A proximidade de Bolsonaro com o Integralismo, por Bernardo Mello Franco

Lema do novo partido do presidente remete ao movimento fascista fundado por Plínio Salgado na década de 30

Jornal GGN – Oitenta e sete anos depois, o lema “Deus, Pátria e Família” volta aos holofotes. O mote atualmente defendido pelo novo partido do presidente Jair Bolsonaro, Aliança pelo Brasil, é o mesmo que foi usado pelo integralismo brasileiro, movimento de inspiração fascista fundado em 1932 por Plínio Salgado.

Em sua coluna no jornal O Globo, Bernardo Mello Franco explica que os grupos de ultradireita são semelhantes em seu apelo à fé, ao nacionalismo e ao anticomunismo para disputar ao poder e mobilizar seus seguidores.

“O uso do lema integralista “Deus, Pátria, Família” pelo novo partido Aliança pelo Brasil é mais uma demonstração do quanto estão vivos os ideais essencial e sadiamente cristãos e brasileiros do Integralismo”, afirmaram os representantes da Frente Integralista Brasileira sobre a reciclagem de seu lema pelo novo partido de Bolsonaro, em postagem recentemente publicada no Facebook.

Contudo, os integralistas dizem que “a nova agremiação política, enquanto promover a defesa de um radical liberalismo econômico, estará não apenas distante do Integralismo neste quesito, como também da própria ARENA e do General (Emílio Garrastazu) Médici (…)”

A vitória de Bolsonaro na última eleição trouxe um governo que partilha dos mesmos ideais ultraconservadores pregados pelo neointegralistas – mas o articulista ressalta que o mundo é outro, e os personagens também são diferentes: enquanto Plínio Salgado escreveu cerca de 70 livros, admirava Mussolini e circulou entre os modernistas, o clã Bolsonaro admira o presidente dos Estados Unidos Donald Trump e prefere os vídeos do guru Olavo de Carvalho.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome