude abominável d um presidente”, escreveu a deputada federal Margarida Salomão (PT-MG).

Para Ivan Valente (PSOL-SP), “a tentativa torpe de Bolsonaro de desviar o foco de Flávio com mentiras e ataque à imprensa só reforça a necessidade de uma investigação ágil e rigorosa sobre o caso. Até porque são conhecidas as desculpas esfarrapadas de Queiroz e o envolvimento da milícia #BolsonaroÉfakenews”.

“É grave um chefe de estado espalhar informações falsas – ainda mais quando isso envolve acusações descabidas, incentivando intimidações e linchamentos virtuais a jornalistas”, comentou a deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ).

Na nota, a OAB e a Abraji afirmaram que “quando um governante mobiliza parte significativa da população para agredir jornalistas e veículos, abala um dos pilares da democracia, a existência de uma imprensa livre e crítica”.

“Utilizam a tática da agressão e da disseminação de mentiras para buscar desqualificar os autores de notícias/reportagens críticas ao governo ou com denúncias contra integrantes do governo e aliados próximos, caso dos filhos do presidente que também têm vida pública, num flagrante desrespeito às instituições e regras democráticas”, também manifestou a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj).

6 comentários

  1. Este tal de presidente é um idiota. Ao invés de agir como presidente age como guri mimado do primário, quer se achar o bambambam………onde amarramos o bode.

  2. Quem, como presidente, divulga uma mentira…
    divulga uma vontade ou um pedido para que seus seguidores eliminem a vítima da mentira

    entre fanáticos, a eliminação é em todos os sentidos, incluindo da vida, ou exatamente como aconteceu com as vítimas de Hitler

    isso não é papel de um Presidente, mas sim de um perseguidor cruel, vingativo, mentiroso e implacável, que não se contenta com a conquista da Presidência

  3. Qdo até uma jornalista do Estadão é caluniada por esse governo tosco, é sinal q de fato, ele tem mto a esconder. O jogo já esta bem claro, o mercado…ora esse mercado de 7 ou 8 poderosos…., esta só aguardando a aprovação da previdência p/ dar um torpedo nesse frágil governo de tolos.

  4. OAB? ABRAJI?
    Seriam estas duas entidades fundadas agora? Onde elas estavam quando do golpe do impechment? Onde estavam quando da farsa da prisão do Lula? Que por sinal continua sequestrado sem que estas associações se pronunciem. Eles ajudaram a criar o monstro, agora que o embalem.

  5. Esse comportamento de publicar faknews em seu twitter de presidente não é um crime? Não é caso de pedido de impeachment por falta de decoro?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome