A impagável entrevista do Sr. Cloaca

Um off topic mais do que justificado: A entrevista do ano 

Do Cloaca News

EXCLUSIVO – A TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA QUE O REPÓRTER DA FOLHA FEZ COM O SENHOR CLOACA NA SAÍDA DO PLANALTO 

– Olá, você é o senhor Cloaca, não é? 

– Você, não. Senhor. 

– Hãã…o senhor é o senhor Cloaca, não é?

– Até prova em contrário. E enquanto as pragas não pegarem…

– Será que voc…o senhor poderia me dar uma palavrinha?

– Uma só? Pode ser um adjetivo?

Nave- Na verdade, tenho algumas perguntas…

– Então, por que pediu uma palavrinha em vez de perguntar se podia fazer algumas perguntas?

– É que…,como voc…o senhor vê, sou novo nisso.

– Não vi nada. Mas vejo que você tem um crachá da Folha.

– É, pois é.

– É seu mesmo? Deixe-me ver a foto…

(Cara, crachá, cara, crachá, cara, crachá)

– Não repare muito, senhor Cloaca.

– Vem cá, você é sobrinho da Tia Lenita?- Quem?

– Deixa para lá…- Mas, senhor Cloaca…as perguntas…

– Ah, sim, claro!

– Voc…o senhor não acha que o Presidente Lula está querendo censurar a imprensa?

– Não, não acho. De onde você tirou essa ideia estapafúrdia?

– É que me mandaram perguntar…

– Você acha isso?

– Sabe, eu sou apenas um operário da mídia…

– Estou vendo. E vamos deixar claro que não tenho nada pessoal contra você, meu caroooo… qual é mesmo seu nome?

– (mostra o crachá) Breno. Breno Costa. E o seu?

– Senhor. Senhor Cloaca.

– Sei. Mas o seu nome verdadeiro…

– Isso não é importante. Sequer sou famoso.

– Mas agora está famoso, não é?

– Quem está famoso é o Senhor Cloaca.

– Mas, essa história de o Presidente Lula querer calar a imprensa…

– Que história, rapaz?

– O Lula atacou a imprensa, oras!

– O que o Presidente Lula fez foi manifestar suas ideias a respeito de como certa imprensa o tem tratado. Isso não é atacar a instituição Imprensa. Aliás, se você viu a entrevista que ele acabou de dar para os blogueiros…

– Uma entrevista chapa-branca, não é?

– Chapa-branca? Pode me citar algum exemplo?

– Bem…veja bem…ãããnnn…

– Escuta, não está na hora do seu Toddynho?

– Que horas são?

– Exatamente, meio-dia e quarenta.

– Então, a censura à imprensa…

– Olha, meu filho, a mesma liberdade que certa imprensa tem de publicar o que quiser contra o Lula tem o Lula de dizer o que pensa daquilo que publicaram contra ele. Ou a Imprensa não pode ser criticada?

– Não é isso…é que…

– Seu jornal, por exemplo, teve toda a liberdade de publicar que o Lula é assassino e estuprador.

– Veja bem…quer dizer…

– Seu jornal chamou a ditadura de ditabranda.

– É, isso é verdade.

– O que é verdade?

– Meu jornal chamou a ditadura de ditabranda.

– E você trabalha lá.

– Como eu disse, sou apenas um operário…

– Objetivamente, o que você saber de mim, que já não saiba?

– Voc…o senhor trabalha onde?

– Você vai publicar exatamente o que eu disser, não é?

– Sim.

– Assessoro políticos do PT-RS, mas vou evitar o assunto.

– É verdade que, na hora da foto, o Lula disse: vem cá, ô Cloaquinha”?

– Sim, é verdade, ele disse.

– E o senhor fez o quê?

– Nada. Apenas fui.

– Não vai se gabar disso?

– Vou, sim. Estou até pensando em botar uma placa no pescoço com os dizeres: O Lula me chamou depois: ‘Vem cá, ô Cloaquinha!’

(Toca o celular. “Alô, mamãe! Como? Acabou??? Tudo bem, pode ser Ovomaltine!” Desliga o celular)

– Bem, obrigado pela entrevista, senhor Cloaca, mas estão me esperando para o almoço.

– Também vou indo. Até a próxima, Breno! E, olha, não aceite doces de estranhos na rua, tá? 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome