A quem interessaria o crime?

A quem interessaria o crime?

A dúvida básica que é geralmente procurada a resposta pela polícia quando se depara com um crime é:

– A quem interessa o crime?

Parece que parcialmente começa a ser respondido o atentado real ou fake-atentado contra Bolsonaro. Na época aparecia claramente só um suspeito, ou seja, um trabalho interno que beneficiaria quem segurasse a alça do caixão.

Provavelmente não seriam os filhos de Bolsonaro, pois os mesmos por enquanto não teriam base para substituir o pai (parece que no futuro estarão prontos para continuar a dinastia), porém o único que também certamente seguraria a alça do caixão, exatamente por ser o vice seria o General Morão.

Desde o primeiro turno o candidato a vice mostrava sua independência do seu titular, e como virou moda os vices traírem seus titulares ou até substituí-los sem necessitar traição, mas sim mantendo-se longe do titular (vide os casos Sarney e Itamar), nada impede que esta continue, porém agora com dadas nuances não muito republicanas.

Hoje o filho de Bolsonaro, o filho n°02 (como o próprio titular da conta se refere aos seus rebentos) lançou um alerta extremamente interessante, ele disse claramente:

A morte de Jair Bolsonaro não interessa somente aos inimigos declarados, mas também aos que estão muito perto. Principalmente após de sua posse! É fácil mapear uma pessoa transparente e voluntariosa. Sempre fiz minha parte exaustivamente. Pensem e entendam todo o enredo diário!

Parafraseando o ditado conhecido por todos:

“Para bom entendedor 90% da palavra basta”, ou seja, o bolsofilho 02 acha que há pessoas interessadas na morte do bolsopai e dentre a miríade de possíveis assassinos, haveriam pessoas bem próximas ao círculo político do “papai”.

Leia também:  A esquerda precisa mudar o discurso, por Daniel Dalmoro

A referência de Eduardo Bolsonaro, só faltou colocar o nome do vice-presidente, General Mourão, pois “muito perto” e “pessoa transparente e voluntariosa”, que teria interesse na morte de Bolsonaro há somente um, o General!

Por que o bolsofilho nº02 levantou esta hipótese?

Pelo que sabemos pelas declarações dos bolsofilhos logo após o atentado real ou fake, que o nº01 falou imediatamente que com o atentado a eleição estava garantida, já o nº02 ficou triste e choroso. Donde se conclui que o filho nº01 está mais interessado na progressão política do que na saúde do bolsopai, já o nº02 parece que guarda alguma proximidade afetiva ao progenitor, logo um é sensível a negociações e outro se souber de algo talvez pense mais com a família.

Mas continua a pergunta, por que do Twitter do bolsofilho nº02? A lógica seria de resguardar o bolsopai, porém o assunto se desdobraria de uma forma mais interessante do que imagina o bolsofilho nº02. Pela legislação brasileira, se o presidente morre antes de dois anos de mandato, há novas eleições, porém não sei se há alguma coisa sobre um presidente que após uma cirurgia, sofrendo um pequeno abalo de saúde se vê impedido de exercer o mandato por um período longo, vamos dizer dois anos, e depois disto debilitado e já esquecido na cama de um hospital venha agravar a sua situação e for impedido “ad aeternum” de ocupar o cargo? Aí passado os dois anos o vice é efetivado.

Mas por que a necessidade de o bolsopai sofrer este “acidente”? Muito simples, os pré-acordos com as bizarras bancadas evangélicas, levaram o mesmo a aceitar ministros que prejudicariam sobremaneira o verdadeiro grande capital associado ao verdadeiro imperialismo internacional. Duas vezes a mesma palavra não é um erro, é um ênfase que devemos ter em mente, que quem manda mesmo não é os donos das Havans pelo Brasil, mas sim aqueles que sabem comer com todos os talheres e comem desta forma com companhias de seus coleguinhas no exterior, e estes começam a ficar incomodados com ministros escolhidos por Olavo de Carvalho.

Bem, o que vem aí por diante pode ser muito mais que esperamos, pois tanto o Bolsopai como os Bolsofilhos ainda nem entenderam a onde estão metidos.

Leia também:  Mídia esconde atentado a evento com Glenn Greenwald em Paraty, por Alceu Castilho

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. A quem interessaria o crime?

    Pergunta difícil e  imprópria porque a morte de bolso, agora, não seria crime. Seria consequencia de cirurgia mal sucedida.

    Seria uma morte natural e legal.

    Principalmente legal!

    • Não acredito que a morte seria a solução para o Mourão, mas…..

      Não acredito que a morte seria a solução para o Mourão, mas uma recuperação lonnnggggaaa em que ele ficasse impedido de governar por dois anos, daria condições para o Mourão assumir e depois destes dois anos, ele sucumbiria de um agravamento de suas frágeis condições!

      Veremos em breve o que vai acontecer.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome