Micro e pequenas empresas faturam 11,9% menos em agosto

Jornal GGN – O fraco nível da atividade econômica derrubou os resultados das micro e pequenas empresas (MPEs) paulistas em agosto: dados apurados pelo Sebrae-SP mostram que o faturamento real (já descontada a inflação) caiu 11,9% quando comparado com o mesmo mês de 2014. A receita total das MPEs em agosto foi de R$ 46,2 bilhões, o que representa R$ 6,2 bilhões a menos do que em agosto de 2014. A queda acumulada desde janeiro é de 11,2% em relação a igual período do ano passado.

No período de janeiro a agosto, as MPEs do Estado de São Paulo apresentaram aumento de 1,7% no total de pessoal ocupado (sócios-proprietários, familiares, empregados e terceirizados) sobre o acumulado dos oito primeiros meses de 2014. Em igual período, a folha de salários paga pelas MPEs registrou queda real de 1,3% e o rendimento médio dos empregados diminuiu 1,7%.

Na análise por setores, todos os números ficam no campo negativo: a indústria teve redução de 11% no faturamento em agosto ante o mesmo mês de 2014; o comércio apresentou queda de 3,8%. O resultado dos serviços foi o que mais chamou atenção, ao despencar 20,3% no período, consequência da diminuição da demanda do segmento de serviços prestados a empresas. Trata-se da maior queda para a receita das MPEs de serviços sobre o mesmo mês do ano anterior desde maio de 2002. Naquele ano, a economia saía de um de racionamento de energia elétrica e passava por um período de incerteza, sofrendo os efeitos da valorização do dólar, após a moratória argentina.

A fraca base de comparação afetou a avaliação dos dados do comércio: em agosto de 2014 as MPEs do setor tiveram queda de 16,6% na receita sobre agosto de 2013. “Estamos diante de um quadro crítico, com aumento do desemprego, queda no rendimento de quem ainda está empregado e piora das perspectivas quanto ao futuro da economia do País”, afirma o diretor superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano, em nota.

As MPEs do município de São Paulo foram as que mais sentiram a crise, com queda de 22,3% no faturamento em agosto sobre o mesmo mês de 2014. Na Região Metropolitana de São Paulo a receita das MPEs caiu 16,6% no período. No Grande ABC e no interior, a situação não foi muito diferente, com redução de 11,7% e 6,8%, respectivamente, no indicador no mesmo período.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome