Os suicídios de garotas que tiveram suas fotos íntimas vazadas na internet

Sugerido por Vânia

Da Carta Capital

Quem é culpado pelo suicídio da garota de Veranópolis?

Nudez na internet

Está virando rotina: mais uma adolescente se matou por não suportar a humilhação após o vazamento de foto íntima. Desculpe falar assim, mas a culpa é de todos nós. 

“hoje de tarde dou um jeito nisso. não vou ser mais estorvo pra ninguém”

veranopolis.jpg

Após escrever e postar esta frase no Twitter a estudante Giana Laura Fabi, de 16 anos, se matou. Segundo sua família, a adolescente de Veranópolis se enforcou em casa na quinta-feira passada, com um cordão de seda.

Ainda segundo a família, o suicídio da garota teria sido motivado pelo vazamento de uma foto sua mostrando os seios. Nesta quarta-feira o delegado da cidade gaúcha a 176 km de Porto Alegre ouviu um rapaz de 17 anos que confirmou ter dado um printscreen (comando pelo qual vc “fotografa” a tela de seu computador) e enviado a foto de Giana para alguns amigos. Daí, a imagem correu a rede, causando o “estorvo” a que a menina se referia, e que ela decidiu resolver dando fim à própria vida.

Quatro dias antes, Julia Rebeca, estudante piauiense de 17 anos, havia se matado por motivo semelhante. Também se enforcou, mas com um fio elétrico. Não suportou o que sofreu após um vídeo em que aparecia fazendo sexo vazar na internet. E igualmente despediu-se pelo Twitter:

“É daqui a pouco que tudo acaba. Eu te amo. Desculpe n ser a filha perfeita, mas eu tentei… desculpa desculpa eu te amo muito. Eu to com medo mas acho que é tchau pra sempre”

Outros casos parecidos não terminaram em morte, mas levaram à destruição da vida da pessoa, como aconteceu no mês passado com Fran, a garota de Goiânia que também teve um vídeo íntimo vazado na internet –leia mais sobre este caso neste texto de Nádia Lapa.

Em comum entre esses e tantos outros casos, o fato do alvo ser sempre uma mulher, em geral bem jovem, e vítimas de pessoas que conheciam bem, e com quem se relacionavam de alguma forma. A pessoa que vaza a foto ou vídeo é invariavelmente um homem, e participava de alguma forma do ato. Em comum, ainda, o fato de todo julgamento moral sobrar para a mulher, e ela sofrer tanto que em alguns casos sequer encontra forçar para seguir vivendo. O homem, em geral, não apenas segue sua vida e não é punido, como ainda ganha fala de “pegador”.

Grêmio e Avril Lavigne

Incomodado com o suicídio de Giana (ou Giih, apelido que adotara nas redes sociais), passei por seus perfis. Está tudo aberto e ativo: Twitter, Facebook, Instagram, AskMe etc. Um memorial virtual detalhado e um tanto chocante. Em uma análise mais objetiva, percebe-se que não há nada de mais em sua rede ou na de seus colegas, pelas quais também dei uma passeada. Encontrei apenas as mesmas coisas que em geral fazem ou fizeram parte do cotidiano de qualquer adolescente, seja eu, você, a Fran ou sua filha ou filho. Giih gostava muito do time do Grêmio e da cantora Avril Lavigne, relacionava-se com garotos e garotas de sua idade e trocava com os amigos centenas de mensagens “bobas” –para nós, adultos. Nas fotos, mais do básico: poses com as amigas do colégio, com familiares, mostrando o look antes de sair, do cachorro, de garotos de sua idade, artistas etc.

A adolescente de Veranópolis nem de longe parecia a depravada que aparentemente se tornou na onda de bullying à sua volta. E mesmo que fosse “depravada” para os padrões morais cristãos que infelizmente regem nossa sociedade, nada justifica o que aconteceu. Nada justifica seu sofrimento, sua morte e o que sua família está sofrendo.

E aí caro leitor e cara leitora, me desculpe, mas a culpa é de todos nós. Minha e sua inclusive.

Estou longe de ser uma pessoa moralista. Acho legítima e defendo qualquer forma de interação amorosa ou sexual, desde que consentida entre as partes. Defendo a pornografia –de novo, desde que consentida e entre adultos. E considero brincadeiras e fantasias eróticas absolutamente saudáveis.

Vivemos numa sociedade que cobra a cada instante que você tenha sucesso. E, no caso das mulheres, por sucesso entenda-se uma cruel e impossível equação na qual você tem que ser magra, bonita e gostosa mas, por outro lado, não pode ser “fácil”, tem que “se dar o respeito”. Tem que ser bem sucedida profissionalmente. E tem que assistir o exemplo de uma mocinha da novela das oito que, aos 17 anos, usa shorts minúsculos e rebola para milhões de pessoas toda noite mas, fora das telas, assume o papel de futura esposa respeitosa do namorado jogador de futebol famoso. Sai a novela e vem a publicidade: uma moçoila curvilínea e insinuante atrás da outra. E tem mais: tem que ser mãe dedicada, mas não pode ter barriguinha pós-gravidez. E, por favor, mantenha-se sempre uma amante fervorosa, “uma dama na sociedade e uma puta na cama”. E segue uma enorme lista de “tem ques” inconciliáveis com a vida real.

Quase a totalidade da TV mundial bombardeia as adolescentes com esses valores inatingíveis (e machistas pacas) e, fechando o ciclo, a internet está aí no celular e no laptop do quarto de cada uma dessas milhões de meninas, convidando-as a se expor de uma forma cada dia mais fácil, com argumentos cada dia mais sedutores.

E se para mulheres adultas já é difícil encarar essa barra, imagine a dificuldade para uma menina de 16 anos passar incólume ao largo desse oceano de cobranças e estímulos e seguir “pura” até o altar… Para piorar, ainda há o estigma de “fora de moda” que ronda o feminismo. Tá duro equilibrar esse jogo.

E, claro, todos os que as cobram, nunca entraram num site pornô. E poriam a mão no fogo por sua filha, irmã, mãe, amiga, vizinha, prima ou namorada. Não, ela não é “uma dessas”. Não é feita da mesma carne das Frans, Gis e Julias da vida.

O mínimo que temos a fazer é parar de ser hipócritas. Não resolve tudo, mas já seria um bom primeiro passo para paramos de matar nossas meninas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

46 comentários

  1. Olá Vania,
    Acho muito

    Olá Vania,

    Acho muito oportuna a sua postagem, mas uma das formas de se fazer parar com essa exibição da vida íntima das pessoas pela internet, é – a meu ver – e não sei se legalmente isso é possível – partir do princípio que quem postou tinha a intenção de matar. Ou seja, classificar o crime do autor do vazamento como homicídio doloso, com todo o ônus que isso significa, acrescido de uma multa alta por danos morais à família. 

    Sei que estou sendo muito radical, mas é um absurdo que apenas se lamente e que os autores saiam rindo e achando que não fizeram nada de mais. Para mim, eles são assassinos frios e crueis.

    • Meu Deus! Pena de morte é

      Meu Deus! Pena de morte é pouco…  (modo ironia ON)

      No meu tempo, rapazes e moças de 16 ou 17 anos tinham noção clara do que se podia e do que não se podia fazer. Os pais ensinavam, pelo menos nas cidades menores (como Veranópolis), como aquele em que me criei. O sujeito derrapava, a pua pegava.

      Hoje, a moda é a condescendência, pois estamos muito ocupados com outras coisas para dar atenção aos filhos. E se distribui como compensação e “obrigação social” esse tipo de geringonça tecnologica perigosa, como se vê pelos fatos lamentáveis, sem uma palavra sequer sobre os riscos envolvidos na (super)exposição.da vida pessoal. Aquilo que antes se segredava às amigas ou amigos, hoje se coloca na rede, mesmo que pensado para uso individual apenas. E logo cai no mundo…  Uma coisa era um menino dizer a outro que “pegou” a fulana e outra coisa é hoje distribuir fotos íntimas. No primeiro caso, muita gente sequer acreditava em quem contava vantagem.

      Tanto pais quanto empresas que lucram com esses sites de relacionamento e que tais (e também os governos) têm responsabilidade sobre o mau uso dessas tecnologias ou sites quando não advertem para o uso cauteloso e adequado. Já vi num site desses (acho que foi divulgado por aqui) alguém fazendo a apologia do estupro, mesmo que em tom de “brincadeira”. Alguém tomou alguma atitude drástica?

      Tudo tem de ter seu modo-de-usar.  E custaria quanto as secretarias de direitos humanos ou similares fazerem inserções periódicas na TV alertando essa para os riscos da autoexposição nas redes sociais etc e também para a responsabilidade penal e moral de quem divulga fotos e fatos comprometedores de outra pessoa? Mas o que pode prejudicar os negócios não é bem visto…

  2. Se ela era de menor, creio

    Se ela era de menor, creio que seria possível até enquadrar quem divulgou em pornografia infantil.

    Mas como o acusado (nesse caso) é de menor também, caímos num velho “problema” para a esquerda quando o tema é crime e castigo. 

  3. Oxalá eu não seja julgado pela Assas JB Corp

    Ah, então eu sou culpado pela morte da garota que morreu de vergonha por ter sido tola.

    Vivemos o império da culpa. 

    Já começa a ficar dificil saber o que ilegal, imoral ou engorda.

    Vou trabalhar, antes que alguém me acuse de vadiagem.

    •   Concordo com você. O

        Concordo com você. O assunto é sério, daí vem alguém dizer que a culpa é de todo mundo – o que torna até inócuo você ser contra um tal dessa natureza, porque você é “culpado” do mesmo jeito. Dá uma canseira esse surrado e rasteiro argumento…

        Antes que eu esqueça, você (e eu, óbvio) é culpado pelo desemprego na Espanha, entre outras coisas.

  4. Para mim é mais simples

    Para mim é mais simples ainda: A canalha que joga na rede e/ou divulga esse tipo de coisa tem que sofrer as consequência Sde maneira DURA.

    Perder muitos, se não todos os bens para indenizar o dano. Sem essa de “enriquecimento ilícito” que faz a nossa porcaria de judiciário recomendar indenizações pífias, que fazem rir o ofensor e trazem mais sofrimento ainda ao ofendido. Isso na área cível

    Na área penal, cadeia. Que seja por 2, 3 meses, mas tem que passar um período na cadeia para pensar na vida. Esse negócio de suspensão condicional da pena, eu não engulo. Um período curto na cadeia não mata ninguém, não transforma ninguém em bandido perigosíssimo e PUNE!

    Do contrário ainda estaremos discutindo isso nos próximos suicídios que virão, já que essas notícias até encorajam outros atos como esse em situações futuras.

  5. E qual é a sua posição sobre

    E qual é a sua posição sobre a “exibição da vida intima das pesoas” atraves de “biografias” não autorizadas?

    Gostaria de aproveitar a possibilidade e levantar a mesma questão a Vania.

    • Esse comentario deveria ser

      Esse comentario deveria ser endereçado a Graça Portela.

      Aproveito e faço a mesma pergunta a todos os comentaristas contra a “exibição da vida das pessoas na internet”

    • ???

      E quem vai fazer uma biografia, autorizada ou não, de uma menina de 15, 16 anos? Se é que seria permitido por lei tal publicação, já que estamos falando de menores de idade.

      Não tem nada a ver uma coisa com a outra, mas… para quem não quer enxergar o óbvio, não quer fazer um verdadeiro exame de consciência, não quer tocar no ponto nevrálgico da questão – que é sim, de novo ele, o machismo – e prefere tergiversar, vale tudo.

      • Vânia,Creio que o ponto do

        Vânia,

        Creio que o ponto do autônomo com a mensagem é questionar a lógica que apareceu no debate das biografias (que só assisti por falta de tempo para me envolver), de que para “celebridades” e/ou artistas, a (super)exposição não pode ser questionada ou combatida, pelo contrário, seria totalmente legítima e parte da liberdade de expressão e por aí vai.

        Não nego a presença do machismo nesse caso da gaúcha e de outros na mesma linha, mas ouso dizer que é o problema é um pouco mais amplo, com a possível perda (de noção) do que é informação e vida pública … e o que é do campo privado, íntimo e pessoal…principalmente por parte de quem contribuiu para a circulação das imagens.

        No caso do guri, a gravidade seria maior, porque ele que violou um “contrato verbal” com ela. Mesmo que não fosse uma sociedade machista e que o sexo não fosse um tabu, ele ainda teria cometido um erro, logo não é só machismo não.

        Lembrando que deve fazer pelo menos uma década que tem jovens (de ambos os sexos) se matando em função de cyber(bullying).

        http://en.wikipedia.org/wiki/Suicide_of_Ryan_Halligan

        Ryan had deliberately saved transcripts of online exchanges in which Ashley, a popular girl whom Halligan had a crush on, pretended to like him. Later at school, she told him that he was a “loser”. According to the ABC Primetime report, she had once been his friend and defended him when the bullying first started; when she became more popular in middle school, she left him behind. He found out she only pretended to like him only to gain personal information about him. She copied and pasted their private exchanges into other IMs among his schoolmates to embarrass and humiliate him.

        • É sim

          É, sim, questão de machismo. Nenhum homem é execrado por aparecer em um vídeo fazendo sexo com uma mulher, mas o contrário é invariavelmente verdadeiro. Enquanto o homem fica “bem no vídeo”, passa por garanhão, pegador, a mulher é tratada como puta. Tanto que eles próprios divulgam os vídeos ou fotos (sem o consentimento da parceira), para se gabar, claro. Ora, claro que é machismo. E a questão presente trata de casos de meninas adolescentes que não tem ainda estrutura emocional para aguentar tal linchamento, chegando ao ponto de se matar, enquanto os homens/meninos que vazaram os vídeos ou fotos vão “muito bem, obrigado”.

          E não adianta falar que a menina/mulher não deveria ter se exposto (em todos esses casos foi uma exposição particular, em confiança a algum conhecido, ainda que através do computador ou celular), que não deveria ter sensualidade e sexualidade. Disso o artigo do Lino também trata, há um estímulo constante da mídia e da sociedade nesse sentido. Além de que, claro, adolescentes estão descobrindo a sexualidade, querer impedir isso é ridículo.

          O fato objetivo aqui é que só as meninas ou mesmo mulheres são execradas, linchadas, demonizadas, a ponto de chegarem a se suicidar. 

          Elas, adolescentes ou mulheres muito jovens ainda, preferiram morrer ou tiveram que se esconder, fugir de suas cidades, o que simbolicamente é uma forma de se matar também, matar a vida que tinham até então.

          E eles, que vazarm os vídeos e as fotos? 

          Não é questão de machismo?

          PS: “o ponto” do autonomo e o seu está um pouco fora do foco em questão. Por quê e pra quê generalizar agora? Por que não tratar desses casos específicos, só porque tocam notoriamente no machismo? Vamos encarar!

          • Vânia,
            Não posso falar pelo

            Vânia,

            Não posso falar pelo autônomo, mas em nenhum momento eu falei que não devemos considerar ou tratar o caso particular, tanto que em outro breve comentário no mesmo post apontei uma possível implicação legal dura (dentro da ótica legal americana entrariam para aquelas listas de agressores sexuais) da divulgação de tais imagens.

            Mas ainda assim vou repetir o que falei ali em cima, pois não estou tentando fugir do foco e sim apontando (embora possa estar errado ou me expressado de forma inadequada) que uma visão sistêmica possa dar mais resultado que uma visão reducionista se o ponto é evitar novos casos:

            “Não nego a presença do machismo nesse caso da gaúcha e de outros na mesma linha, mas ouso dizer que é o problema é um pouco mais amplo…”

            Por sinal, com tanta gente no congresso, curiosamente coube logo ao Romário (que sempre teve fama de pegador) de pensar no (aspecto legal desse) problema, que dificilmente será resolvido sem punição.

      • Prezada senhora:
        “O ponto

        Prezada senhora:

        “O ponto nelvragico da questão” é a dor que provoca a “exibição da vida intima das pessoas”.

        Não importa se estamos falando “de uma menina de 15 anos” ou de um velho de 90.

        A dor é a mesma.

        Legalizar “biografias” sem autorização é quebrar os alicerces do direito  das pessoas a manter suas vidas intimas de forma privada..

        • Senhor

          Não fuja do assunto.

          “Em comum entre esses e tantos outros casos, o fato do alvo ser sempre uma mulher, em geral bem jovem, e vítimas de pessoas que conheciam bem, e com quem se relacionavam de alguma forma. A pessoa que vaza a foto ou vídeo é invariavelmente um homem, e participava de alguma forma do ato. Em comum, ainda, o fato de todo julgamento moral sobrar para a mulher, e ela sofrer tanto que em alguns casos sequer encontra forçar para seguir vivendo. O homem, em geral, não apenas segue sua vida e não é punido, como ainda ganha fala de “pegador”.

  6. Vivemos tempos da

    Vivemos tempos da desobediência e o desrespeito pelos pais, pela família. O resultado disso são essas tragédias anunciadas. É chocante. Nós pais devemos estar alertas quando nossos filhos estiverem em um computador, ligado na rede.

    • Um pai terá que verificar,

      Um pai terá que verificar, diariamente, se um filho de 16 anos não tira a roupa em frente ao computaodr ? Tem certeza que cre nisso ?

  7. Atitude

    Sou a favor de que se crie algum tipo de punição para quem publica esse tipo de material na internet.

    Mas acho que uma parte do problema é a importância que os jovens dão  a esses comentários.

    Na internet, as pessoas liberam o seu pior lado da personalidade, falam coisas que não falariam cara a cara.

    Se relacionar mais pessoalmente e esquecer um pouco o mundo virtual faria bem.

    Outra coisa que faria muito bem a essa moça seria ela ter procurado o cretino que postou esse material e enchido a cara dele de tapas.

    Tem que tratar idiotas como eles são: IDIOTAS.

  8. Realpolitik

    Este texto é a comprovação de que o Gunter Zibell não é um “mala sem alça do samba de uma nota só”, quando alerta para a questão das concessões que o governo faz ao conservadorismo moral. Os atingidos – sejam eles homossexuais, sejam eles adolescentes que são tomadas por “vagabundas” conforme julgamento de origem ético-religiosa – não estão no mundo das ideias, no plano imaterial, e precisam que o Estado não se omita na sua proteção.

    Esta questão das meninas expostas é particularmente sensível.

    Além da invasão de sua privacidade, que já seria per si lamentável, o problema maior é o julgamento moral a que elas são expostas, sendo que elas mesmas se sentem “impuras”, ou um estorvo para a sociedade e a família depois destes episódios. É um discurso, chancelado pelas instituições religiosas (que incentivam a “pureza” e “castidade” das mulheres) que oprime e impede que as mulheres exerçam tranquilamente a sua sexualidade, e torna párias as que “ousam” ser descobertas fazendo sexo ou se mostrando numa câmera.

    Ora, se o nosso Estado é laico, o mínimo que os governos de todas as instâncias podem fazer é promover ações positivas, para que a mensagem chegue para estas crianças (sim, uma garota de 16 anos ainda é uma criança brincando de adulta) e diga “não, você não é uma alienígena a exercer sua sexualidade, e ninguém, principalmente você mesma, pode jugá-la por isto”. Se omitir num cenário de predominância do discurso moralista de cunho religioso é chancelar este cenário de barbárie (sim, uma garota que se mata pelos motivos expostos ainda vive numa sociedade inquisitiva, de idade média).

    É por esta razão que o argumento da realpolitik geral e irrestrita que o governo federal faz é algo que, no máximo, serve para acalmar os já convertidos. Conforme Nassif mesmo atesta, o obscurantismo na nossa sociedade avança, e não há a menor luz no fim do túnel. 

    Imagina se o governo federal ousar lançar um programa falando sobre a sexualidade das adolescentes? Seria, no mínimo, acusado de pedófilo pela hipócrita bancada dos pastores, e recuaria na mesma hora. Assim sendo, que respostas o governo federal poderia oferecer a esta situação? Prometer maior rigor aos que expõem garotas na web, como se isto fosse um problema exclusivamente relacionado a privacidade?

    É muito, mas muito pouco para uma sociedade que precisa urgentemente revisar seus valores.

    • O governo não consegue fazer

      O governo não consegue fazer nem campanha pra prostituta sem alguém cair matando…

      …o que você aponta, apesar de adequado, implicaria em marchas com tochas em direção ao Planato.

      • Contrapor o que eu escrevi

        Contrapor o que eu escrevi com argumentos, que nada né? Bobagem este negócio de discussão respeitosa.

         

          • GOVERNO SOCIAL

            AQUI O GOVERNO É SOCIALISTA

            É OBRIGAÇÃO DO GOVERNO TOMAR UMA ATITUDE. 

            UMA LEI  SED LEX DURA LEX PRA ESSES

          • o que você espera Arnaquista

            o que você espera Arnaquista Lúcida?

            Radicalizar?

             

            kkk vai sonhando.

            o governo é marcado por conquistas sociais impensáveis antes dos seus mandatos, e você com esse discursinho de oposição frida? Mude seu nick para ” Garota Mimada”

          • Decidam-se, sou oposiçao, ou defendo sectariamente o governo?

            Nada mais engraçado que isso, dois comentários seguidos cada um me acusando de ter a posiçao contrária à que o outro me acusa de ter. Chega a dar vontade de rir. 

          • “Parece que bebe”. Educação é

            “Parece que bebe”. Educação é algo que enobrece uma pessoa, e parece que você tem muito a evoluir neste quesito. Ninguém é obrigado a ler seus disparates.

            Em segundo lugar, se você considera uma simples questão de opinião pessoal uma superestrutura que crucifica mulheres que exercem sua própria sexualidade, nós não temos nada a discutir. Eu considero esta uma questão que o Estado não pode manter distância, pois está na raiz tanto de crimes passionais (já ouviu bastante o “a mulher é minha”, “matei essa vagabund* pq ela fez por merecer” ?) e também destes suicídios motivados tanto pela culpa que estas garotas sentiram, quanto pelo julgamento de colegas, comunidade, e muitas vezes pais e parentes.

            O Estado não precisa e não pode mudar a moralidade de ninguém. Só precisa garantir que uma mulher que queira virar devassa, ou aparecer pelada na internet não seja julgada nem levada a fogueira pelos moralistas de plantão. Não entende a diferença entre uma coisa e outra? E isto é motivo SIM, para criticar a aliança do governo federal com a bancada obscurantista que impede e chantageia para barrar qualquer proposta mais progressista relativa a questões de costumes.

            Você se diz feminista, mas seu feminismo esmorece quando colide com essa sua defesa sectária do governo.

             

          • Tagutti, DEIXA DE ONDA.

            Discurso nas alturas, no mau sentido. Blablablá inócuo. 

            Defesa sectária do governo? Nao delira… Passei essa semana combatendo o projeto de educaçao inclusiva do MEC (nao por ser contra a educaçao inclusiva, mas porque o projeto é completamente irreal) e você vem com essa lenga-lenga? Nao sou eu que defendo o governo sectariamente, é você que o ataca sistematicamente, aproveitando as coisas mais malucas para tanto. 

            Passe bem, viu? E vê se desce à realidade. 

  9. Uma tragédia totalmente sem

    Uma tragédia totalmente sem sentido. Concordo que é caso para a sociedade deitar no divã. Uma espécie de punição é necessária, mas tem que se ter cuidado para não exagerar e tratar o garoto como um monstro. Afinal de contas vamos combianr, é tipicamente coisa de adolescente conseguir uma foto de uma colega nua e mostrar para amigos. Só que antes não tinha internet.

    A culpa é menos dele, do que da sociedade. Que tipo de sociedade esquisofrenica é essa que ao mesmo tempo que incentiva a sensualidade precoce, o exibicionismo de gostozas, faz severos julgamentos morais? Se tem tanta baixaria na TV, porque uma simples exposição de seios tornou-se um estigma insuportável para a menina carregar? Tem algo de muito errado em nossa sociedade 

  10. Chico precisa..

    Chico precisa fazer um outro vídeo, agora com um título mais atual: Brasil, ou o País da Privacidade Perdida..rede sociais tô fora, prefiro olho no olho, mão na mão, etc etc etc..

  11. UMA LEI PARA PUNIR

    UMA LEI PARA PUNIR IMEDIATAMENTE .

    É INADMISSÍVEL CONVIVER COM ISSO. MENINAS NOVAS, A VULGARIZAÇÃO POR COMPLETO. A PROMISCUIDADE. SUICIDIO, 

    • Pomiscuidade é esse teu

      Pomiscuidade é esse teu machismo, moço. Vê se aprende a parar de culpar a vítima e tenta enchergar quem foi o errado dessa história toda. Quem espalha fotos íntimas dos outros é quem está errado!

  12. Terrível isso. Eu defendo

    Terrível isso. Eu defendo tranquilamente a tese de que quem faz esse tipo de assédio merece ser processado por sequestro. Já escrevi sobre isso.

    O que acontece é uma espécie de sequestro da liberdade.

    Escrevi sobre o assunto inclusive na página do Facebook criada em homenagem à garota chamada Fran, do caso de Goiânia.

  13. Vergonha alheia.

    Vergonha alheia…

     

    É isso que sinto lendo determinados comentários. Misturando politica em uma tragédia que poderia ter acontecido até com alguma filha de vocês. Pensem nisso.

    O maior problema é essa cultura machista que se manifesta de forma   “liberal”

    No final das contas continuam pensando de maneira arcaica, onde a culpa de tudo que acontece é do governo ao invés de assumirem  que a culpa de tudo que acontece é da sociedade! Sim;  todos nós que permitimos que coisas como tal continuem acontecendo, pois hoje em dia é moda criticar a vida do outro, aliás é assim que o brasileiro anda usando as redes sociais. Infelizmente o  Brasil é um país onde é mais fácil criticar ao invés de tentar encontrar a solução, tanto que já ganharam eleições somente com criticas. 

    Tomar medidas severas a quem posta imagens na internet é sim muito funcional, mas boa parte da culpa são das pessoas que comentam e compartilham essas imagens. Criticam as meninas como se nunca tivessem feito algo bem pior.  Falsos moralistas,  hipócritas! 

    Meus sentimentos à família das garotas.

     

  14. imagem sendo exposta

    Só que passa por isso sabe o quanto é doloroso ser exposta há milhares de pessoas que você nem se quer conheçe , eu fiu vitima de um crime desse roubarão meu cartão e passaram dois videos meus , que eram pessoais que eu tinha mandado apenas ao meu namorado ! Esta sendo muito dificil , por que o video esta rolando em toda região onde eu moro , estou tão envergonhada , e o pior é que as pessoas comentão ao me respeito , sinto vontade de sumir , ir para lugar onde ninguém me conheçe , esta sendo tão dificil tudo isso , todos os dias eu choro , tento não pensar , mas sempre aparece uma pessoa pra me lembrar . 

    As pessoas não se colocam no seu lugar , elas apenas te julgam e se divertem com a sua dor , como tem feito comigo em momento algum pensei em me MATAR , afinal a pessoa que fez isso queria me DESTRUIR E ME VER NA PIOR , mas tenho que ser forte e continuar a vivendo , um dia a pos o outro , a JUSTIÇA DO PAIS não ajuda muito com isso , por que eles pedem uma ordem judicial e isso demora muito , ate a ordem saiu o país inteiro ja me viu pelada .

    Meu namorado esta sendo alvo de chacotas , e agressões verbais , só peço a DEUS que esses dias passem logo , e que ele me de forças PARA ENFRENTAR A LINGUA DO POVO .  QUEM TE BOCA FALA O QUE QUER , MAS A VERDADE É O QUE REALMENTE IMPORTA ! POR ISSO MENINAS SEJEM FORTES E MOSTREM QUE SOMOS MAIS FORTES QUE TUDO ISSO , EXISTE PESSOAS QUE TE ODEIAM E QUEREM SEU MAU ? SIM EXISTE , MAS VOCÊ TAMBÉM TEM PESSOAS QUE TE AMAM E QUE NÃO VIVERIAM SEM VOCÊ ! O IMPORTANTE É CONTINUAR A VIVENDO , E QUANDO OS ANOS PASSAREM AS PESSOAS VÃO ESQUEÇER DO OCORRIDO , MAS QUEM PASSA POR ESSE CONTRANGIMENTO JAMAIS ESQUEÇE É COMO UM FANTASMA QUE SEMPRE VOLTA PARA TE ASSOMBRAR !

    • Entendendo as pessoas

      Boa Tarde Jennifer Camila Maia, 

      É lamentável o que está acontecendo a vc, mas entenda que o ser humano gosta de julgar seu próximo e isso é algo difícil de mudar. Não se deixe abalar por aqueles que te julgam, todos nós temos o direito de viver como bem entedermos e também de errar, acertar, cair, levantar….. Aqueles que te julgam provavemente tentam enxergar no seu caso algo que fizeram ou fazem e consideram menos mal comparado ao que “vc fez” (faça o que quiser desde que suas ações não venham a prejudicar outras pessoas).

       

      Lembre-se:

       

      EU ERRO, TU ERRAS e NÓS ERRAMOS.

    • Parabéns pela sua

      Parabéns pela sua coragem,Jennifer! Quem dera essas meninas tivessem a mesma força,estrutura…enfim.Fico até feliz pois é nesse momento que precisamos simplesmente levantar a cabeça,ter carão mesmo e enfrentar  essa sociedade hipócrita.Como vc falou não fez nada de errado,muito pelo contrário, fez algo que todos nós gostamos de fazer.Não entendo o motivo de tanto moralismo.Abraço! 

  15. Encarando isso biblicamente

    bom dia, jenifer ! tudo bem com você?

    ok , antes de mais nada , também concordo com você sobre o quesito de ” não a hipocrisia ” , com certeza deveriamos estar atentos ou sermos mais atenciosos com nossos jovens , principalmente quando isto está integrando a relacionamentos e no meio deles está a internet , logo , não estou afirmando que a mesma não seja um meio formidavel de interagir com os demais  , não , a internet tem seus lados vantajosos , porém , é necessário ter consciência dos nossos valores e de que tipo de principios estamos oferecendo para nossos filhos , ou seja , sobre o que você argumentou logo acima sobre a nossa sociedade dos tempos atuais ter fundamentado se em mandamentos ou preceitos cristãs , pelo contrário , nosso ambiente social está se degradando pela a falta de discernimento ou a obediência aos valores morais diante de Deus!

    Vemos namoros desleais , pais e filhos destruidos no ambito familar , pessoas egoistas , avarentas , mas amigas do seu proprio eu do que amigas de Deus , Deus não é assim! Deus é o proprio amor , o amor reconstroi não destroi.

    Vemos , o sexo sendo desmoralizado , Deus em sua pureza , criou o sexo para a sua adoração , para que um homem e uma mulher fossem um perante o SENHOR , também para que os dois tivessem filhos e isso fosse usada para o prazer amoroso , quer dizer , que o sexo foi feito para a glória de Deus , todavia , estamos implantando a imoralidade sutilmente nas novelas , nas séries , nos filmes e etc … e não questionamos se nossos filhos oua até mesmo nós podemos usufruir daquele contéudo.

    Sobre a pornografia , é pecado , pois Deus tem o seu próprio padrão! Pornografia pode virar vicío , e até mesmo estimular um jovem a fazer coisas das quais ele vai se envergonhar depois, Deus abomina outro tipo de intimidade entre casais se não for a que ele planejou ! pois ele é Deus.

    Jesus Cristo não venho para que fossemos julgados por ele , mas sim , para salvar o  mundo.

    Com as nossas forças nunca conseguiremos passar pelo vale da sombra da morte de nossas vidas , porém se Cristo for a nossa força , ele mesmo disse : Tende bom ânimo , eu venci o mundo ,e ainda mais , reconhece o Senhor nos teus caminhos e ele endireitará tuas veredas.

    Vinde todos os que estão cansados e sobre carregados e eu vós aliviarei. 

    Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu filho para que todo o que nele crê não morra , mais tenha vida e vida eterna <3 OBG , BJS

  16. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome