Karnal é criticado e perde seguidores ao postar foto com Sérgio Moro

Enviado por Mara L. Baraúna

Karnal é criticado e perde seguidores ao postar foto com Sérgio Moro

Da Revista Fórum

Historiador recebeu uma enxurrada de comentários negativos ao declarar amizade ao juiz, acusado de blindar membros do PSDB suspeitos de corrupção.

O historiador Leandro Karnal, um dos pensadores brasileiros mais populares da atualidade, foi duramente criticado por seus seguidores após postar uma foto ao lado do magistrado Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava-Jato.

 

“Dia intenso em Curitiba. Encerro com um jantar com dois bons amigos: juiz Furlan e juiz Sergio Moro. Talvez não faça sentido para alguns. O mundo não é linear. A noite e os vinhos foram ótimos. Amo ouvir gente inteligente. Discutimos possibilidades de projetos em comum”, escreveu na legenda da imagem em seu perfil no Facebook.

A publicação surpreendeu muitas pessoas, que chamaram a atenção para a parcialidade de Moro ao longo das investigações, acusado de blindar membros do PSDB suspeitos de corrupção. Alguns internautas, inclusive, ameaçaram deixar de curtir a página do historiador. “A isenção tem limite. Um dia a casa cai. Saudades da época que os intelectuais tinham alguns ideais próprios”, reclamou um deles.

karnal2

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

99 comentários

  1. Mais do mesmo
    É Karnal na melhor cia e projetando iniciativas; É Cortela palestrando e escrevendo s/ conceder crédito (a quem os mortos reclamariam?). Caem os últimos bastiões. Nos tornamos espectadores e espectros. Usados e cuspidos. Bofetadas diárias do mandatário liberaram toda a gente de qualquer pudor e de qualquer compromisso.

  2. Produtos de consumo para classe média ” ILUSTRADA “

    Karnal , Cortella , Pondé …….. como definir a atividade dessas pessoas , apesar de isso ser totalmente desnecessário ?

    Para além da rotina maçante das salas de aula , começam a sentir o gosto da vida com algum dinheiro e o prestigio social que advém das aparições na mídia . Suas palestras nada mais são do que uma colcha de retalhos , cheias de recortes de citações , de Shakespeare a São Tomás de Aquino , de Santo Agostinho a Zygmunt Baumann – mas de conteúdo vazio , como é óbvio , uma vez que jogam com a massa para se tornarem populares e continuar faturando alto com palestras .

    São pérolas acacianas desse tipo ” O mundo não é linear” , “A vida é complexa” , etc . Se amaciar mais um pouco , já pode dizer que as reformas do Temer são “absolutamente necessárias” , e compará-lo talvez a Churchill  – ” a vida é assim mesmo”

    De qualquer forma estão alguns degraus acima de Reinaldo Azevedo ,  sem toxidade. São produtos de consumo para umaclasse média que se pretende achar “ilustrada” .  

  3. Independentemente de agora,
    Independentemente de agora, que está na Vênus, e fazendo palestra na Abril, eu venho percebendo que o professor, vaidoso, gosta de holofote.

    Talvez por isso, tenha sido cooptado.

  4. NAO ME SURPREENDI

    Quando participou do rodaviva , Karnal deu uma naoresposta se foi ou nao golpe ,  posocionou se contra a escola sem partido mas omitiu o desmanche da USP , esta mais interessado na sua lucrativa vida de palestrante ,

    • É isso! Mesmo porque, como
      É isso! Mesmo porque, como ele mesmo diz, não tem rede social, apenas perfil.

      De repente, não que ele não possa, começou a escancarar sua vaidade. Ir à China, Tibete, tal , de primeira classe, vinho, gourmet…

      Pavão, comecei a reparar numa de suas aulas, quanto, falando sobre Shakespeare, prevaleceu o Eu (dele).

  5. Esse senhor

    nunca me enganou. Vive falando de ética, mas não passa de mais um hipócrita. Ele também não passa de mais um preconceituoso. Em uma de suas palestras citou o Lula como nove dedos.

     

     

  6. Uma semana com grandes

    Uma semana com grandes surubas

    Chico beijando a mão de Aécio que fuxica com Moro que se recusa a comê-lo.

    Chico Alencar abraçando Noblat que encanta a mulher do golpista traidor Temer que trepa na mula José Yunes .

    E pra finalizar….A bombástica relação Carnal do juizeco paranaense com um historiador. 

     

    • Calma Antonio,  deve tambem

      Calma Antonio,  deve tambem constar no projeto que o  proximo jantar será com o Bolsonaro.

  7. maioria dos midiáticos tem cérebro no bolso…

    só o dinheiro é capaz de substituir a justiça e a democracia por individualidades dessa espécie

    acredito que perceberam que o Moro não pode ser o todo “poderoso” sem certas partes

    lance é o seguinte:

    mídia cria o todo para que eles, os pensadores dessa espécie, percebam que para haver o todo não pode faltar qualquer parte

    golpe transformou o Brasil em um território de individualidades criadas pela mídia

  8. O poço não tem fundo. Mas
    O poço não tem fundo. Mas depois do vergonhoso beija-mão do Chico Alencar espero tudo.

  9. uma vez este Nickname quando era cadastrado escreveu…

    que Karnal era da escola de Márcia Tiburi e de Mário Sérgio Cortella (aquele que também está em todas, na mídia, revistas,  parece que não tem ou não precisa de mais tempo pra pensa, a vida é dinâmica). Não deixam de ser bons pro grande público que somos nós, leitores de blogs, escrevinhadores de blogs). Podem ver (especialmente em Tiburi e Cortella, os gestos sutilmente estudados , descontraídos, possuidores de uma sabedoria e livros que nunca iremos ler e confiamos). De qualquer maneira, acho que amizade, como amor, independem de simpatias na política (claro que há limites, mas isso é muito individual). Quando falei num deus da moda , Baumann, agora citado a três por quatro, era de se esperar zero ou 1 estrelinha…    🙂

  10. O juiz e o Historiador. Mas,

    O juiz e o Historiador. Mas, sabe?, prefiro o Carteiro e o Poeta. Apenas uma questão de sensibilidade. E de coerência.

  11. Mancadas

    Estamos na era das mancadas. Ou será do adesismo?  Humberto Costa criticando o PT na Veja, Chico Alencar se reunindo com a cúpula golpista e beijando a mão do “Mineirinho”. Agora Karnal  aderindo ao oposto de tudo o que dizia. Está tudo sendo dominado? Ou não é só a carne que é fraca?…

  12. “A noite e os vinhos foram

    “A noite e os vinhos foram ótimos.”

    ​Caramba! Depois das coercitivas, grampeamentos ilegais, torturas psicológicas…só faltava essa.

    Ao que tudo indica, Karnal foi vítima de um golpe(opa!) muito conhecido nas noites brasileiras, o “boa noite cinderela”.

    A turma de Curitiba sempre se superando. Bem! Pelo menos ele, o historiador, se lembra de tudo e diz que foi ótimo. Menos mal, as vítimas deste tipo de crime sempre se traumatizam. Deve ser a excepcionalidade da Lava Jato.

    ​Agora falando sério, ao que tudo indica, o historiador da prestigiada Unicamp deve estar, vamos dizer assim, bolando algum trabalho acadêmico sobre o momento atual. A presença do revisor, será ghost writer?, do déspota de Curitiba no agradável regabofe dá uma pista dos projetos em comum.

    Aparentemente,  aliás tem demonstrado isto, o juiz de primeira instância curitibano é meio tatibitati, muito longe da inteligência percebida por Karnal, daí que se cerca de amigos melhor dotados e, agora, ao contrário de Temer, começa a soltar sua cara metade para mandar recados a seus adversários políticos.

    ​Quanto ao mundo não linear, explica-se: Depois de uns goles de ótimos vinhos, quem nunca sentiu o mundo dar voltas? Eu costumo vê-lo de pernas pro ar, sou fraquinho, fraquinho para álcool.

     

  13. Seguidores

    Causa-se tanto espanto quem siga Olavo de Carvalho quanto a Leandro Karnal.

    Cada discurso conveniente a um ouvido pré-definido que, de todo modo, não deveria ser cativo.

  14. Vejo muitos comentarios

    Vejo muitos comentarios associando esse gesto ao de Chico Alencar. Menas, menas. Chico pisou na bola feio, sim, mas ele tem uma história de dedicacao às causas populares que o referido professor sequer sonhou ter. Nada a ver.

  15. Ninguém

    Ninguém vai fazer algumas perguntas ao Kara? Tipo de onde se conhecem tão bons amigos, ou quem os aproximou? E quais os possíveis projetos comuns examinados? (O juiz Moro não tem o suficiente para fazer, que tem tempo para fazer projetos e convidar o Karnal – aparentemente para sua própria casa) E quem é o outro juiz – também amigo – de onde? E o que fez o mundo do historiador/filósofo deixar de ser linear?

  16. Aparências

    Já desconfiava desse Karnal, algumas colocações, palestras, bôa vida, bandeirantes, conferêncista mediático, raso.

    Envelhecer deve nos tornar sábios, pois eu já tinha abandonado suas palestras. Nada de novo no ar.

  17. No aguardo antes de malhar.

    Mesmo que possa parecer ingenuidade,  prefiro dar tempo ao tempo. Quem sabe se não é a oportunidade sonhada para por um pouco de ética na cabecinha do Juiz.

    Antes de malhar, prefiro aguardar. 

  18. Prêmio

    Qual foi o prêmio do Karnal?

    O Moro pagou a boquinha no restaurante com o seu salário extrastosféricos?

    Raduam Nassar foi agraciado com o Prêmio Camões, e na cerimônia de entrega, não se entregou, não se vendeu perante ao bisonho Roberto Freire.

    Chamou todos de golpistas.

    Certas pessoas não conseguem lidar com um pouquinho de projeção.

    Já foi para o saco.

  19. Janta com quem quiser!…

    …  mas ñ precisa ir ao feicibúqui dar uma desculpa esfarrapada de “O mundo não é linear”… ai foi que pisou na bosta de cachorro!… E é bem possivel que esteja na folha de pagamento dos bons ermões do North tãobem (rsrs)

  20. Mais um vagabundo, esse daí,

    Mais um vagabundo, esse daí, porém, nunca teve minha admiração.

    Lambe botas de juizeco partidário..

  21. Uma possível explicação

    Eu tenho outra possível explicação, mais otimista. Sabe as tais bolhas da internet? Aquelas que fazem você só ter acesso aqueles que você concorda e só te enxergam aqueles que concordam contigo? Talvez ele queira apenas furar bolhas… Já que ele é bem ouvido por uma parcela da população ele queira ser ouvido também por outra parcela da população e talvez trazer algumas almas, hoje não pensantes, no futuro depois de escutar suas reflexões passe a ser uma alma pensante…

  22. Karnal e outros da mesma

    Karnal e outros da mesma confraria são pensadores ” pret a porter”, na onda das pensatas tipicas de classe media, a famosa

    filosofia de ” Seleções do Readers Digest”, uma revista americana que fazia a cabeça da então nascente classe media urbana brasileira dos anos do imediato pós guerra. Um conjunto de ideias-padrão, cada coisa no seu lugar, um mondo em ordem,

    tudo bem organizado e quem pensa fora desse gaveteiro é um bagunçeiro anarquista.

    Não confundir Karnal com Pondé, que tem substancia  mais ampla e visão mais profunda da vida e do mundo, Cortella é para um publico  mais simplorio, pregador de aldeia. Não são iguais, é um erro coloca-los no mesmo vagão.

    • Padronizar …

           Esse mundo é muito louco, essa tentativa de padronizar a forma de pensar da classe média me parece a infantilização da própria, acho incrível que a classe média não consiga ter uma reflexão do mundo atual apartir do conteúdo do ensino médio, a classe média não consegue entender o básico da história do século passado, o neocolonialismo, a primeira guerra, a superprodução do liberalismo da década de 20, a recessão e o keynesianismo da década de 30, etc …

         A classe média é incrivelmente ignorante, serve apenas para consumir livros de autoajuda e vangloriar pseudos-intelctuaís que depende de tuite para se projetar, sou de uma época em que intectuaís eram reconhecidos por seus livros e não por conta do àngulo da câmera, mas que no final; Karnal, Pondé, Cortella e outros estão sendo devorados por Bolsonaro, isso pq se o indivíduo, da classe média, não entende o ensino médio, eles irão entender o quê ?????

    • Pondé? Pondé??? Não fala
      Pondé? Pondé??? Não fala besteira, André. Nós te perdoamos pelo elogio a Mônica Baumgarten, mas uma hora a condescendência acaba.

    • O que eu detesto no Pondé é

      O que eu detesto no Pondé é ele ser neoliberal de carteirinha…. e também intelectualmente desonesto em seu discurso anti-esquerda.

      • É só isso que você não gosta
        É só isso que você não gosta no Pondé? Sabe citar alguma coisa útil que ele tenha falado, mesmo de direita?

  23. PUCRS lança pós-graduação com Ricardo Amorim, Karnal, Moro

    PUCRS lança pós-graduação com Ricardo Amorim, Leandro Karnal, Sérgio Moro e outros destaques

    Disciplinas podem ser cursadas presencialmente ou na modalidade online, ambas com certificação reconhecida pelo MEC

     10 jan, 2017 03h00

    Já imaginou ter aulas de finanças com Ricardo Amorim, o economista mais influente do Brasil, segundo a revista Forbes? Ou aulas de cultura financeira com Leandro Karnal, um dos mais importantes pensadores contemporâneos do Brasil? Ou ainda aulas de direito e crimes financeiros com Sérgio Moro, magistrado e professor, referência mundial no tema? Uma das mais prestigiadas universidades da América Latina, a PUCRS, trará esses e outros nomes de peso para um curso inédito de Pós-Graduação em Finanças, Investimentos e Banking em 2017.

    Irá se juntar a esse grupo de professores nomes como Daniel Godri e Clóvis de Barros Filho, reconhecidos entre os melhores palestrantes do Brasil, além dos autores de best-sellers em finanças Gustavo Cerbasi e Alexandre Assaf Neto, o escritor e comunicador Max Gehringer, o ex-diretor de assuntos internacionais do Banco Central Alexandre Schwartsman, uma das maiores referências em preparação para as certificações profissionais da ANBIMA Edgar Abreu, entre tantos outros. Confira aqui a relação completa de professores convidados.

    Outras personalidades ainda serão confirmadas até o início do curso. Cada um desses nomes participará de disciplinas diferentes. Daniel Godri, por exemplo, irá lecionar sobre “Vendas aplicadas a produtos e serviços financeiros”. As outras aulas envolvem temas como finanças comportamentais, gestão de pessoas, ética em finanças, liderança, planejamento financeiro, entre outros.

    Ao todo, serão 24 disciplinas distribuídas entre conhecimentos técnicos, humanos e de gestão. Com três encontros para cada uma, em todas haverá uma mescla entre professores de sólida formação acadêmica da PUCRS e professores convidados. A carga horária será de 366 horas-aula, o que envolve 14 meses para cursar as disciplinas e mais seis meses para desenvolver o Trabalho de Conclusão de Curso.

    O objetivo do curso é formar alunos multidisciplinares e altamente especializados em finanças, com poder para assumir posições de protagonismo nas instituições, seja como técnico, gestor ou empreendedor.

    Além da possibilidade de aprender e trocar experiências com nomes de grande importância em diferentes campos do conhecimento, um dos grandes diferenciais desse programa é que ele também pode ser cursado inteiramente na modalidade online. Para isso, equipes da área audiovisual da PUCRS, em parceria com a equipe da UOL educação, farão a gravação e edição dos encontros presenciais, disponibilizando na plataforma o conteúdo com qualidade de cinema.

    Independente da modalidade escolhida, todos os alunos receberão materiais complementares e serão submetidos a avaliações em todas as disciplinas. Para os alunos que optarem pela modalidade online, ao final do curso serão submetidos a uma prova presencial, que poderá ser feita em 40 cidades do Brasil incluindo todas as capitais. A apresentação do Trabalho de Conclusão do Curso também será presencial. O certificado é o mesmo para as duas modalidades.

    As matrículas nas duas modalidades são limitadas. Clique aqui para obter mais informações e garantir a sua vaga.

     

    PROFESSORES CONVIDADOS

    O quadro de professores pode sofrer alterações por causas diversas. Se um professor anunciado não puder participar do curso, o mesmo será substituído por outro professor.

    Samy Dana

    Professor e Comentarista de finanças

    PALESTRA INAUGURAL

    Ricardo Amorim

    Economista

    FINANÇAS COMPORTAMENTAIS

    Sergio Moro

    Magistrado e professor

    DIREITO E CRIMES FINANCEIROS

    Leandro Karnal

    Historiador brasileiro e professor

    CULTURA, POLÍTICA E PODER EM FINANÇAS

    Edgar Abreu

    Empresário, escritor e 
    especialista em certificações financeiras

    PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS

    Alexandre Assaf Neto

    Economista e escritor

    INVESTIMENTOS I (TEORIA)

    Gustavo Cerbasi

    Especialista em Inteligência Financeira

    PLANEJAMENTO FINANCEIRO E DE APOSENTADORIA

    Alexandre Schwartsman

    Economista e escritor

    SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL E MACROECONOMIA

    Clóvis de Barros Filho

    Doutor e Professor

    ÉTICA EM FINANÇAS

    Max Gehringer

    Administrador de empresas e escritor

    GESTÃO DE PESSOAS

    Daniel Godri

    Empresário, administrador e escritor

    VENDAS APLICADAS A PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS

    Luiz Felipe Pondé

    Filósofo e Colunista do Jornal Folha de São Paulo

    FILOSOFIA DO DINHEIRO

    Sergio Braga

    Administrador e Especialista em liderança

    LIDERANÇA

    Juliano Pinheiro

    Escritor e Profissional de Mercado de Capitais

    INVESTIMENTOS II (ALOCAÇÃO DE ATIVOS)

    Aquiles Mosca

    Economista, Mestre e Escritor

    GESTÃO DE RECURSOS DE TERCEIROS

    Aod Cunha de Moraes Junior

    Mestre e Doutor em Economia

    BANCO DE INVESTIMENTOS (ENGENHARIA FINANCEIRA, CRIAÇÃO DE PRODUTOS E IFS, M&A)

    Carlos Alberto Decotelli

    Economista e escritor

    TESOURARIA II – GESTÃO DE ATIVOS E PASSIVOS, SWAP, HEDGE E DERIVATIVOS

    Marcos Piangers

    Escritor e Comunicador

    MARKETING APLICADO A PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS

    Ivan Novello

    Gerente de comunicação e 
    marketing do Sicredi

    MARKETING APLICADO A PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS

    Walter Brum

    Especialista em vendas consultivas e treinamento de equipes

    GESTÃO COMERCIAL APLICADA A PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS

     

    • Amorim, Dana, Schwaertsman,

      Amorim, Dana, Schwaertsman, Karnal são do plantel da  GLOBONEWS, pensar pasteurizado do mainstream economico-politico, tudo dentro dos trilhos, ideologia neoliberal dos anos 90. a mesma que trava o Brasil com uma politica economica abaixo de mediocre. Amorim no seu livro ALEM DA CRISE acha que feitas as reformas a economia brasileira vai bombar, Schewartsman acha que os juros estão muito baixos, a solução é a Selic nas alturas, Dana dá lição do que vc deve fazer se ganhar 300 Reais de prsente do sogro, do grupo de ” especialistas em finanças pessoais” um time que dá aulas no nivel de pessoas que não sabem somar 3 + 4. Montar um curso com celebridades de TV parece ser um bom negocio.

       

      • De pleno acordo, André

        Nunca, jamais, em tempo algum postei ou compartilhei no meu perfil no Facebook nada sobre essa patota da auto-ajuda motivacional. Por que? Por uma questão de coerência. Por volta de 1995, o Banco do Brasil entrou nessa onda, e tudo começou nas reuniões institucionais das segundas-feiras, onde eram exibidos vídeos de palestrantes-picaretas. 

        Eram vídeos esmaecidos por serem cópia da cópia da cópia, ainda no formato VHS, o primeiro deles foi o picareta-mor, “professor” Marins, um verdadeiro chute no baixo ventre. Já tinha tido experiência semelhante em 1994, quando ainda morando em Araçatuba, minha mãe telefona e pede para acompanhá-la até a palestra de um japonês, no sábado de manhã. Era o tal do Shinyashiki. Foi um porre monumental, ali comecei a pegar ojeriza desse povo.

        Dez anos depois (julho/2004), já no Corporate, os famigerados encontros de trabalho semestrais. Era no confortável Bourbon, de Atibaia. Sexta-feira cedo, após o coffe break, topo 10p0, teria palestra dele. Entrei, dei as caras para todos me verem (cerca de 500-Corporate e Empresariais de todo SP), e à medida que todos forma se ajeitando, fui recuando de costas até chegar na entrada, quando fecharam as portas, pulei para fora e zarpei rumo ao elvador e me atirei na cama (tinha chegado às 5 da manhã da gandaia em Atibaia). Desci para o almoço, todos só falavam no tal cara, concordava com tudo. 

        No sábado á tarde, a última atividade seria com mais um palestrante (verdadeira praga do mundo corporativo), o tal de Nuno cobra Ribeiro. Não tive como fugir. Já são quase 17 horas, a luz baixa quase a um breu, entra uma música de fundo e surge ele lá detrás, no mais absoluto formato messiânico falando calmamente, microfone sem fio nas mãos, até chegar ao palco. E diz, em apenas 5 minutos, que sem ele Airton Sena não teria existido (todos são modestos), ensina técnicas de respiração, e por aí vaia picaretagem. 

        Na saída, as mulheres enxugam disfarçadamente os olhos e os homens estão profundamente impactados (ó deus!!). 

        ?A minha vida inteira abominei esse povo. Por uma questão de coerência, não frequentam meu perfil nas redes sociais, nem o boa praça, boa gente do Cortella (que também vi numa dessas palestras nas reuniões do BB). 

        PS.: Tenho pra mim que a virada do Karnal se deveu aum frio calculismo. Não há vantagem ($$$$$$) nenhuma ser identificado com a esquerda hoje no Brasil, e ele era, tanto assim que era execrado nas páginas da direita. Vai se dar (já deu) exatamente o contrário. Foi um cálculo, apenas um cálculo. A esquerda está dizimada, a direita está em plena e meteórica ascensão. 

        • Fernando J., também participei dessa história. . .

          Fernando J., também participei dessa história, todos os funcionários do Banco do Brasil de meados dos anos 90 que sobreviveram às demissões voluntárias , tiveram que sob os “incentivos” desses palestrantes trabalhar por três e se aposentar com cerca de metade do salário dos que se aposentaram antes do Plano Real.  Karnal não me engana, é mais um dos idólatras de Moro, o juiz parcial.

      • Tem um interessante vídeo com
        Tem um interessante vídeo com o professor falando sobre a vaidade…Pois é!
        Agora, wue o cara é preparado para caramba…

    • pucrs….

      Gostei da citação: “pensadores pret a porter”. Mas isto não é o Brasill? Estudiosos e pensadores, elite intelectual que remoem mais do mesmo? Mas convenhamos, se sair do trilho da esquerdopatia, cai nas unhas da Gestapo Ideológica. 

    • Putz!!!
      Só o Amorim é de dar engulhos! Mas vai bombardeio!!! Os incautos adoram estar próximos aos baluartes da casta dirigente. Vassalos do Grande Capital. Hoje a adesão é explícita mas a adoração vem de muito longe… Business as usual, that’s all.

    • 50 tons de cinza, mais escuros e obscuros em plena luz

      Então está explicado. Mas não justificado.

      Antes de saber por este comentário os bastidores do “Love Boat” universitário gourmet, ia dizer que estava surpresa mas não chocada – o intelectual comercial, e não público, não é o primeiro a tecer loas ao juiz de piso (Aragão, 2016), Ciro Gomes já o fez em entrevista. Ao tomar conhecimento do teor da postagem do FB, fiquei perplexa com a coragem de dizer que conversara com pessoas inteligentes, amigos… – o “amo” tão caricato e afetado talvez fosse efeito do vinho, quem sabe. A soberba de quem não é cabeleireiro mas ganha a vida fazendo cabeças por aí (desculpe pelo chiste, do nível da situação comentada) talvez induza a narcisicamente considerar interlocutores rentáveis como seus espelhos – desses que distorcem a imagem, no caso, para muito melhor.

      Mas o pior mesmo é o comentário-de-fim-de-noite-libidinal “a noite e os vinhos foram ótimos”!!!!!. “Love boat” versão terra firme e cara de pau desnecessária: negócios não justificariam tanta mesura e tanto “derramamento” (referência ao deputado federal Chico Alencar e à justificativa de seu escorregão admitido e com penitência paga), a não ser que houvesse mesmo afinidades que extrapolam diferenças, supostas antes e já sob severas dúvidas, éticas e de posição política. O problema dessas pessoas não é ser quem são, neodireita emplumada (tacanha e dissimulada), mas não o admitirem e se colocarem como paladinas daquilo que na verdade atacam, a honestidade, moral e intelectual, o uso da palavra para esclarecer e não para confundir, o “republicanismo”, a decência da carreira acadêmica, a busca de conhecimento como liberdade e ampliação da consciência e consequente ação responsável no mundo.

      Sem querer patrulhar a vida alheia, tornada pública e sujeita a comentários voluntariamente pelo intcom (intelectual comercial), o que incomoda na situação é a percepção de que este Golpe, de que o tal juiz é parte, ainda tem muita coisa a purgar no país, o que por outro lado é benéfico porque nos permite romper, se quisermos, com essa pervasiva promiscuidade, incoerência e desfaçatez genéticas na sociedade e nas instituições, o real motivo para que qualquer avanço civilizatório, incipiente mas transformador, seja afrontado pornograficamente por Fora Temer e suas camarilhas (a dos políticos e a arrebanhada na mídia e judiciário oligárquicos) sem que o povo se organize para se defender, provavelmente por não entender o que está acontecendo e qual seu papel/responsabilidade nessa história – o Carnaval foi lindo mas a indignação e a discussão, sóbrias, contundentes e efetivas, sobre os rumos da vida coletiva têm que ser uma fantasia catártica duradoura e realizável.

      Pelo menos a situação deve servir para causar inveja e ataques de raiva naquele outro “professor da UFSCAR”, colega de universidade pública (sim, são docentes de universidades públicas) e de bancada de Jornal da Cultura, que tanto bajulou o morcego de Curitiba e ficou de fora dos regabofes culinário e acadêmico – que vergonha, PUC-RS. Não é interessante a contradição aparente em juntar escribas da falácia contra a corrupção e articuladores do mercado financeiro? Como se este não fosse o veículo e o maior beneficiário daquela.

      Quem será o patrocinador? Lemann, Marinhos ou Koch Brothers, algum parceiro de Robert Mercer – o homem por trás de Trump e seu “ghost thinker”, Steve Bannonn –, quem sabe a polpuda comissão, que não é corrupção (?!) …, paga aos envolvidos na recuperação de dinheiro da Lava Jato? Esses aí até dá pra entender, pra eles é a alma do negócio, ganhar corações (com muito ódio e baba) e mentes (que saibam atender ao chamado amarelo das ruas globais), mas como explicar aos milhões que compram, com o bolso e a convicção, as idéias desses “professores”? “Esqueçam o que eu escrevi e falei?”; têm razão em se sentirem traídos pela propaganda enganosa, se o forem mesmo. Que a situação suscite mais que reações momentâneas de inconformismo ou “eu nunca me enganei” e seja parte da discussão sobre a necessidade incontornável da reforma regulatória e democrática dos meios de comunicação de massa, cuja máquina publicitária vive de gerar engodos bem engomados e de interditar o debate plural e substantivo, para ficar no mínimo. Essa lógica mercadológica da cultura e da circulação das idéias – meios de comunicação, meio editorial e acadêmico, “cursos” de filosofia stand-up ou sit-down_shut-up_and_repeat-after-me, redes sociais eletrônicas –, naturalmente não tem permitido, e provavelmente não permitirá, que o escrutínio de agora sobre os limites entre a vida privada e a responsabilidade pública, a necessidade de transparência que não se confunde com propaganda, seja feito sem melindres, o que nos teria poupado da cena e sua descrição constrangedora e patética, e marketeiramente lucrativa. (Hmm↔trolóló↔tintin↔smack↔plimplim↔clapclap↔flash↔selfie↔likes↔dindin↔kkk↔pow↔arghhhh↔retweet↔flash↔

      dindin↔hmm↔trolóló↔tintin↔urghhhhhh……..) .

      Ah, e obviamente a postagem não foi ingênua de não prever essas reações, antes, contava com elas para atrair atenção e platéia: preparemo-nos para vários sermões e palestras, e posts e tweets e vídeos do YouTube para compartilhar no Whatsapp (sim, quem nunca recebeu e compartilhou coisas “edificantes” e “inteligentes” e “reconfortantes” que atire a primeira pedra), com muitas referências cruzadas, discussão sobre “intelectuais” clássicos e suas “amizades gregas”, a intolerância da esquerda, o patrulhamento ideológico, a estreiteza de visão de pobres mortais (que não tem bibliografia e Lattes e mais o que fazer), o farisaísmo tosco dos críticos de internet que não tem dinheiro para pagar terapia e o fazem no esgoto das redes, a sublimidade dos afetos, ufa, a lista de temas é infindável para quem vive de “problematizar” a vida (com a “solucionática” menos divertida e criativa que a do Dadá Maravilha), multiplicar e publicar discursos sobre o tudo e o nada, capitalizar o pensamento e a retórica … (ok, eu falo abobrinhas hiperbólicas, e divulgo, mas não ganho por/pra isso,o que deve ser uma atenuante considerável).

      É a Universidade Mackenzie em São Paulo recebendo Bolsonaro, que foi desconvidado pela Hebraica de São Paulo e reconvidado pela do Rio de Janeiro, conceituada universidade como a PUC de um estado politicamente polarizado e politizado como o Rio Grande do Sul promovendo um banquete subacadêmico de alguns dos setores responsáveis pelo Golpe (judiciário e mercado financeiro) – o uniforme dos alunos será a camisa da seleção?, um cidadão sem notório saber jurídico e polêmica carreira acadêmica e política referendado para o STF, a Uerj falida e abandonada,a reitora eleita democraticamente na Unifesp barrada pelo governo golpista-misógino-antivoto: se nos lugares onde as pessoas deveriam promover conhecimento crítico sobre a realidade e ações correspondentes a situação é essa, o que esperar ou exigir da população sem emprego, informação honesta, rede de relações, poder efetivo, capacidade de articulação social, esperança? Que pelo menos pare de gastar o parco dinheiro com falsos profetas e produtos falsificados, trave a roda do moinho que a explora. 

      SP, 11/03/2017 – 23:16

       

       

       

       

       

       

       

       

       

    • Esse curso será

      uma torrente de emoções porque com tantas disciplinas e objetivos difusos será impossível fechar algo aproveitável, kkkk.

      Um perfeito caça níquel a exemplo de muitos MBA por aí..

      A PUC RS em comparação a URFGS e outras universidades federais no Rio Grande do Sul sempre esteve dois ou mais degraus abaixo.

  24. o mundo não é linear

    Karnal tem razão: o mundo não é linear. Faltou a ressalva: exceto em matéria de dinheiro.

    Os dois darão aulas em curso na PUC,

    Pela foto, o encontro foi na casa de Moro. Vide os livros ao fundo e o intrumento ao fundo. O terceiro presente provavelmente estava lá para tentar amenizar o choque dos leitores ante um encontro dos dois apenas, pois Karnal sequer citou seu prenome, ao contrário de Moro. peovavelmente não era “amigo”.

    É impressão minha ou o Karnal está com um sorriso amarelo, ante uma fotografia possivelmente inesperada (e certamente com intuitos propagandísticos)?  Leio a frase sobre mundo não-linear como tentativa de justificar o que ele  mesmo considera  injustificável no quadro atual?

    Karnal teria pedido um encontro em ambiente privado. para se resguardar. e sido surpreendido pela foto (possivelmente feita pela esposa  de Moro – contra o que ele não poderia se opor, em nome das boas maneiras)?

    Karnal tem luz própria. Tenho diificuldade em aceitar que ela tenha aceito virar simples claquete do Moro.  Mas o mundo não é linear…

  25. Eu não acredito nisso  !!!!

    Eu não acredito nisso  !!!!  pelo amor de Deus, vai sobrar quem ? até tu, Karnal ? que decepção !!! 

    Tem coisa que não se pode crer. O Karnal ao lado desse troglodita do direito torto do brasil é o fim do mundo. Quer dizer que toda aquela pose de intelecto culto, provido de um ambasamento ético, sendo espelido com uma retórica fina, foi só conversa fiada?

    Se há uma coisa que acho ter custado muito aos progressistas nestes ultimos doze quinze anos para ser perdoado é a traiçao. Ela acaba com qualquer possiblidade de construçao de uma relaçoa sadia, tanto entre pessoas, como no meio social. E nessa de traiçao nós da esquerda estamos cada vez mais decepcionados com os que julgávamosmos ser progressistas. De heloisa helena a marta suplicy,  de cristóvão buarque a rodrigo janot, o Pt sofreu muito com esse pecado mortal praticado em favor dessa gemte podre que comanda  o brasil via  globo e judiciário. Agora vem esse Karnal com mais essa imundicie ao lado dele para provar mais uma vez que a traiççao nesses tempos sombrios não quer acabar de jeito nenhum. Que pena! mais um para ser jogado no lixão da história.

  26. E se postasse assim: encontrei um amigo , fiz vários questioname

    questionamentos,e  levantei muitas dúvidas sobre seus procedimentos e decisões. 

    Moro foi feito e é pago para ferrar o cidadão comum , manter o status quo das injustiças sociais e blindar os Gangsters que tomaram de assalto o poder.

    Tem a grande tarefa de enfeitiçar incaltos em conchavo com a Grande Mídia manipuladora. 

  27. Esta foto não é inocente,
    Esta foto não é inocente, todo mundo sabe que o torquemada do Paraná é extremamente tosco quando abre a boca. Precisa ter um aval de alguem inteligente e famoso. Quanto ao historiador, professor de fala politicamente correta, não é a toa que foi contratado pelo reacionário Grupo Bandeirantes, com as coluninhas do “Sem cabelo do Saber” ,mais presunção impossível!!!!

  28. Pô! Um golpista explícito

    Pô! Um golpista explícito desde que começou a aparecer e teve mané que entrou na dêle? Por isso que o país não vai prá frente! Só tem mané!

  29. Por que tanta indignacao por

    Por que tanta indignacao por um esquerdista com Karnal ter ser encontrado com um liberal/conservador como o juiz Sergio Moro.

    Afinal, os esquerdistas petistas Haddad e Lula se encontraram com o ultra direitista Paulo Maluf num rega bofe na Rua Costa Rica e ninguem ficou achando que os petistas eram vendicos. 

    O mundo nao eh linear.

  30. Faz todo sentido : Na sua

    Faz todo sentido : Na sua condição de ser humano carnal você está sujeito ao ERRO, e provou isso da pior maneira possível. A partir de agora, seus monólogos são dignos do LIXO.

  31. Qual o alcance dessas intelectualidades hodiernas?

    Sempre tive certo ceticismo a certas intelectualidades dos dias atuais, que foram forjados a fenômenos editoriais para, então, se transformarem, de chofre, em celebridades. Nomes como professores Karnal, Pondé, Eduardo Giannetti, Mario S. Cortella, a despeito das dIferenças, fazem parte desse circuito. Penso que esses não tem compromisso nenhum com obras de longo alcance, como as dos demiurgos clássicos (Joaquim Nabuco, Freyre, Antônio Candido, SBH, Celso Furtado, Caio Prado, Darcy), mas buscam reflexões para respostas imediatas para um momento específico, nada mais.

     

     

  32. Vadio Karnal
    Bomba!

    Mundo Acadêmico Sacudido Por Explosão!

    Professor Adúltero é Flagrado Traindo seu Público Cativo!

    Professor Leandro Karnal janta com o Juiz Sérgio Moro, anuncia noivado intelectual e deixa turma da Esquerda estupefacta!.

    O mundo acadêmico acordou neste sábado sacudido pelo anúncio do professor da UNICAMP, Leandro Karnal, de que ele e o juiz Sérgio Moro estão intelectualmente noivos.

    Os “cônjuges” traídos, para minorar os efeitos da traição, já até anunciaram que o Professor nem intelectual é, como se uma pessoa traída dissesse que “já nem amava mais o traidor”, buscando o alívio do vexame.

    Tentando entender o sucedido, este Vogal Amoroso levanta duas hipóteses para a aproximação do Professor ao Juiz:

    1 – Leandro Karnal, um dos maiores formadores de opinião do Brasil da atualidade, aproxima-se do juiz para tentar corrigir-lhe alguns vícios de conduta por sua falta de isenção, trazendo-o para a verdadeira importância de se combater a corrupção, numa sociedade totalmente corrompida, mas sem preferências partidárias explicitadas, como faz o Juiz. (corno manso)

    2 – Leandro Karnal, tido por muitos como alguém que não desce do muro e não toma partido, apesar de seus discursos politicamente sempre corretos, vislumbrou os holofotes da Globo como possibilidade de aumentar-lhe a exposição, substituindo Arnaldo Jabour em inserções diárias no Jornal Nacional, porque, afinal, intelectuais também possuem caráter, bom ou mau. (corno bravo)

    Se a segunda hipótese se confirmar, este do Amor Vogal, se declara korno intelectual de Leandro Karnal.

    A ver.

    https://www.youtube.com/watch?v=W05IC7Zjod0

  33. A polemização do nada por toda parte do espectro ideológico

    Nassif,

    Estou acompanhando essa “polémica” sobre o jantar de Leandro Karnal e Moro. Me supriendi negativamengte com isso, como todos os que comungam com a ala progressita, mas acho um exagero considerar Karnal como alguém que aderiu ou sucumbiu à globo ou à mídia.

    Ele sempre foi da mídia, assim como Cortella, Clovis Filho e Pondé. Karnal tem milhares de seguidores e grande partes deles não são de esquerda, são pessoas comuns que gostam de ver seu posicionamento em relação a vários temas da atualidade.

    Vejo isso, até, com bons olhos pois ele vai atingir outros públicos e levar um pouco de racionalidade para os fanáticos seguidores da República de Curitiba.

    E melhor ver Karnal, Pondé, Cortella e Clovis Filho dominarem os debates nas redes sociais do que Bolsonaros, MBLs, Marcelos Reis, Joyces e outras figuras pitorescas do nosso carnaval ideológico despejando suas teorias de conspiração e aberrações intelectuais.

    Então vejo que esta polémica é vazia, a “adesão” de Karnal a Moro não mudará o curso da história, assim como a “adesão” de Moro a Karnal também não, mas – como disse acima – Karnal vai atingir um público diferente daquele que está acostumado a pensar de forma relativista. Espero que dê um choque de realidade e racionalidade nesse público acostumado a receber opiniões e ideias já mastigadas, filtradas, acabadas e finalizadas (entretanto admito que isso seria utopia demais da minha parte).

     

    Grato.

  34. Em prantos
    Desabafo!

    Perto de Casa, Na Mesa de Um Bar, Atrapalhando o Garçom!

    Vadio Karnal,

    gostava de ti/
    de tua erudição/
    de tua sapiência/
    de tuas declaradas boas razões politicamente perfeitas/
    de tua articulação brilhante/
    de tua segurança morfológica/
    de teu gênio vocabular…

    Mas tu me deixastes e fostes aos braços morais…

    Sendo eu um Moraes também, sniff, Karnal…

    Agora sou só dor…

    um pranto a eivar…

    Gostava de ti, Karnal!

    Este Amor Vogal declara-se, de ti, um Korno Intelectual, ó,
    Vadio Karnal!

  35. Faz todo sentido : Na sua

    Faz todo sentido : Na sua condição de ser humano carnal você está sujeito ao ERRO, e provou isso da pior maneira possível. A partir de agora, seus monólogos são dignos do LIXO.

  36. Como contraponto, Chauí, Chomsky e Howard Zinn

    Pessoal, para cortar a ressaca sugiro aos colegas as seguintes leituras (ou re-leituras se for o caso) que tem muito a ver, acho, com o assunto desta postagem:

    1) Howard Zinn – “Você não pode ser neutro em um trem em movimento” (em português editado pela L-DOPA publicações) Um livro fantástico, desses de estar sempre na cabeceira na cama. Esse papo de ser neutro, de centro, é conversa mole.

    2) Noam Chomsky – “A responsabilidade dos intelectuais” (em português no livro O Poder Americano e os Novos Mandarins, editado pela Record). Chomsky escreveu este artigo em 1966, quando tinha 38 anos. Há pouco foi o principal personagem do documentário Requiem for the American Dream. Chomsky dispensa comentários. 

    3) Marilena Chauí – “Simulacro de poder: uma análise da mídia” (editado pela fundação Perseu Abramo). Ler esse pequeno (porém enorme no conteúdo) livro ajuda a entender os porquês dos Karnais serem tão midiáticos. Dona Chauí sabe das coisas, intelectual com vários IIIIs maiúsculos.

    Não acho o Karnal ruim – ele tem um bom livro sobre a história dos EUA e inegavelmente tem uma boa erudição. Mas é um produto da sociedade do espetáculo. E ele não é colunista do estadão e do jornal da cultura à toa. Suas posições ambíguas no ano passado sobre o golpe mostram isso. Ele desnudou o seu lado e isso é bom. Nesse ponto o Pondé é mais honesto.

    Chauí, Chomsky, Zinn vamos reler pessoal.

    E todo mundo dia 15 nas ruas.

    Bom domingo a todos.

  37. Pegou…

    Creio que afirmar algumas verdades universais em palestras motivacionais, pode não ser a atividade mais complexa do mundo, mas ninguém adquire público junto a empresas, ou vira um professor da UNICAMP sendo um medíocre. Fica claro então, que o encontro não transforma em mentiras, certas verdades que o Karnal fala em seus vídeos, mas a vida é feita de escolhas e ninguém se deixa fotografar com o Moro sem algum tipo de interesse e cooptação. Não é possível que ele não saiba que executou um gesto político e de divisão de seu público. Então ele escolheu o lado dele, e eu, mesmo sabendo que sou muito pequeno para arranhar a estabilidade desse “professor”, particularmente passo a lutar para que o inferno o cerque e queime.
    Será que o Chico Alencar já está fazendo “escola”?
    Acredito que gestos políticos podem e devem ser criticados, então eu o critico. Karnal deveria perceber que a credibilidade de suas falas, se valoriza quando foge dos políticos e da política tradicional. Ele não deveria ter encontros com Moro, Lula, Temer ou qualquer político.
    E lembro a todos, que Moro é um juiz que funciona como político sem mandato, claramente usa seu cargo PÚBLICO a serviço de um partido político.

    • Sérgio

      Bom ver vc novamente em ação. Aliás ontem mesmo, eu e uma amiga estávamos falando s/ o Karnal, embora raramente eu o assista. Não gosto de palestras motivacionais, que muitas vezes não passam de uma “elegante” lavagem cerebral.Apenas isso, nada contra ele, já que não o assisto.

      Tb não gosto de certos termos que viram moda, como , meritocracia ,  que já está cansando, embora a maioria ainda não tenha entendido seu significado. E agora, nosso governo golpista, que quer pq quer enfiar em nossas cabeças que as reformas em andamento significam MODERNIDADE, e não um retrocesso.

      Quanto ao moro, só repetindo :”diga-me com quem andas”…..

      Um grande abraço e bom Domingo.

      • Lenita:

        Lenita:

        A pretendida meritocracia é na verdade titulocracia. Veja que o morolista afirma que o advogado deve aceitar suas decisões, não porque são justas ou bem fundamentadas, mas porque ele, moro, “estudou pra valer” e passou num concurso (acrescento eu, concurso tipo aquela corda bamba empregada em Liliput para escolher funcionários públicos).

        Quem tem mérito real não teme a chegada de novos competidores, novos companheiros com mérito. Mérito é tão raro que quanto mais aparecer, melhor para o grupo restrito que tem mérito comprovado por obras e ações, e não por títulos (alcançados, ganhados, comprados ou fraudados).

        E os títulos no Brasil são hereditários: “eu sou um inútil, mas meu pai tem privilégios, então a socidade deve me conceder também esses privilégios”. Conversa de aleijado-fingido, ou privileijado. Conversa de classe média de 40 anos que ainda vive com os pais funcionários públicos.

  38. Wilson Ramos Filho : Karnal, Moro e o ódio.

    Durmo tarde. Espiei o feice e me surpreendeu o grande número de amigos que compartilhavam a foto do Karnal com o Moro, geralmente acompanhados de curtas lamúrias a indicar decepções diversas.

    Acordei e, espiando novamente, entrou-me um desassossego. Pela manhã contavam-se às dezenas tais postagens. Curioso – quem mandou? – me detive nos comentários dos amigos dos meus amigos.

    Se é certo que “a cadela do fascismo está sempre no cio” (frase atribuída a Brecht) seu alimento é um tipo peculiar de ódio que não deriva de uma opção racional. Antes, da ausência dela, da irreflexão, algo visceral, profundo e violento.
    Já fui objeto da atenção dessa gente em algumas oportunidades, por conseguir a façanha de episodicamente personificar, encarnar, aquilo que os fascistas odeiam difusamente. Mais recentemente, quando da divulgação do Manifesto pedindo a Lula que lance desde logo sua candidatura para 2018, nossa família sofreu ataques de reputados centros de difusão do ideário da Direita. Em todas as oportunidades o ataque inicial se apresenta de modo até, digamos, ameno. A violência se descortina nos comentários ao ataque inicial. Ali, nos comentários, se revela aquele ódio a que aludi acima. Tenho ciência de que muitos daquelas agressões provém de “perfis falsos” ou de “robôs” ou coisa que os valha. Outros, contudo, foram de pessoas reais, que odeiam, odeiam, ponto.

    O desassossego hoje decorre da constatação de que aquele ódio (presente em muitos trânsfugas que se aboletaram em partidos irrelevantes eleitoralmente) contaminou muitos amigos dos meus amigos, contra Karnal (um marqueteiro da auto-ajuda empacotada em aparente erudição) e contra seu “parceiro em projetos futuros”.

    Não me causou espanto que um militante anticomunista pequeno-burguês tenha escolhido jantar com quem admira camisas negras. Combinam. Se algo me surpreendeu foi a confissão de que sabia das consequências que a divulgação da foto teria nas redes sociais. Um arguto companheiro observou que a frase “talvez não faça sentido para alguns” é invariavelmente um excepcional resumo do antigo “sei a cagada absurda que isto é”. Mas o mais importante foi o premeditado anúncio de “projetos futuros” entre ambos.

    A Lei Orgânica da Magistratura – LOMAM traz restrições bastante severas à participação de juízes em atividades políticas e empresariais. O TRF-4 e o supremo (cada vez mais em minúsculas), todavia, parecem coonestar com uma “resignificação” daquilo que – antes do Golpe de Estado em 2016 – regia a decência e a austeridade desejável em magistrados.

    Muito mais grave do que as companhias, no acidente que vitimou Teori Zavaski, era a escanalosa carona de um Ministro do supremo em um avião particular de um empresário, mas isso foi banalizado, tanto quanto os “projetos futuros” dos dois marqueteiros que jantaram e tiveram “conversas inteligentes”. Perderam a noção. A Direita perdeu qualquer freio ou pudor de se assumir como verdadeiramente é, como sempre foi.
    Em tempos de capitalismo descomplexado (que empurra, assumidamente, retrocessos sociais inauditos, destruindo direitos previdenciários e trabalhistas) a Direita concursada legitima todas as ilegais perseguições a Lula e à Esquerda e a Direita política comemora.

    Não, um juiz não pode andar em jatinho de jurisdicionado, não pode frequentar eventos e tirar fotos com próceres do golpismo. Não, não pode anunciar de modo cabotino “projetos futuros” com quem quer que seja. Se age assim não pode ser juiz. Não com esta legislação atualmente em vigor. Mas quem se importa agora depois do Golpe, agora que o Direito morreu?

    Ou abramos a discussão sobre o fim dos privilégios da magistratura. Vamos falar claramente sobre o fim da vitaliciedade? Vamos falar em eleições para juízes submetidos a “recall”? Se é para fazer política trajando toga, por que não? Vamos falar em mandatos de 3 anos, sem direito a recondução, no supremo?

    As inadequadas e reincidentes atitudes marqueteiras dos que urdiram “projetos futuros” entre beliscadelas em acepipes seguramente são menos preocupantes que a premeditada divulgação do encontro (às vésperas do 3 de maio) e que a tentativa de impor a narrativa acaciana do “mundo não é linear”. Jaboti não sobe em árvore. Se está ali foi porque, deliberadamente, alguém decidiu “causar”.

    Não obstante, não me sinto confortável com boa parte dos comentários com ódio dos amigos dos meus amigos sob a forma de “decepções” ou de “esse nunca me enganou”.

    Não somos como eles, não sirvamos o alimento para fascistas cadelas no cio. Não nos transformemos em uma delas.

     

  39. Quando a ingenuidade é impossível.

    Existem momentos onde a ingenuidade não é possível. Após a entrevista da esposa de Moro na Globo, depois da esposa de Moro entrar na lava-jato , defendendo-o da acusação de violar os direitos de Lula.  Ela está quase eclipsando ( se é que é preciso) Marcela. Moro continua processos e os movimenta e condena com um grande timing midiático. Mantém um óbvio processo absurdo contra Lula apesar de 68 testemunhas, porque este processo é uma forma de campanha eleitoral. Moro é obviamente o candidato futuro da mídia, que agora não se importa em queimar Temer, ou mesmo algumas figuras do PSDB. Estão obviamente cozinhando o galo e mantendo Moro em evidência.

    E agora, neste momento vazam ( aliás é o que mais sabem fazer ) midiaticamente as fotos com Karnal. Mas Karnal, não foi pego de surpresa, nem ao acaso.  Karnal de livre e espontânea vontade vazou as fotos e ainda fez um elogia à inteligência de alguém que continua um processo sobre a propriedade de um triplex, pedalinhos . Apenas ao ler os autos e ou as condenações de Moro, se sabe que não são palavras inteligentes, são apenas poder  e o seu uso. São  apenas palavras para serem usadas na mídia e no ódio, mas não por inteligência apenas porque pode. 

    Mas Karnal esta se tornando mais do que uma mariposa,  em busca dos holofotes, Karnal está se suicidando ao afirmar que isto é ser não linear. Será que  Karnal não entende o que é linearidade, ou será que não entende que este caos é fruto da não linearidade. Duvido, neste caso a ingenuidade é impossível.  

  40. Classe média …

         Esse mundo é muito louco, essa tentativa de padronizar a forma de pensar da classe média me parece a infantilização da própria, acho incrível que a classe média não consiga ter uma reflexão do mundo atual apartir do conteúdo do ensino médio, a classe média não consegue entender o básico da história do século passado, o neocolonialismo, a primeira guerra, a superprodução do liberalismo da década de 20, a recessão e o keynesianismo da década de 30, etc …

       A classe média é incrivelmente ignorante, serve apenas para consumir livros de autoajuda e vangloriar pseudos-intelctuaís que depende de tuite para se projetar, sou de uma época em que intectuaís eram reconhecidos por seus livros e não por conta do àngulo da câmera, mas que no final; Karnal, Pondé, Cortella e outros estão sendo devorados por Bolsonaro, isso pq se o indivíduo, da classe média, não entende o ensino médio, eles irão entender o quê ?????

  41. Li algumas teorias sobre o

    Li algumas teorias sobre o que levou karnal jantar e postar foto ao lado de Moro.

    É claro que esse movimento foi pensado, nesse caso não existe ninguem bobo.

    Acho o que disse o Paulo Nogueira do DCM bem interessante

    Moro intimou Lula para depor no dia 3 de maio. A esquerda, centro esquerda não nutre nenhuma simpatia com o juiz golpista.

    Uma onda vermelha vai crescer à medida que se aproxima o dia do julgamento. Moro precisa de mais popularidade junto à esquerda mais alienada e mais dócil. A esquerda tipo PSOL e afins, que batia panela na encolha.

    Nessa medida o poder teria compactuado com Leandro Karnal, que tem um viés de esquerda. para posar na foto com Moro. Assim, Moro ganha um pouco mais de popularidade junto aos admiradores do historiador e filósofo

    Talvez outro ícones ditos de esquerda façam o mesmo papel, tudo com o objetivo de popularizar o Moro nessa faixa da população.

    Até que o Leando Karnal venha  a publico e diga ou não, porque a foto ao lado de Moro, todo tipo de conjectura é válido.

    • Isso não passa de uma

      Isso não passa de uma operação para dar um UP no moro. MBL e Vem pra  rua…perderam a credibilidade, estão recrutando caras novas…e querem dar um álibi….aos encontros do moro com aécio, doria….e companhia…Karnal se vendeu…

  42. Devem estar falando sobre o

    Devem estar falando sobre o curso que darão com outros a partir do dia 20/03 na PUC do RS

    fib.pucrs.br

  43. Falem Mal, Mas Falem de Mim

    Basta ignorar o tal Karnal, que desaparece rapidinho e fica resolvida a questão.

    Ataca-lo é tudo que mais desejam, Karnal & Golpistas.

    Vira  novo queridinho da globonews e como  vitima da “intolerância petista”, que é o que desejam.

    Política se faz com o cérebro, não com o fígado, e de inocentes úteis bem intencionados, o inferno está cheio.  

    Acorda, amor

    Que o bicho é brabo e não sossega… 

  44. Karnal deve ter falado a Moro. . .

    Karnal deve ter falado a Moro o seguinte: “Tu és o único que terias condições no momento de vencer o Lula em 2.018 e eu te orientarei como deves proceder para conseguires essa vitória, , ,”, e completando:  “. . .em troca quero o Ministério da Educação e que VOLTEM AS AULAS DE HISTÓRIA  no ensino médio”

  45. Carnal, elegante, gentil e educado, como a direita francesa!

    Leandro “Carnal” não arredou pé um centímetro de sua posição política, porém gostamos de ver próximos de nós pessoas que tem desenvoltura em falar e dissertar.

    Porém muitos se iludiram com a finesa do discurso do “Carnal”. Entretanto a mim nunca enganou, pois como morei na França por algum tempo e agora assisto a distância várias palestras e discursos de intelectuais franceses acostumei-me com um especime raro na nossa pátria, alguém elegante e bem formado como a direita francesa.

    Um país como a França tem uma direita republicana elegante, politicamente correta e extremamente eloquente.

    Quando se assiste a palestra de algum intelectual francês, conforme o conteúdo dessa é extremamente difícil de captar a posição política do mesmo. Bolsonaros, Joices, Pondés, Lobões e outros jamais teriam o mínimo espaço na mídia conservadora francesa, pois seriam considerados truculentos, inconvenientes e inadequados, mais um monte de qualificativos que a tradução para o português perderia totalmente o sentido. Simplesmente porque o nível de educação e politização de um operário qualificado ou de um quadro empresarial de direita ou de esquerda é muito maior do que o nível político que os nossos “líderes” empresariais, mediáticos e políticos. Por exemplo, um Eduardo Cunha jamais se criaria numa França, não porque ele é ladrão, mas sim porque ele seria considerado grotesco para uma posição política mais elevada.

    “Carnal” é que nem Jô Soares, ambos são bem educados e gentis, porém todos os dois são conservadores e direitistas.

    Ficamos tão acostumados com figuras da direita truculenta como Bolsonaro, Joice, Olavo de Carvalho, Nando Moura, Lobão, e mais centenas de figuras toscas e sem uma formação acadêmica aprimorada, que começamos a confundir esquerdismo com educação!

    Pois meus amigos, talvez para muitos seja uma novidade, mas há muita direita bem educada no mundo, vão ser tão ou mais cruéis do que a nossa direita nacional, porém quando for chegada a hora de retirar direitos do povo e proteger as oligarquias, fazem isto com muita educação e com uma capacidade imensa de colocar palavras bonitas nos seus discursos que todos pensarão que é de esquerda.

    Margaret Thatcher era uma senhora extremamente bem educada e razoavelmente fina para os padrões brasileiros, mas foi responsável por uma das maiores guinadas da política Inglesa a direita que polui o cenário inglês até os dias atuais.

    Eu fico tremendamente aborrecido quando a esquerda de forma também tosca qualifica qualquer um direitista truculento de fascista, pois confundem uma falta de civilidade com uma posição política e não enxergam que podem até existir fascistas educados e gentis, mas perfeitamente elitistas e de direita.

  46. Sou obrigado a confessar

    Sou obrigado a confessar minha indigência no caso do Karnal. Como muitos, vi algumas palestras, afinal, o cara era adorado por multidões e seus dizeres muito utilizados nas mais variadas circunstâncias. Pra falar a verdade o discuro do sujeito não parecia dos piores, tanto que até me agradavam, mas nunca prestei muita atenção nas entrelinhas. Nunca fui fã.

    Em todo caso serviu de lição: deve-se desconfiar sempre desses meteoros midiáticos. Prestar atenção no que escrevem e onde divulgam suas ideias.

    E como sempre digo: se a Lava Jato teve uma coisa de boa foi tirar a máscara de muitos. Karnal deixou claro que escolheu um lado e a sua máscara foi só mais uma que caiu.

  47. O que Leandro Karnal fará com

    O que Leandro Karnal fará com o seu passado dito: “Um juiz Moro, usando como fantasia distópica, assumindo o poder sem o controle de uma máquina partidária, não terá nenhuma base no Congresso. Resultado: ele repetirá Collor, com seu partido surgindo do nada, incapaz de dialogar com o Congresso”, disse Karnal.

    ‘Homens Do Ano’: Trump, Temer, Hitler, Sérgio Moro ● Leandro Karnal

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=weIeGP9v5gY%5D

  48. Karnal apaga post – 247

    O historiador e professor da Unicamp Leandro Karnal apagou o post com a foto do jantar que teve neste fim de semana como juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba; Karnal perdeu vários seguidores em sua página no Facebook e foi duramente criticado por se associar ao juiz, acusado de ser parcial e favorecer políticos do PSDB; Karnal ainda não se pronunciou sobre a polêmica

    https://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/284567/Ap%C3%B3s-perder-seguidores-Karnal-apaga-post-de-jantar-com-Sergio-Moro.htm

  49. Francamente,…

    Francamente, fiquei frustrado com essa postura do Karnal, que tinha até aqui como um pensador sério. Uma pena que não seja de fato isso que sempre me pareceu

  50. KARNAL E MORO
    Até agora, tinha alguma prevençáo contra Karnal pelo discurso retrógrado marxista da USP.
    SE ELE APOIA ATOS DR MORO É UM HOMEM HONESTO!
    GANHOU MAIS UM SEGUIDOR.
    O QUE PERDEU SÃO OS RETRÓGRADOS MARXISTAS Q TEM PREGUIÇA DE PENSAR.
    SEGUE O FALSÁRIO MARX, UM VAGABUNDO QUE NUNCA TRABALHOU,SUSTENTADO POR INDUSTRIAL RICO, ESTUPROU SUA EMPREGADA-ESCRAVA A QUEM NÃO PAGAVA, E FEZ-LHE UM FILHO QUE OBRIGOU A DOAR PARA ORFANATOS.
    Devem ser bandidos como a Deputada da BANCADA DO ESTUPRO, Maria Chorona do Rosário.

  51. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome