A rede jurídica que protege a família Bolsonaro

Advogados e magistrados se aproximam da família do presidente, que tem sido alvo de uma série de investigações na Justiça

Jornal GGN – A família do presidente Jair Bolsonaro está aumentando sua influência dentro das esferas jurídicas estaduais e federais, aproximando-se de magistrados e indicando aliados para conseguir montar uma rede de proteção contra as investigações nas quais é alvo.

Os advogados e magistrados que têm se aproximado da família, e auxiliado na interlocução com juízes e ministros, foi apelidado de “bancada jurídica bolsonarista” pelos congressistas governistas e auxiliares do Palácio do Planalto, segundo reportagem do jornal Folha de São Paulo.

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) tem sido o responsável por liderar tal esforço, sendo inclusive um fator de influência nas nomeações efetuadas pelo presidente Jair Bolsonaro.

Uma das integrantes desse grupo de magistrados próximo à família Bolsonaro é a juíza federal Maria do Carmo Cardoso, do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região), apelidada de “tia Carminha” pela família do presidente e amiga do senador.

Segundo a reportagem, a indicação do ministro Kassio Nunes Marques para o Supremo Tribunal Federal (STF) teve Maria do Carmo como madrinha – eles se conhecem desde 2011, quando Nunes Marques foi nomeado para o TRF-1. A juíza chegou a ser cogitada para a cadeira de Celso de Mello, mas sua idade (acima de 60 anos) foi considerada um empecilho.

Outros nomes apontados pelo jornal são o da subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo (braço direito do procurador-geral Augusto Aras), e os advogados Frederick Wassef, Willer Tomaz, Admar Gonzaga e Karina Kufa.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora