Alcolumbre estuda alternativas para seguir nos holofotes

De saída da presidência do Senado, senador do DEM considera ser ministro de Bolsonaro ou vice-presidência da Casa caso apadrinhado vença disputa

Jornal GGN – O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) trabalha com duas alternativas em especial para manter-se nos holofotes políticos após o fim de seu mandato na presidência do Senado Federal

Uma delas é se tornar vice-presidente da Casa, e a outra seria assumir um ministério do governo Jair Bolsonaro, embora não exista uma articulação consolidada a respeito do tema. A terceira opção seria assumir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), algo que não tem sido visto com tanto entusiasmo.

A eleição ocorre no início de fevereiro, e o apadrinhado de Alcolumbre, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), é o favorito para vencer a disputa contra Simone Tebet (MDB), a atual presidente da CCJ.

A opção de assumir a vice-presidência do Senado, dentro do cenário de eleição de Pacheco, é a que tem sido considerada com mais força, uma vez que a articulação para assumir uma cadeira no ministério não está concluída.

Teoricamente, Pacheco teria de 44 a 46 votos na eleição, com o apoio de nove bancadas e algumas dissidências, mas a possibilidade de traição não está descartada uma vez que o voto é secreto. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

 

Leia Também
Com base na LSN, PF abre investigação contra advogado por criticar Bolsonaro
Ministério Público: uma máquina desejante de democracia?, por Haroldo Caetano
Pazuello contrata assessor ‘master coach’ e está à espera de uma ‘avalanche’ de vacinas
Juristas divulgam nota de ‘espanto’ por declarações de Augusto Aras
Desigualdade de acesso à saúde aumentou mortalidade em regiões do Brasil, mostra estudo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora