A lógica da criançada

Lógica de criança – ops! de quase mocinhas – é um barato.

Hoje, nos jornais, um dos temas explorados é o fato da Seleção atual não ter pensado em preparar o time para as próximas Copas. Esse tipo de análise também correu o Twitter.

Ontem, quando voltávamos do boteco, a neta Cacá levantou o tema, com muita pertinência para seus 11 anos.

A resposta da sua tia Bibi, 12, deveria servir para alguns analistas esportivos. Primeiro, me perguntou quais as Copas que o Brasil venceu. Depois, ponderou:

– Se em 1970 o Brasil jogasse pensando na Copa seguinte, não ganharia a Copa. Aí, na Copa seguinte ele jogaria pensando na outra Copa, e também não ganharia a Copa. E aí nunca venceria nenhuma copa, só ficaria pensando na copa seguinte.

Lógica irretorquível.

No sábado passado, quando as levei a um encontro sobre Twitter, ela me deu sua definição:

– Twitter é um lugar onde a gente conta o que está fazendo. Aí a gente fica se mostrando e do outro lado só tem gente que nem quer saber o que a gente está fazendo.

Quem quer encarar essa moçada? Eu não. 

PS – Se tiver outros membros do Clube “Ser pai (e avô) é não ter medo do ridículo”, convido a contar os episódios da sua criançada aí nos comentários.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora