Movimento repudia desembargador que insinua estuprar juízas

Em vídeo que circula nas redes, desembargador diz a juízas: “nós vamos aí comer vocês”, ao lado do cantor Leonardo, acrescentando: “ele segura e eu como”

Foto: Reprodução

Do Movimento Nacional das Mulheres do Ministério Público e Associação Brasileira de Mulheres de Carreiras Jurídica

O Movimento Nacional das Mulheres do Ministério Público, que congrega em torno de 500 promotoras e procuradoras de todo o país e a Associação Brasileira de Mulheres de Carreiras Jurídicas manifestam REPÚDIO às declarações do desembargador Jaime Machado Júnior em vídeo que circula nas redes sociais, no qual o referido, vinculado ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina, dirige ofensas a magistradas.

Num país em que uma mulher é estuprada a cada 10 minutos, é inadmissível o comportamento sexista adotado pelo desembargador, que, ainda que em tom jocoso, expõe as magistradas destinatárias da mensagem como objetos sexuais e banaliza a conduta de violência sexual, atingindo todas as mulheres, reforçando uma cultura machista e misógina que, infelizmente, ainda insiste em violar os direitos mais basilares da população feminina diariamente.

O Movimento e a ABMCJ, que têm por objetivos, dentre outros, promover a igualdade de gênero e a valorização de mulheres de carreiras jurídicas, permanecerão atentos a condutas dessa natureza, exigindo apuração dos fatos e tomada de providências pelas instâncias competentes.

 

Abaixo, o vídeo do desembargador:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  General volta à carga contra julgamento de prisão em segunda instância

11 comentários

  1. Pelo menos o golpe fez o brasil realizar a música do Cazuza, e o país mostrou sua cara. E, pessoalmente, acho que a cara do judiciário é a mais horrenda. Este juiz é o retrato disso. DEPRIMENTE!

  2. Falta a esse movimento uma reposta cortante, que não só intimide quanto devolva o torpe desembargador ao seu indigno lugar.
    Afinal, ele deve saber aonde lhe dói.

  3. Já devia ter sido afastado por falta de decoro e odioso desdém.
    Mas, nada será feito, quer pelo tjcatrina, muito menos, pelo tal cnjostazinho.

  4. Os juizes estão totalmente dementes com respeito a mensagens, decisões, sentenças, e principalmente opiniões. Se tivessemos um orgão que realmente controlasse o judiciário, um canalha como este deveria ser demitido, sem aposentadoria e ainda processado por ofença de ás mulheres!

  5. Esse desembargador deveria ser punido exemplarmente com o afastamento do cargo. Não tem o mínimo cabimento um sujeito tão desclassificado ocupar a função de desembargador.

  6. O art. 35, VIII, da Lei Orgânica da Magistratura Nacional dispõe que os Magistrados devem manter conduta irrepreensível na vida pública e particular.

    Então, esse Rato vai ficar impune?

  7. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome