Poupança tem volume recorde de retiradas no semestre

Recessão e rentabilidade baixa afastam investidores
 
Jornal GGN – Os saques efetuados na caderneta de poupança superaram os depósitos em R$ 42,606 bilhões ao longo do primeiro semestre deste ano, segundo dados divulgados pelo Banco central. O resultado é o pior para o período na série histórica, iniciada em 1995. A retirada líquida (descontados depósitos) supera o resultado também negativo registrado no primeiro semestre de 2015, quando ficou em R$ 38,541 bilhões.
 
A retirada líquida registrada em junho ficou em R$ 3,718 bilhões. Os saques da poupança somaram R$ 164,962 bilhões em junho e R$ 984,443 bilhões no primeiro semestre, superando os depósitos, que alcançaram R$ 161,244 bilhões e R$ 941,837 bilhões, respectivamente. O saldo total nas contas chegou a R$ 638,223 bilhões em junho, enquanto os rendimentos creditados nas cadernetas dos investidores atingiu R$ 4,076 bilhões no mês passado.
 
A poupança tem registrado retirada expressiva de recursos. Desde janeiro do ano passado, o único mês em que foi registrado resultado positivo (mais depósitos do que saques) foi em dezembro de 2015 (R$ 4,789 bilhões). Além disso, outras aplicações mostram-se mais atrativas por conta dos juros elevados, e fatores como desemprego e crise financeira levaram investidores a reduzirem o volume aplicado ou a retirarem maiores quantias.
 
 
 
(com Agência Brasil)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Depreciação da Moeda Nacional e Risco de Dolarização, por Fernando Nogueira da Costa

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome