A direita vê esvaziado o seu discurso (somente o discurso, a ação não).

Para se verificar início de tendências políticas é necessário estar atento a determinados movimentos sutis, mas que ocorrem em massa, por exemplo, uma pessoa que segue mais mídias eletrônicas mais colocadas num padrão de esquerda o importante não é a leitura dos artigos, mas sim a qualidade dos mesmos e principalmente os comentários que são feitos sobre estes artigos.

Caso alguém tiver um olhar atento ao indicado acima, verá que a discussão política e social começa a se inverter pouco a pouco nestes dois aspectos, tanto artigos de jornais eletrônicos, vídeos, blogs ou vlogs começam a perder espaço vozes mais dissonantes de críticas de partidos e pessoas de orientação pequeno burguesa começam a ser substituídas por discursos mais articulados mais coerentes e com uma orientação mais à esquerda que algum tempo atrás.

Não podemos simplesmente dizer que a esquerda está ocupando o espaço, mas sim que várias pessoas de tendência de centro que estavam totalmente a direita, começam a retomar a sua posição habitual, nunca no Brasil, exceto em momentos excepcionais, o discurso claramente de esquerda passou de poucas dezenas de valores percentuais, e mesmo que uma quantidade notável de pessoas comecem a aceitar algo mais progressista somente se o processo político evoluir muito para se chegar a 50%, e isto ainda se está muito longe.

Se a análise for restrita ao Brasil, pode-se cair num sério erro, logo é necessário analisar com cuidado o que está ocorrendo em outros países do primeiro mundo, olhando principalmente para a Europa, há fortes indícios que primeiro o discurso liberal está rapidamente se esvaziando, caindo parte da população para movimentos nacionalistas, que poderão ser de direita, como na Alemanha, ou mais indeterminado como na Catalunha. Na França claramente a farsa do partido socialista francês foi golpeada fortemente e abriu possibilidade para uma direita liberal como Macron que mais rápido do que se pensava está se deteriorando.

Na verdade, o que se vê que o sólido liberalismo que invadia todo o velho continente está fazendo água em todos os pontos, e análogo ao processo brasileiro fica claro que tanto a esquerda mais ideológica como a direita fascista ocupam os espaços deixados. Trump nos USA foi um exemplo de um processo do mesmo tipo, em que o establishment democrata ruiu, e por muito pouco não foi aberto uma fratura imensa que seria a eleição de Sanders.

Porém é importante destacar que as opções mais a extrema direita se esvaziam rapidamente devido a inadequação do discurso a uma nova realidade internacional. Importante destacar que esta perda de primazia do discurso de direita tanto no Brasil como no resto do mundo, não significou o arrefecimento do espírito liberal em impor a sua pauta, mas sim está mudando de estratégia. Perdido o discurso se passa inevitavelmente a posturas nada democráticas como está avizinhando no país um muito possível golpe militar.

Na realidade o que está passando no mundo é que a capacidade de exploração das oligarquias que vem a mais de quarenta anos se aproveitando da transferência massiva da renda do povo ao grande capital, ou em alguns casos está esgotando ou na maioria está chegando ao limite da transferência que pode ser feita dentro de um sistema eleitoral convencional. Este esgotamento de capacidade de transferência de renda, nos países fora dos países centrais pode ser resolvido por num médio prazo por governos ditatoriais, porém nos países centrais esta solução ainda está longe.

O pior que podemos pensar sobre o futuro do mundo fica claro no famoso livro de Thomas “O capital no século XXI”, onde o mesmo formula que a única forma efetiva de inversão da acumulação do capital, que ocorreu ao longo da história, é a GUERRA.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome