Poema O Papa na JMJ

Por Edmar Melo.

O PAPA  NA  JMJ

 

A Jornada Mundial

Ocorrida no Brasil

Da juventude e o Papa

Foi adrenalina a mil

Vez que o Papa Francisco

Resolveu correr o risco

De ser humilde e gentil.

 

Falou Sua Santidade

Não trazer ouro nem prata

Mas declarou trazer Cristo

E isso pra nós já basta

Defendeu simplicidade

E falou com humildade

O que levava na pasta.

 

Tirou foto com a polícia

Demonstrando destemor

Posou com Renan Calheiros

E sequer ninguém vaiou

Por não está convencido

Perguntou por Amarildo

Ao próprio governador.

 

Baixou o vidro do carro

Pra ter contato com o povo

Subiu escada no pique

Parecendo ser mais novo

Visitou pobre em favela

Andou em beco e viela

Comeu sanduba de ovo.

 

Fez o povo brasileiro

Aplaudir um argentino

Abençoou no geral

Homem, mulher e menino

E no trânsito engarrafado

Não foi sequer assaltado

Seguiu normal seu destino.

 

Dispensou o Papa Móvel

Do início a despedida

E sem ter carro blindado

Teve a vida protegida

Não foi alvo de assalto

E no morro e no asfalto

Não sofreu bala perdida.

 

Pense num Papa de sorte

De corpo todo fechado

Se abraça até com político

Sem medo de ser roubado

Falou que aceita gay

E não posou com Sarney

Porque estava internado.

 

            Edmar Melo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome