70 anos de prisão: PF usa enquadramento penal para pressionar hacker

Segundo O Globo, a PF quer que hacker seja condenado por cada invasão em conta de Telegram, descartando tese do "crime continuado"

Jornal GGN – Para pressionar o hacker Walter Delgatti a contar mais detalhes e revelar mais vítimas de invasões em contas de Telegram, a Polícia Federal ameaça imputar ao suspeito mais de 70 anos de prisão.

Segundo O Globo, a ideia da PF é sugerir que o hacker seja condenado por cada um dos ataques a celulares de autoridades. Até agora ele já confessou 14, mas os investigadores têm indícios de que foram mais de 1 mil números invadidos.

Considerando as 14 vítimas, “a soma das penas máximas a ser aplicadas por interceptação de comunicação chegaria a 56 anos. O artigo 10 da Lei n° 9.296/96 prevê reclusão de dois a quatro anos para quem interceptação de comunicação ilegalmente. As invasões de dispositivos de informática, que podem ser punidas com até um ano de prisão, resultariam em mais 14 anos de cadeia. Só por estes dois crimes, a pena poderia bater à casa dos 70 anos. O hacker, porém, disse ter acessado aparelhos de ‘procuradores’ do Rio de Janeiro e da Operação Greenfield, que ocorre em Brasília”, descreveu O Globo.

Cabe ao Ministério Público, após a apuração da PF, pedir à Justiça o enquadramento penal.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora