O modelo de gestão pública defendido por Ciro Gomes

‘Brasil precisa de câmbio que estimule cultura de produção e puna o rentismo’, aposta ex-ministro
 
 
Jornal GGN – Como Ciro Gomes atuaria na presidência da República? Nesta quarta e última parte da entrevista que o ex-ministro e ex-governador do Ceará concedeu ao GGN, o político falou da sua experiência na gestão do Ceará, de como conseguiu acabar com 100% da dívida imobiliária do Estado, ainda em 1994, em uma época de grande variação inflacionária e, depois, quando secretário de Saúde, na gestão de seu irmão Cid Gomes, ajudou a expandir a rede de policlínicas implantando consórcios intermunicipais de saúde e, com isso, acabar com as filas. 
 
Ciro também creditou a sua gestão e de seu irmão à boa colocação das escolas cearenses no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), destacando que hoje, entre as cem melhores notas, 77 são de instituições do ensino público do Estado.
 
Assista a seguir:
 
https://www.youtube.com/watch?v=p5Bw3c_atz0&feature=youtu.be width:700]
 
Leia os principais trechos da entrevista
 
Educação e saúde no Ceará 
 
Educação: O Ceará tem, das 100 melhores escolas do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), 77. O Ideb mostra, basicamente, o nível de aprovação na idade certa, repetência, evasão. Os alunos se submetem às provas de português, matemática, etc. Então nossa turma está bombando, na escola pública, no interior do semiárido do Nordeste. O melhor Ideb do Brasil é nossa cidade, Sobral. O ex-prefeito da cidade foi convidado pela Fundação Leman para trabalhar com ele. 
 
Saúde: As policlínicas, são administradas por consórcios municipais, co-financiadas pelo Estado que paga metade, deixando metade para os municípios. Criamos uma lei que evitou os municípios pararem de bancar o sistema de saúde, por isso deu certo. Nada substitui a autoridade. Eu fui secretário de Saúde, quando o Cid expandiu dramaticamente a rede. Por exemplo, implantou 20 UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e, ao mesmo tempo, elas não funcionavam, porque havia dificuldade, o Ministério Público dando em cima do que não tem a ver, por exemplo. Ele pediu para eu ver o assunto, e eu botei tudo para funcionar, e uma das coisas era os consórcios das policlínicas. Então chegava o prefeito, fazia reunião, e o prefeito falava ‘vou levar para estudar’. Eu dizia: ‘está bom, você leva para estudar, não tem problema nenhum, mas enquanto você estuda não sai uma verba sequer de nenhum setor do estado para o seu município’.
 
Gestão das contas públicas 
 
No Ceará a gente vive em permanente esforço fiscal, lá não é nenhum paraíso não, a gente vive com uma dificuldade imensa. Mas quando fui governador, por exemplo, e vivia tempos de vacas gordas, tempos inflacionários gigantes, e como a inflação no Brasil não era uma doença da moeda, mas uma espécie de tributo, chamei os funcionários e fiz um grande acordo: ‘não tem mais greve, não tem mais confusão, vamos criar coletivo de negociação, eu próprio participo. Há limites, vocês são 2% da população, eu não vou entregar 100% da receita, mas vou discutir e haverá a prioridade de duplicar o salário dos professores e melhorar o salário da saúde e da polícia. Essas três prioridades vou tocar devagarinho’. 
 
Fizemos um acordo e o reajuste principal do Estado passou a ser trimestral, automático, reposição de 100% da inflação, e eu criei por lei uma conta única e determinei a hospedagem dessa conta única no banco público, porque uma das grandes formas de roubar, inclusive aqui em São Paulo, na época e muito tempo depois também, é que o código de contabilidade do Brasil é muito antigo, de partilha dobrada: botou 100 no primeiro janeiro, e tirou 100 no dia 31 de dezembro, está tudo certo. 
 
Hospedei a conta do Ceará, criei uma conta única, 100% do saldo caia em uma espinha vertebral aplicada por 100% da CDI, e aí a receita financeira do Ceará passou a ser rival das duas outras principais receitas que era o ICMS e o Fundo de Participação. E aí como sobrava dinheiro eu botei 27% livre para investimento, tirei 3% todo o mês calado para a corretora do banco e fomos ao mercado e compramos 100% da dívida mobiliária do Ceará, com 15 anos de antecedência. Isso foi em 1994, imagina, com aquela inflação louca? Esterilizei 100% da dívida mobiliária do Ceará, que desde essa época vive mais ou menos equilibrada. Mas não brincamos não, o imposto sobre herança do Ceará passou de 4% para 8%.
 
Visão de país entre empresários 
 
Quando o cidadão está na roça, no balcão do comércio ou no chão da fábrica, ele sente claramente que está tudo errado e reclama. Porém quando ele tira um excedente qualquer ele hospeda no banco, e ganha uma fortuna, e aí ele fica crítico-conservador. E ele acha que é possível conciliar duas coisas e começa a reclamar de carga tributária, de custo do trabalho e porque ele perde no juro, muito mais do que com isso, mas ganha no juros muito mais do que perde. 
 
Então é preciso punir o rentismo, trazendo a taxa de juros responsavelmente para uma coisa menor do que a rentabilidade média dos negócios, e restaurar a ideia de que dinheiro não cria dinheiro. O que cria dinheiro é trabalho, a produção e na associação de quem trabalha e produz. Acho que o Brasil está maduro para passar um projeto dessa natureza.
 
Do que o Brasil precisa para crescer
 
Eu acredito que o Brasil precisa mudar, e a mudança é complexa, mas se precisar de reduzir a uma sentença é: nós vamos voltar a crescer.
 
Isso vai significar que vou desconsiderar a inflação? Não. Que eu vou desconsiderar o desequilíbrio fiscal? Não. Mas o que eu vou dizer é o seguinte: que o objetivo estratégico é crescer e eu vou administrar as consequências, as contradições, as tensões, os riscos a isso inerentes.
 
Por mais que choque a quem estiver nos ouvindo, não é assim que o Brasil é tangido desde o Fernando Henrique, [quando em] uma madrugada macabra em que o Fernando Henrique engana o Chico Lopes dentro do Palácio do Alvorada, avisa o Chico Lopes que não vai mudar aquela maluquice de câmbio que vai flutuar dentro de uma banda diagonal endógena. O Chico Lopes vende a informação privilegiada, bichada e o Fernando Henrique, nas costas do Chico Lopes, opera o Banco Central privado e casa com o Armínio Fraga. E o Armínio diz: ‘a âncora cambial morreu, deixa estourar’, como aconteceu com a dívida de novo, e agora nós vamos transferir a segurança do mercado para a âncora fiscal. Daí cria-se esse tripé câmbio flutuante, superávit primário e meta de inflação, e se vende como ciência boa, sendo que o Inflation target funciona com o conceito de core inflation. 
 
O Brasil ainda tem um imenso entulho de indexadores e você hoje está transportando inflação de custos, que sobem preços em função de câmbio para taxa de juros. 
 
Câmbio
 
O professor Bresser-Pereira que tem me ajudado, muito de forma independente como sempre, ele fala em cinco preços básicos da economia que precisam estar organizados para que o país volte a crescer. Um deles, o mais relevante é o câmbio, o câmbio tem que estar em um ponto em que seja exportável o produto bem produzido no Brasil.
 
Evidente que tem deficiências que tem que resolver por outros caminhos. Mas a taxa de câmbio, depois a taxa de juros, e por aí vai. 
 
Mais indústria e menos rentismo
 
Crescer por onde? Indústria. Qual indústria? A primeira indústria é aquela por onde o Brasil está esvaindo bilhões, dezenas de bilhões de dólares ao estrangeiro. Então [é] o complexo industrial de Petróleo e Gás. Qual é o sentido de um país, como o Brasil, vender petróleo bruto e comprar derivado de petróleo caro, em dólar? Resolução: verticalizar toda a estrutura de refino e derivar daí uma indústria de polímeros e, enfim, toda a indústria de petroquímica. Isso é enriquecedor. 
 
Por que isso aí é uma obviedade? Porque o Brasil hoje está com um déficit na conta de petróleo de 25 bilhões de dólares. Então quebro com isso, e é um círculo virtuoso você entrar em uma dinâmica de substituição de importação, sem perda nenhuma de eficiência porque o dinheiro já está indo. 
 
Um outro, que você já mencionou [Nassif], é o complexo industrial da defesa. Algo razoável um país como o nosso que tem um papel estabilizador relevante no Cone Sul, na América do Sul, que pode ajudar a humanidade aí numa busca de uma ordem internacional centrada na paz, no direito, encerrando uma crônica de violência, de genocídio que nós estamos assistindo, de protofascismo, enfim, nós precisamos ter defesa. E isso quer dizer que a nossa aeronave, o nosso navio não ter pode como guia, a mira dos seus trabucos, o GPS americano. Não é razoável. E isso é enriquecedor também, porque é satélite, é foguete, é a indústria nuclear, etc. Esse jogo do Gripen [por exemplo] foi bom, nós vamos verticalizar a transferência tecnológica e isso é o que, potencialmente, o BRICS [grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul ] pode nos dar de forma muito acelerada, se tiver um governo que saiba onde apertar os botões.
 
Depois você tem o complexo industrial da saúde. Este ano, a União Federal vai comprar 17 bilhões de dólares de fármacos, próteses, cama de hospital, cadeira de roda, bengala, coisa que 70 e poucos por cento já tem patente vencida e você, com engenharia reversa, copia, cola e pode produzir no interior do semiárido do Nordeste.
 
Luis Nassif – Tem uma discussão no Supremo sobre a questão dessas patentes vencidas, está nas mãos da Ministra Carmen Lúcia há cinco anos.
 
Sim, mas isso se resolve também. O que nos impede fazer?  
 
Agronegócio 
 
Quarto: o complexo industrial do agronegócio. Nós temos o agronegócio, especialmente a agricultura, mais competitiva do mundo, com 40% dos seus custos importados. Não há uma fábrica com contabilidade em real de fertilizante, uma fábrica sequer de agrotóxico com contabilidade em Real, uma fábrica sequer de implementos agrícolas. E máximo de agregação em valor export., que a gente faz sobre a nossa agricultura, é o esmagamento da soja, que já é toda feita por multinacionais. Quer dizer, se você misturar aqui crédito, incentivo fiscal e um esforço de coordenação estratégica do governo com a iniciativa privada, você pode verticalizar para dentro, para fora e para frente. Estou vendo esses quatro [pontos para o crescimento do país e estou detalhando isso aí para ver já o efeito disso no emprego. Mas o mais importante do que isso é o conceito, para isso nós vamos ter que trabalhar com um câmbio que estimule uma cultura de parcimônia, investimento, poupança e produção. 
 
Acesse a entrevista completa de Ciro Gomes em Playlist.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  WSJ: A Exxon costumava ser a empresa mais valiosa da América. O que aconteceu?

35 comentários

  1. É preciso punir o rentismo!

    É preciso punir o rentismo!  Perfeito!

    Tem que privilegiar os trabalhadores e quem tem coragem de investir no trabalho neste país! Os rentistas são a verdadeira classe da VAGABUNDAGEM! Sanguessugas! Sei que sou radical neste assunto, mas na minha opinião, somente o estado deveria ter direito a “vender” dinheiro para poder com isto prover a previdência, saúde e educação!

     

    • MITO  ..rentista é personagem

      MITO  ..rentista é personagem inserido no modelo econômico  ..a ele, precisa sim, se dar segurança e previsibilidade mínimas

      Problema não é o rentista, mas a FURIA com que determinado grupo fez da SELIC um placebo que vendem como tendo efeito sobre a inflação por exemplo

      Do rentista vem parte da poupança  ..e desta a fonte de muito investimento (incluso do Estado)

      ..mas claro  ..não deixe de ver o CUSTO do spread e da intermediação bancária tb  ..custo partido de bancos que TAMBÈM não tem como reaver o calote da sociedade  ..e do ESTADO

    • sou rentista agora…

      Guardei uns trocados por 44 anos de trabalho e, sabendo que a merreca do INSS nunca daria pra viver, uso a renda financeira para me livrar da escravidão do trabalho.

      Você acha que mereço punição por isto?

      Quem fica usando esta qualificação de rentista deveria refletir melhor. Para ter uma renda é preciso ter construído alguma coisa. O que pode ser motivo para condenação é o meio usado para ter algo que traga renda.

      Deveríamos voltar a usar o termo especulador, que fazia muito mais sentido e agora foi transmutado para rentista. Para ser especulador, eu teria que ficar apostanto, e se tivesse acesso privilegiado poderia manipular informação. Trataria de vender meu patrimômio quando estivesse caro e recompra-lo quando barato. Seria um especulador profissional se fizesse isto com o patrimônio que terceiros me confiassem para guardar e produzir-les rendas.

      Acho que está faltando qualificar melhor o crime de cada um.

      •   Você não merece punição,

          Você não merece punição, mas também ninguém irá defender uma SELIC alta só por sua causa.

          Se estivéssemos em 1888 e você tivesse um escravo, fruto de suas economias, nem por isso se justificaria a manutenção da Escravidão.

  2. Ficamos na expectativa de que

    Ficamos na expectativa de que Nassif analise a consistência desse modelo proposto pelo Ciro Gomes. Quem sabe um dia teremos um governo nacionalista, de que participe Nassif, Bresser-Pereira e outros do mesmo nível, empenhados na construção de um Estado de Bem-estar Social.   Ainda dá para sonhar.

  3. Limitado

    Na entrevista da Folha de hoje Ciro Gomes reconheceu os limites do seu poder de fogo. Declarou que não será candidato à presidência se Lula confirmar sua candidatura. 

    • Insistindo numa verborragia

      Insistindo numa verborragia belicista ..CIRO não vai longe

      O maioria do povo quer PAZ (merece)  ..tá de saco cheio de bravateiro e encrenqueiro

      Aqui ele precisa melhorar muito

      Se indignar e ser firme  ..sem pití  ..equilíbrio difícil

  4. É curioso como diante desse

    É curioso como diante desse histórico parte da esquerda ainda tenta desqualificar o Ciro Gomes se prendendo apenas ao jeito autêntico dele…

    Algo que me parece mais reflexo de um incômodo com eles mesmos. Isto é, o incômodo daqueles que levam desaforo pra casa quando encontram e reconhecem alguém que não leva.

    • não leva desaforo  ..e nem

      não leva desaforo  ..e nem VOTO  ..rá

      LULA PAZ e AMOR  ..foi assim que tudo começou a MUDAR  ..e um MITO nasceu

      ..vê se o povo gostou do jeito BRUTO de ser de mama Vana ?!   ..a do governo sexista

      Ou aqui em SP  ..de Rarddad ..Martaxa ou a Erundina

      lugar de brigar é na rinha

       

       

  5. Em comum

    As duas fotos acima do post tem apenas uma coisa em comum: o próprio Ciro Gomes.

    De amarelo, na foto direita, da equipe de Eduardo Campos, aquele que morreu em acidente de avião sem dono

    Hoje, faz parte de um partido que já foi de esquerda, na época do Brizola e hoje deformado por Luppi. Um partido que deu numerosos votos de deputado para o impeachment da Dilma e a totalidade dos senadores do PDT foram golpistas.

    Em qual partido estará amanhã. Qual nova história irá contar, da sua época de tucano?

  6. Cuidado com o cambio  ..
    Fico

    Cuidado com o cambio  ..

    Fico sempre revoltado quando vejo o SALÀRIO PAGO aqui X o preço COBRADO DAQUI X o que é lá fora  ..o dentro das roupas, alimentos, veículos, eletrodomésticos diversos, imóveis, corretagens e comissões, serviços dvs (incluso tarifas públicas), turismo etc etc ..e não falo só em “R$” ou em US$”, falo frente a RENDA das pessoas

    NEM tudo é CAMBIO ..deixe ele “confortável pra industria interna”  ..MAS,  mas não dê concorrência, ou deixe correr solta a INFLAÇÂO contratual via indexação, sem infraestrutura, ou ENCHA o país com imposto regressivo, praças de pedágio pra todo lado, MUNICÌPIOS que não se sustentam, OBRAS publicas superfaturadas e mal fiscalizadas, NABABOS dentro do ESTADO enfim  …e veja a MERDA que dá …VEJA como a população empobrecerá a passos largos e rápidos

    A DESINDEXAÇÃO precisa ser combatida ..a MOEDA preservada no seu mérito ..a ESCALA almejada ..correções contratuais e de tarifas/salários melhor espalhadas no tempo (dois ou mais anos) ..INDICES INFLACIONÀRIOS precisam ser EXPURGADOS de efeitos sazonais  ..cartéis combatidos  ..simples máquinas de consulta nos mercados instaladas  ..EMBALAGENS padronizadas ..ihhh

    A Regulação do Comércio Internacional tem que ser mais ativa pra combater SONEGAÇÂO e déficit de oferta interna

    enfim  ..cuidado com essa PREGUIÇA de se só mexer na taxa de cambio (pra cima, ou pra baixo  ..tantufaz)  ..se só isso o DESASTRE é certo  ..e o povo quem paga

  7. O que o BRASIL precisa pr

    O que o BRASIL precisa pr crescer  ..atacar seu principal cancro

    dou a receita  …é de graça

    Aquele que abate vidas  ..desestimula confinaça e consumo  ..desagrega famílias  ..insufla números NEGATIVOS pra urbanidade, violência esaúde públicas, que inibi a oferta de serviços, ou catapulta a matança de jovens

    ..que numa tacada ajude na previdência, educação, saúde e cidades, segurança, na INDUSTRIA nacional e na geração de empregos também

    por exemplo

    na ERRADICAR das FAVELAS (que NUNCA será uma “comunidade” edificante) ..ou urbanizar aonde der (raros exemplos)

    e atenção  ..não é mais pra investir em carro não  ..forçar o endividamente das famílias que queimaram suas economias e sonhos em objetos efêmeros de consumo (tipo como Mamam VANA Insistiu)

    obs – milhões de moradias terão de ser ofertadas subsidiadas a quem não tem  ..no segundo momento o CONSUMO vem  ..CLARO que tem que ter qualidade  ..e não como MUITAS favelinhas que vi nascer com o MINHA CASA opor todo o páis   ..casas ridiculas de 50 m2  ,,todas grudadinhas, sem muro nem acabamento  ..de qualidade baixa  ..HÀ sim que termos conjuntos habitacionais criativos e de QUALIDADE, com todo infra indo junto

    ve se depois disso não vai ter crescimento  …sei sei

  8. Naquilo que presta (produção
    Naquilo que presta (produção e emprego) o Ciro está léguas a esquerda do PT. O resto é perfumaria…

  9. As maiores virtudes do Ciro Gomes é seu comprometimento com o se

    As maiores virtudes do Ciro Gomes é seu comprometimento com o setor produtivo nacional e ser contra a hegemonia rentista no Banco Central. O seu papel num eventual governo será o mesmo do Lula, ou seja, juntar as principais mentes brasileiras e por em pratica projetos estratégicos nacionais. E isso já é o suficiente para o Ciro Gomes receber nosso voto de confiança.

    O que temos que observar é quem são os intelectuais brasileiros que estão colaborando com o Ciro Gomes. Pensadores como Bresser Pereira, Luiz Gonzaga Belluzzo e Roberto Mangabeira Unger são mentes que provavelmente estariam auxiliando o governo do ex-ministro da integração nacional.

    • Lula deve esclarecer sua relação com Ciro

      Muitos petistas atacam Ciro, como podemos comprovar neste GGN.

      A bem da verdade, seria necessário que o próprio Lula informasse a todos qual foi o papel de Ciro quando da CPI dos Correios. O objetivo dessa CPI – para quem não se lembra – era derrubar Lula da Presidência ou inviabilizar seu governo.

      É bom Lula esclarecer porque escolheu Ciro para defendê-lo e como foi esse embate nos bastidores da política de Brasília. Isso é história e todos devemos conhecer o verdadeiro compromisso dos homens públicos.

  10. Não me convence

    Ciro Gomes fala em todos os meios de Comunicação que Lula pensou que era Deus e caiu do alto, José Dirceu (isso porque ele diz ser amigo), roubou e agora esta pagando e que Dilma é burra ao quadrado. Sinceramente, não sei o que o PT quer atras de Ciro Gomes. Ciro Gomes, além de arrogante em certas situações, é meio inseguro e gosta de se pavonear, como o “seu amigo” FHC.

    • Pois é, falta base popular.

      Pois é, falta base popular. Ciro Gomes acredita em elites e não em participação popular. Só não foi engolido pelas elites porque não teve a responsabilidade.

      A mídia tradicional não está fazendo a caveira dele o que significa que se Ciro fosse eleito, seria bom para os grupos que essa mídia representa.

      A princípios confesso que me deixei levar pelo seu jeitão personalista, violento, “cabra macho”, principalmente porque a violência do Golpe dos Corruptos inspira violência. Alcança corações desejosos de um salvador da pátria. Mas sua ação no atendimento às demandas populares é fundamentalmente na direção oposta ao que propõe o PT: Ciro trabalha de cima para baixo. Parece que com honestidade e lisura mas ainda assim não “empodera” a pessoa comum, o povo, sequestra-çhe a iniciativa, parece…

      • Eu enxergo exatamente ao

        Eu enxergo exatamente ao contrário, quem transigiu com a elite foram os governos Lula e Dilma (verbas publicitárias para a Globo, financiamento do rentismo via juros estratosféricos, afagos ao “mercado” etc). Como que um cara que defende a maior utilização de pebiscitos e referendos não acredita em participação popular?!

  11. E o mercado  e a mídia

    E o mercado  e a mídia financeira parece que se deram  conta do mal que a Lava Jato faz para o país…..Ou melhor, eles sempre

    souberam disso, apenas que agora é conveniente pro mercado que a volúpia  do MP e PF seja esfriada…..

    Com a Lava Jato, Brasil colocou as empresas de joelhos e prejudicou a
      competição, diz economista
    Em entrevista ao InfoMoney, Felipe Rezende diz que medidas adotadas pelo
    país desconsideram recomendações da literatura internacional e
    agravam crise no setor privado

    http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/6279371/com-lava-jato-brasil-colocou-empresas-joelhos-prejudicou-competicao-diz

    SÃO PAULO – A persistência do quadro de depressão econômica, a crise de alavancagem do setor
    privado e os desdobramentos da Lava Jato colocaram as empresas nacionais
    em um cenário de grandes dificuldades, agravado pela perspectiva de
    competir em desvantagem com grupos estrangeiros. Na avaliação do
    economista, pesquisador e professor-associado da Hobart and William
    Smith Colleges, nos Estados Unidos, Felipe Rezende, o
    Brasil temadotado medidas pouco convencionais na apuração dos ilícitos em casos
    como o /petrolão/. Para ele, há um descuido com a saúde das companhias
    brasileiras, que deve trazer consequências severas à economia no longo prazo.

    “No caso brasileiro, ao contrário do que recomenda a literatura
    internacional em situações de crime de colarinho branco, as empresas
    acabaram penalizadas e não houve um plano de resolução. Colocou-se as
    empresas de joelhos e enterrou-se a capacidade econômica de continuar. E
    aí, ficamos nesse cenário de competição praticamente inexistente. Somado
    à crise em que a economia brasileira está inserida e com essa operação,
    você praticamente inviabiliza a participação dessas empresas em
    processos de licitação concessão e privatização de forma mais ampla. É
    um caso bem atípico de resposta à crise”, afirmou em entrevista ao
    *InfoMoney*.

    “A participação do PIB (Produto Interno Bruto) do setor industrial brasileiro caiu muito. Com a
    Lava Jato, então, fica difícil até para que eles comecem a gritar.
    Antes, eles estão tentando sobreviver”, complementou
    Rezende. Engrossando o coro daqueles que apontam para os prejuízos
    sofridos por setores inteiros da economia, o economista compara o que
    está sendo feito no Brasil com situações vividas em outros países, como
    os próprios Estados Unidos. “Na década de 80, houve uma onda de fraudes
    muito forte nascooperativas  decrédito e bancos que
    basicamente financiavam o mercado imobiliário americano. Naquele
    momento, houve mais de mil condenações só de executivos dos cargos mais
    importantes. Na área corporativa, houve casos como Enron. Normalmente, o
    que se faz é retirar a administração, punir os responsáveis por essescrimes , mas a instituição
    acaba sendo saneada e consegue voltar às suas operações cotidianas”, disse.

    O atraso nos acordos de leniência e a proliferação de processos contra
    empresas brasileiras pelo exterior têm contribuído para que o
    sangramento de parcela importante do setor privado nacional não seja
    estancado. “Todo o esforço que se teve para que as empresas brasileiras
    tenham uma posição de destaque acabou retraindo. Não se deve penalizar a
    empresa, mas os funcionários envolvidos”, defendeu. Para Rezende, o
    governo  não adotoumedidas para recuperar a situação das empresas. “Como a situação se
    deteriorou de tal forma, a única opção acabou sendo o investidor
    estrangeiro. Ou você adota políticas ou você acaba entregando tudo para
    quem tem um balanço mais robusto. Neste caso, o investidor estrangeiro,
    que é o que sobra”, observou. “O investidor estrangeiro tem um poder de
    negociação muito forte com o governo brasileiro, porque o governo
    decidiu atar as próprias mãos; ele pode exigir basicamente qualquer tipo
    de coisa para entrar no país. É exatamente esse jogo que estão fazendo
    agora, e estão fazendo muito bem”.

    Com o impedimento de empresas investigadas de contratar com o governo,
    além de medidas recentes como a MP da relicitação ou até o decreto
    8.957/2017 , que coloca os bancos públicos à disposição de mais empresas estrangeiras, a situação
    do setor privado brasileiro mostra que o pior ainda pode não ter
    passado. Em meio a um cenário tão adverso, Rezende já vem alertando para
    uma correção natural da crise de alavancagem em curso: não seria
    surpresa observar uma intensificação no processo de transferência de
    controle de empresas endividadas brasileiras por companhias estrangeiras
    em melhor situação de caixa.

    Felipe Rezende
    // Ler matéria completa //
     

  12. Esse Ciro é uma especie de

    Esse Ciro é uma especie de Dilma ao contrario.

    Ela apanhava calada.

    Ele sai brigando antes de ser atacado, fala demais.

    “Vou receber a policia a bala”, se disse isso mesmo, trata-se de um trem desgovernado.

    O povo vai votar em alguem que recebe a policia a bala?

    Alem disso seria dificil confiar em alguem que se diz grande amigo de um aecio, de um tasso.

    Com esse a oposição não emplaca.

  13. Mais opiniões sobre o homi….

    “Não vejo entre os “direitistas” brasileiros NINGUÉM capacitado para enfrentar o Ciro Gomes num debate. Se conseguirem negociar com ele já devem se dar por muito satisfeitos, depois de toda a capacidade que demonstraram para destruir as suas próprias conquistas.

    Só um brasileiro pode foder com a candidatura Ciro Gomes: o Lula. Ele já fez isso no passado e pode fazer de novo. A mania de posar de fiel esquerdista — coisa que no fundo ele nem é — é o calcanhar-de-Aquiles do ex-governador do Ceará. Só que, desta vez, se em nome da unidade da esquerda ele engolir mais um sapo, será o sapo definitivo.” (Olavo de Carvalho)

  14. só fala

    É o mesmo Ciro Gomes de sempre. Fala, fala, até que caga por encantamento com o próprio discurso.

    Nada do que prescreve difere fundamentalmente do que o PT executou na prática. é um aproveitador de ideias que já foram usadas.

    Brizola era velho para 1989. Ciro quer ser o Brizola de antes de 1989.

    • “Nada do que prescreve difere

      “Nada do que prescreve difere fundamentalmente do que o PT executou na prática. é um aproveitador de ideias que já foram usadas.”

      Primário o nível de falácia dos que tentam desqualificar o Ciro… O Cara tem um histórico de realizações notáveis como gestor público (foi prefeito e governador, se esqueceu?) muito antes do PT ter chegado ao poder e ai me vem com essa.

       

  15. Lula: diga quem é Ciro

    Muitos petistas atacam Ciro, como podemos comprovar neste GGN.

    A bem da verdade, seria necessário que o próprio Lula informasse a todos qual foi o papel de Ciro quando da CPI dos Correios. O objetivo daquela CPI – para quem não se lembra – era derrubar Lula da Presidência ou inviabilizar seu governo. Se tivessem obtido sucesso, Lula não teria feito o excelente governo que fez.

    É bom Lula esclarecer porque escolheu Ciro para defendê-lo e como foi esse embate nos bastidores da política de Brasília. Isso é história e todos devemos conhecer os fatos e o verdadeiro compromisso dos homens públicos nas situações de grave crise.

    • Se eu estivesse sendo

      Se eu estivesse sendo atacado, como foi o Lula,escolheria tambem um Ciro para me defender.

      Para dar porrada ele é campeão.

      Mas ser presidente de um pais complexo como o Brasil exige muitas outras qualidades, inclusive engolir sapos em muitos situações.

      Essa historia de “cabra macho” entusiasma alguns, mas não todos. O Brasil esta meio cansado disso.

      Ja tivemos um com “aquilo roxo” e deu no que deu.

      A valentia não foi suficiente para salva-lo dos malandros de Brasilia.

      Não nego sua inteligencia, capacidade, como fico imensamente feliz assistindo Ciro desancar com um temer com aquela violencia.

      Na eleição, se não houver outro para competir com tucanos ou bolsonaros, votarei e farei campanha para ele, mesmo sabendo que com suas atitudes agressivas ficara no poder tanto quanto o outro “cabra macho, daquilo roxo”..

  16. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome