47 anos do álbum “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”

Por Tamára Baranov – Rio Claro/SP

No dia 01 de junho de 1967 os Beatles lançaram o álbum ‘Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band’, um dos mais aclamados álbuns da história do rock. Gravado em uma época de psicodelismo e experimentação, o álbum, produzido por George Martin, é considerado inovador desde sua técnica de gravação até a elaboração da capa. ‘Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band’ é o oitavo álbum lançado pela banda e foi gravado em 129 dias na época em que a Beatlemania estava em declínio devido às declarações de John Lennon dizendo que os Beatles eram mais populares que Jesus Cristo. Para os críticos, isso significaria o fim da banda.

Retirando-se das turnês, pela primeira vez na carreira eles tiveram tempo de se dedicar mais ao álbum. Os integrantes da banda tinham desenvolvido outros interesses musicais e começaram a incorporar uma variedade de influências e familiarizando-se com novos instrumentos, como o órgão Hammond e o piano elétrico; e  com vários instrumentos de cordas, de sopro, de percussão e alguns instrumentos exóticos como a sitar. Os Beatles também usaram o efeito do novo pedal wah-wah e da fuzzbox; aumentavam a velocidade de vozes e instrumentos com os microfones Leslie.

As velhas regras de composição estavam sendo abandonadas, as canções tinham um complexo tema lírico e tornavam-se mais longas. Um ano antes, em maio de 1966, ‘The Beach Boys’ liderado por Brian Wilson lançou o ‘Pet Sounds, um álbum com experimentalismo e sofisticação jamais feito no rock e no pop até então, levando os Beatles a se inspirarem em fazer um disco à altura em 1967, realizando o ‘Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band’.

A rivalidade musical entre os dois grupos remonta para bem antes de ‘Pet Sounds’ e ‘Sgt Peppers’ ou ‘Revolver’, sendo que os ‘Beach Boys’ já estavam trabalhando com experimentações intensas, como seus dois discos de 1965 que influenciaram o ‘Revolver’. Outra grande influência para o álbum foi Syd Barrett, então líder do Pink Floyd, que estava inovando a forma de fazer música na Inglaterra com o estilo psicodélico e experimental ainda mais radical do que os ‘Beach Boys’, com letras mais elaboradas e tendo como tema a fantasia, astronomia, filosofia e principalmente a literatura infantil. A influência das letras de Barrett já é sentida no ‘Revolver’, mas com menos intensidade.

Várias canções do álbum, com letras influenciadas por drogas, levou a BBC a vetá-las, assim tornando-as proibidas de serem tocadas. A BBC baniu a canção “A Day in The Life”, alegando que poderia “incentivar uma atitude permissiva para consumo de drogas”. Lennon e McCartney negaram que a canção foi feita sobre qualquer tipo de droga, alegando que a letra se tratava de um sonho. A canção “Lucy in the Sky with Diamonds” também se tornou alvo de especulações quanto ao seu significado. Mais uma vez, John Lennon negou que a letra fosse sobre LSD. Após a polêmica diminuir, passados anos desde o lançamento do álbum, Paul McCartney confirmou em várias outras oportunidades que a música de fato era sobre LSD e que o álbum teve grande e importante influência das drogas.

Sgt. Pepper não só se destacou por sua música, mas pelo conceito e pela capa feita com uma fotografia de Michael Cooper com os quatro Beatles vestidos como sargentos diante de uma colagem feita por Peter Blake com vários rostos de pessoas célebres, entre os quais Marilyn Monroe, Marlon Brando, Bob Dylan, Cassius Clay, D.H. Lawrence, Aleister Crowley e até Shirley Temple. Também apareceriam Karl Marx, Gandhi, Hitler eJesus Cristo, mas estes foram deixados de fora. Jesus Cristo não foi incluído por causa da declaração um ano antes de John dizendo que os Beatles eram mais populares que Jesus Cristo, Gandhi foi retirado por receio da gravadora em ofender o mercado indiano.

Para evitar processos a gravadora pediu autorização às personalidades. O ator Leo Gorcey teve sua imagem retirada por pedir um pagamento pelo uso da sua imagem. O rosto do ator mexicano Germán Valdés “Tin Tan”(irmão do também consagrado ator Ramón Valdés, o Seu Madruga do seriado Chaves) aparecia na capa, mas ele se não autorizou sua exibição na última hora, enviando em seu lugar uma árvore da vida de Metepec (planta tradicional mexicana) que aparece em canto da fotografia. Em 2007, o jornal britânico ‘The Independent On Sunday’ afirma que o ditador nazista Adolf Hitler estaria escondido na capa, aparecendo em parte entre o baterista Ringo Starr e o atleta e ator Johnny Weissmuller.

Muitos acreditaram que a capa continha uma mensagem oculta sobre a suposta morte de Paul McCartney, já que na parte inferior deles parece haver uma tumba adornada com flores e um contrabaixo (também feito de flores) e com três cordas apenas, o que significaria que faltava um Beatle.

Sobre as canções

O disco começa com o ruído proveniente de um público espectador, que antecede os primeiros riffs de guitarra elétrica ao estilo hard rock da canção que dá título ao disco, Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band.

Depois desse tema, sem pausas nem silêncios, começa “With a Little Help from My Friends“, cantada pelo baterista Ringo Starr. Antes da canção começar só se ouve um coro apresentando Billy Shears, referindo-se a um sósia de Paul McCartney que teoricamente teria tomado o lugar do Beatle após um acidente fatal de automóvel. Ringo começa então a cantar “With a Little Help from My Friends”, de autoria de Paul McCartney com colaboração de John na letra. “With A Little Help From My Friends”  tornar-se-ia a número 1 nas paradas de sucesso em uma regravação com Joe Cocker um ano mais tarde.

Lucy in the Sky with Diamonds“, de John Lennon, sofreu especulação que suas iniciais – LSD – seriam em referência à droga que os Beatles consumiam, ainda que John tenha desmentido isto, alegando que o título aludia a um desenho de seu filho. A psicodélica melodia foi alterada ao extremo que se pensa que cada nota está com uma velocidade superior ou inferior à anterior. Devido a suposta menção às drogas, a faixa foi banida pela BBC. Na época John e George Harrison já haviam experimentado LSD, mas em julho de 1967 Paul declarou na imprensa que também havia experimentado a droga. Em 2004, Paul McCartney disse em uma entrevista que “Lucy In The Sky With Diamonds” realmente era sobre LSD.

Getting Better” é outro tema que mudaria as estruturas básicas do rock para transformá-las em algo totalmente novo. Com sua constante guitarra, este tema é um canto à felicidade e à esperança de mudança. Neste título se evidencia, na letra, o contraste das atitudes de Lennon e McCartney. Segundo os Beatles mesmos, “Getting Better” era uma frase muito repetida por Jimmy Nicol, o baterista que uma vez substituiu Ringo Starr em uma turnê.

Fixing a Hole” parece ter sido influenciada pela época dos anos 20 ou 30, ainda que possuísse também algo inovador, como a combinação de guitarras e teclado e a capacidade de McCartney de alternar entre harmonias. Esta canção foi apontada como uma referência ao uso deheroína, o que nunca foi confirmado.

She’s Leaving Home“, uma bela peça musical, contou com o uso de cordas clássicas e harpas, na dor de uma jovem que abandona seu lar. É comparada por muitos críticos com grandes obras da música clássica. Dizem que a ideia de compô-la surgiu de uma notícia que contava a história de uma jovem que fugiu de seu lar para poder viver com seu namorado, mas esta verdadeira história não durou muito tempo já que a jovem voltou para casa na semana seguinte. Na canção, John e Paul cantam acompanhados por músicos de estúdio. Os arranjos da canção não foram feitos por George Martin, o produtor dos Beatles. Segundo Paul, ele havia procurado George para fazer os arranjos, mas como este estava muito ocupado, Paul acabou chamando Mike Leander, o que ocasionou um certo aborrecimento em George Martin na época.

O som da seguinte canção, “Being for the Benefit of Mr. Kite!“, remete a um grande circo, com clavicordes, órgãos, uma bateria hipnótica, voz nasal e fria de Lennon, com possivelmente uma das melhores atmosferas jamais criadas por um produtor. Esta canção, escrita por John, foi inspirada em um cartaz de um circo de 1843.

Within You Without You” é ao estilo hindu de autoria de George Harrison, com sua sitar e acompanhamento de violinos com escalas orientais enquanto com sua voz nos fala de Deus, das pessoas e de amor. Só há a participação do próprio autor na gravação. Ela é acompanhada por músicos indianos e é baseada na música de Ravi Shankar. Foi a única composição de George a entrar no disco; ele também compôs e gravou “Only A Northern Song”, que acabou ficando de fora e entrando no disco Yellow Submarine

When I’m Sixty-Four“, uma obra típica de McCartney, mostra uma história sobre o amor eterno, com ar de cabaret, devido ao uso de clarinetes, que a faz única e inconfundível, sem deixar de ser puramente ingênua. Esta canção foi escrita por McCartney na sua adolescência. Foi a primeira faixa a ser gravada para o disco.

Lovely Rita” é um pop renovado em contraste com a canção anterior, com excelentes pianos e vozes de McCartney e Lennon. Conta a história de Rita, uma “Meter Maid” (controladora de parquímetros). Este tema contém uma misteriosa mensagem aludindo a suposta morte de Paul McCartney. A lenda da morte do músico dizia que ele havia morrido em um acidente de carro (por isso muitas de suas canções fazem alusão a este dia e esta data), não notando que as luzes do semáforo mudaram por estar olhando para uma inspetora de parquímetros (em inglês, Meter Maid). Esta mensagem encontra-se, supostamente, na última canção do álbum, ainda que realmente não se saiba ao certo sobre a lenda da morte de McCartney e sua substituição por William Campbell (de nome artístico Billy Shears).

Good Morning Good Morning” começa com um galo cantando anunciando o amanhecer, para dar lugar a uma canção um tanto rara e acelerada. Foi idealizada por Lennon a partir de um aviso de cereais de milhoKellogg’s, uma conhecida marca identificada por um galo. No final foram incorporados uma série de ruídos de animais que aparentemente comem uns aos outros. O solo da canção foi feito por McCartney, e sua guitarra usada foi uma Fender Esquire. O solo possui características de hard rock e heavy metal, devido a sua rapidez e peso. Com o ruído do galo passa-se à canção seguinte.

Quase chegando ao final, a “Reprise” da primeira canção tem basicamente seu mesmo ritmo, ainda que um pouco mais rápida, somando-se uma guitarra que a faz inconfundível e mantém um ritmo hard rock.

Para terminar: “A Day in the Life“, uma obra de arte criada tanto por Lennon como por McCartney, baseado em uma colagem de notícias tomadas de um jornal e suas respectivas reflexões na voz nasal e sonhadora de John, permitindo-lhe fazer uma visão crítica muito especial do que se descreve na canção. Todo em um meio difuso e quase acústico, que se vai sumindo pouco a pouco e ressurge em um ascendente ruído sinfônico até chegar às notas mais agudas possíveis para quebrar em um pedaço cantado e escrito por Paul McCartney. O relógio soa para sinalizar que esta divisão não é acidental. Sua função era avisar a Paul quando deveria começar cantar. A quantidade de instrumentos era tal que a gravação foi superposta quatro vezes com leves diferenças de tempo. Desta forma parecia uma orquesta de 160 instrumentos. O resultado final soa como uma aterrissagem de um voo, cortada subitamente por um relógio despertador. (Fonte: Wikipédia)

 

http://www.youtube.com/watch?v=Qh4PNzcqHD0

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome