Adélio Bispo agiu só, diz PF a Bolsonaro sobre inquérito

A atuação isolada de Adélio Bispo é a tese que está em alta até o momento. Este é o segundo inquérito instaurado pela PF

Foto G1

Jornal GGN – Até o momento, a Polícia Federal não identificou terceiros em inquérito sobre a facada desferida por Adélio Bispo em Jair Bolsonaro quando candidato em campanha. O atentado ocorreu em setembro de 2018. A Polícia Federal informou ao presidente Jair Bolsonaro nesta segunda, dia 25, em reunião. Segundo a corporação não há evidência da participação de outras pessoas além de Adélio. Mas o inquérito ainda está em andamento, faltando concluir análise dos materiais apreendidos com um advogado do autor do ataque.

Há duas semanas, o presidente cobrou da Polícia Federal uma solução para o caso em que foi a vítima. O delegado federal Rodrigo Morais, responsável pelo inquérito, e o diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, estiveram com Bolsonaro na reunião, junto com o ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro e o superintendente da PF em Minas Gerais, delegado Cairo Costa Duarte. 

À imprensa, Moro adiantou, antes da reunião, que ainda não havia uma conclusão e que o presidente seria informado do andamento. Disse ele que o presidente é a vítima, então é interessado. E que ele seria informado do resultado da investigação até o momento. A declaração foi dada em um seminário sobre segurança pública que aconteceu em Brasília, antes da reunião agendada com o presidente e a PF.

A atuação isolada de Adélio Bispo é a tese que está em alta até o momento. Este é o segundo inquérito instaurado pela PF. O primeiro, focou na apuração sobre quem era Bispo, e neste já havia a conclusão de que os indícios levantados apontavam para a ausência de mandantes ou de incentivadores envolvidos com Bispo.

7 comentários

  1. Para o momento é que ele tenha feito sem apoio de terceiros, ao contrário se forem verificar de forma fidedigna poderão descobrir a grande farsa do século.

  2. Inquérito preguiçoso

    Há uma diferença entre agir só, sem ter sido contratado por um mandante e agir só, tendo sido sugestionado por grupos de influência.

    Com a mente confusa e delirante apresentada por Adélio, a segunda hipótese não parece ser tão desprezível.

    Além disso, falta averiguar quem alterou o FaceBook de Adélio, apagando contato deste com grupo que defendia intervenção militar e apoiava Joice Hasselmann, minutos após já ter sido preso.

    Como isso ocorreu e por que?

  3. Nassif;

    Penso que o PSOL deve cobrar judicialmente o bolsonaro por várias vezes ter acusado o PSOL de ser o mandante da “facada”.
    Porém para mim a história ainda vai contar as tramas deste atentado, penso que foi tudo engendrado e executado pela própria campanha de referdo.

    Genaro

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome