A construção forçada da imagem de Paulo Hartung, por Luis Nassif

Artigo no Estadão produziu um libelo em defesa da gestão Paulo Hartung, no Espirito Santo, que é uma belíssima lição sobre como utilizar de forma torta indicadores de desempenho.

A economista Ana Carla Abrão tem uma coluna no Estadão onde se especializou em subordinar as análises econômicas à partidarização mais estreita. Nas eleições, escreveu um artigo de boa repercussão, dando um “carteiraço” em Fernando Haddad, se dizendo mais capacitada por ter um doutorado de economia contra um mestrado de Haddad.

Me lembra uma conversa do banqueiro Walther Moreira Salles com seu ex-funcionário Marcílio Marques Moreira.

Nomeado Ministro da Fazenda de Fernando Collor, Marcilio comentou com Walther:

– Dr. Walther, temos a mesma carreira. Fomos embaixadores em Washington e, depois, Ministro da Fazenda.

E Walther:

– É mesmo, Marcílio. Agora só falta você fazer um banco.

Agora, no Estadão produziu um libelo em defesa da gestão Paulo Hartung, no Espirito Santo, que é uma belíssima lição sobre como utilizar de forma torta indicadores de desempenho.

Ponto 1 – o modelo fiscal de Paulo Hartung

Abrão saúda o fato do Espírito Santo, com Paulo Hartung, ter conquistado Nota A da Secretaria do Tesouro Nacional. Hartung governou de 2015 a 2018.  O Espírito Santo é Nota A desde 2012, gestão de Renato Casagrande, antecessor e sucessor de Hartung. É o mesmo que Sérgio Moro se apropriando de uma queda da criminalidade que se iniciou anos atrás, por mérito de políticas estaduais.

Ponto 2 – os projetos-vitrine não universais

Menciona o 1º lugar que o estado recebeu no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) em 2017 atribuindo-o à Escola Viva, um modelo de escola em tempo integral inaugurada por Hartung.

Leia também:  Fora de Pauta

Há apenas 36 escolas em tempo integral, em uma rede de 450 escolas estaduais.

Hartung não aplicou o mínimo constitucional de 25% do orçamento em Educação, resultando em perda de R$ 4 bilhões nos últimos quatro anos.

Esse corte provocou o fechamento de 4 mil a 6 mil salas, especialmente as classes noturnas e a Educação de Jovens e Adultos (EJA), justamente os setores mais carentes. Como consequência, houve a evasão de 60 mil jovens e crianças em idade escolar, que não estão matriculadas em nenhuma escola, um aumento de 50% no número de alunos fora da rede escolar. Melhorou a estatística e não cumpriu com suas responsabilidades públicas.

Além disso, a Escola Viva custa mais de três vezes que uma escola convencional, e um mal planejamento do governo Hartung fez com que trabalhasse em alguns casos com mais de 50% de ociosidade.

Ponto 3 – responsabilidade fiscal e social

Sem conhecimento sobre a realidade social do Estado, Abrão repete a versão de que, com gestão, Hartung conseguiu equilibrar responsabilidade fiscal e políticas sociais.

Neste link, dados sobre a deterioração dos serviços públicos na gestão Hartung, devido à fixação do superávit fiscal como meta única.

https://jornalggn.com.br/crise/o-falso-sucesso-da-gestao-paulo-hartung-no-espirito-santo/

Houve uma paralisia dos serviços públicos, culminando com a queda na fiscalização da Receita, o que resultou em aumento substancial da sonegação.

Ao lado da depreciação dos ativos públicos, com os cortes nos investimentos, Hartung procedeu a uma ampla e pouco transparente distribuição de incentivos fiscais.

Ponto 4 – a segurança pública

O ponto central do fracasso das políticas públicas de Hartung foi a greve da Polícia.

Leia também:  A foto da "arminha" de Bolsonaro contra Moro e os dois demônios, por Laurindo Lalo Leal Filho  

Para Abrão, as greves, que espocaram pelo país afora, eram movimentos criminosos para aumentos de salários.

Aqui, um apanhado de que, ao contrário do que sustenta Abrão, Hartung sacrificou os serviços públicos, incluindo a segurança, em nome de um ajuste fiscal duvidoso.

https://jornalggn.com.br/gestao/xadrez-de-paulo-hartung-o-governador-que-soube-se-blindar/

A greve dos policiais decorreu da falta de salários, de recursos básicos e de diálogo. No entanto, Abrão classifica a reação de Hartung, criminalizando a greve, como heroica, trata a greve como atitude criminosa para melhorar salários. E critica acerbamente a anistia concedida a 2.600 policiais pelo novo governador.

Sua dose de preconceito é similar às peças mais folclóricas do bolsonarismo, como o Ministro da Educação, o inacreditável Abraham Weintraub. Diz que universidades públicas se prestam mais à politicagem do que à educação.

Infelizmente, o bolsonarismo não é um fenômeno restrito à base da pirâmide. E o opinionismo de pratos feitos não é apenas jogadas de rede social.

Ana é filha de Irapuan Costa Junior, interventor de Goiás no período militar, e de Luvia Vânia, pessoa forte do governo Marconi Perillo, do PSDB.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Nassif, Sou capixaba e afirmo que tudo o que vocês escreveu é a mais pura verdade. Mas você não falou da ENORME corrupção do governo Hartung. Este sujeito é o típico tucano emplumado: muita propaganda e compre da imprensa amiga e pouca ação efetiva. Desistiu da reeleição em 2016 quando percebeu que tomaria uma surra. Esta pseudo economista do estadão é uma pena alugada que trabalha em um jornal prostituto.

Jossimar

15 comentários

  1. Eles costumavam fazer esse tipo de elogio rasgado também a Aécio. A mídia empresarial é fomentadora de corruptos e ditadores.

    11
  2. Ana Carla Abrãao é uma das estrelas GLOBONEWS, arroz de festa do neoliberalismo de vitrine, tem
    seu par em Samuel Pessoa, que tem a Australia como modelo de cambio para o Brasil.

  3. Construção de mitos com pés de barro, mas isso já não é pra incrementar a candidatura do apresentador narigudo??

    E estão todos esperando que Lula ganhe o ig-nobel….a Times já o tirou da disputa….os velhinhos europeus nunca afrontam o grande irmão do norte, aliás, quando interessou a ele, nomearam terrorista e presidente assassino…..gostam mais de nomes exóticos, e preferem ativistas sociais, não políticos…..se Lula ainda se chamasse Louis Ignatius Lulla Lulla Sylvva……..a ver…..

  4. Nassif,
    Sou capixaba e afirmo que tudo o que vocês escreveu é a mais pura verdade.
    Mas você não falou da ENORME corrupção do governo Hartung. Este sujeito é o típico tucano emplumado: muita propaganda e compre da imprensa amiga e pouca ação efetiva.
    Desistiu da reeleição em 2016 quando percebeu que tomaria uma surra.
    Esta pseudo economista do estadão é uma pena alugada que trabalha em um jornal prostituto.

  5. Ameaçou despontar um candidato? O Nassif vai lá e metralha! Conheço o Espírito Santo, está muito à frente do RJ, por exemplo.

  6. Eh, Nassif…Nunca é demais lembrar: o bolsonarismo é RESULTADO dessa propaganda pretensamente “liberal” dos “mercados”, jornais e revistas, rádio e TV.

    O boçalao 00 está aí há 30 anos, falando de Cuba e tiro. Porem, antes defendia o legado “estatizante” dos militares, um certo nacionalismo, etc. Era relegado ao baixo clero…

    Poucos compreenderam (até agora!) o movimento dele ao encontro dos “liberais”. Se entreolharam, e viram que são gêmeos, que foram separados na maternidade. Igualzinho ao Roberto Campos: defendia o planejamento, colaborou com ditadura…afinal, o planejamento, o “capitalismo de estado”, era o adversário a altura, “o que tinha” contra a esquerda na época. Depois de vencida a batalha contra “os esquerdistas”, veio fazer “autocritica”: que o planejamento não presta, etc; o “liberalismo” é que é “bão”…

  7. 1. Hartung governou de 2003 a 2010 e de 2015 a 2018. 2. Luis Paulo Veloso Lucas nunca foi governador do Estado. 3. Hartung conseguiu um superavit fiscal às custas da antecipação dos royalties pela União, no primeiro governo Lula, e de um arrocho salarial sem precedentes. 4. Hartung fez grandes concessões ao Judiciário, à Assembleia Legislativa, ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público

  8. Prezado Nassif, desde que a imprensa é imprensa é assim! E ainda bem que temos Jornalistas como você, Bob Fernandes e tantos outros, que fazem esse trabalho fundamental de apontar a desonestidade, o partidarismo, as perseguições a esse ou aquele etc. Ontem ainda conversava com um ex-jornalista da Folha. Eles admitem erros e tal, mas ao final e cabo, acham que Lula esta preso porque merece… “Tem dias que eu fico pensando na vida e, sinceramente, não vejo saida”.

  9. É elogio demais para um governo que nada fez. Lançou em 2012 o BRT com faixas exclusivas para ônibus e embarque pela esquerda, desistiram e em 2019 ainda não conseguiram inaugurar a primeira obra, av. Leitão da Silva, sem faixas exclusivas.
    Lançou o Cais das Artes que é um esqueleto há tempos.
    Só economizou durante 4 anos.
    A educação no ES tem elevados índices por existirem 22 unidades do Instituto Federal (IFES), com as melhores notas do Enem no Estado.

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome