Alguém precisa acordar Alckmin

São Paulo está na iminência de uma catástrofe, com a falta de água. E o governador Geraldo Alckmin não se move.

Não apresentou um plano de contingência, fundamental para impedir tragédias maiores. Não apresentou um projeto sequer de orientação da população.

Os demais poderes do Estado precisam agir imediatamente, exigindo uma posição do governador. Depois do desastre consumado, de nada adiantará enquadrá-lo em crime de responsabilidade. As ações têm que ser tomadas agora. O que está em jogo é a situação de doentes em hospitais, de populações faveladas expostas a epidemias, de empresas paralisando seus trabalhos.

Parece até o ultimo baile da Ilha Fiscal. No Twitter, Secretários como José Anibal deblaterando contra a crise de energia do governo federal. No Facebook e por email, vikings da terceira idade, como Aloyzio Nunes e Alberto Goldmann denunciando pacotes fiscais. E não existe um assessor capaz de alertar o governador sobre o custo que o Estado pagará por sua inércia.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Confira: há elementos para pedir a interdição de Bolsonaro por insanidade?

108 comentários

    • mata-burros

      os estados que se limitam com são paulo precisam instalar mata-burros urgentemente: não tem capim para tanto jumento.

  1. E o que dizer então do

    E o que dizer então do Deputado/Promotor ?????????…………só pensa em recontagem de votos da Eleição Presidencial passada…….como dizemos por aqui……É um Zé Cuié…….E a Mídia Nativa ?????? é só um desses Glutões abrir a boca, que logo lhe oferecem o Urinol……..

  2. Nassif, acho que é isso mesmo

    Nassif, acho que é isso mesmo que o governador quer. Quando o pior acontecer ele posa de justiceiro e põe a polícia nas ruas. “Quem não reagir, fica vivo”.

    Não espero nada da justiça, nem da grande imprensa. A grande imprensa continua desviando o foco para o nível federal.

    Tomando como base as pessoas que conheço, poucos estão cientes da gravidade do caso. A maioria não acredita que em dois meses ficaremos sem uma gota d`agua em casa. Fica fácil manipular os alienados, enquanto os outros sentem a falta de atitude de um governo irresponsável.

    Moro em apartamento, não tenho condições de estocar água para meses e meses. E este é só o meu caso,  imagine a situação de cada um.

    • Você é burro.
      Planos de

      Você é burro.

      Planos de contingência e mobilização da população são funções do poder estadual, quando a crise atinge vários municípios.

    • Se te referes ao diversionismo

      dos cardeais tucanos ao desviarem do assunto água e espinafrarem o governo federal sobre a falta de energia e o pacote fiscal, parece-me que aprendeste bem com a grande mídia.

    • Isso é um pedido de socorro,

      Isso é um pedido de socorro, Zureta? Aqui em casa, eu posso hospedar um paulista apenas, é um quarto e sala. 

      PS: Zuretta, pode ser voce, mas vou pedir para que manere na trollagem aqui no meu computador. 

  3. Ele não está preocupado

    Pois a imprensa amiga dará um jeito de colocar a culpa na própria população, pois pobre gasta muita água. E vai sobrar também pro governo federal.

  4. Nassif, Alckmin já reagiu. A

    Nassif, Alckmin já reagiu. A sua rede de segurança já está pronta faz tempo. A versão para o desastre será que a falta de água é uma catástrofe natural, agravada pela inação do governo federal. Com a ajuda da mídia, ela sairá como heroi do povo paulista. Quanto a ações contra ele na justiça, por favor, caiamos na real. Na justiça paulista, qualquer ação contra ele não passará da segunda instância.

    Se ele for processado, será na justiça americana, país no qual a SABESP negocia ações, por acionistas prejudicados. 

    Preparem-se para ver passeatas das senhoras de santana agitando panelas contra o governo federal e contra o prefeito da capital. 

    • Verdade, a estratégia pode

      Verdade, a estratégia pode muito bem ser essa, já que dias atrás, na sua página no facebook, até Marina Silva estava culpando o governo federal como responsávelpela crise, via política econômica, e em menor grau, segundo ela, o governador Chuchú.

  5. Ele não se importa

    Olha Nassif … ele não está nem aí porque o plano é ser presidente … os eleitores dele estão mais preocupados com o ódio contra o PT, são cegos e não conseguem ver um palmo na frente do nariz.

    Ademais, a imprensa vai vender que a culpa é da população e esse é o plano de comunicação dos tucanos também. Não é informar a população, é arrumar um jeito de limpar a barra do governador, eles estão mais focados nisso.

    Isso vai funcionar, porque o PIG vai arrumar um jeito de vender o governador como um grande estadista da crise, o homem que o brasil precisa … todas as gambiarras vão ser vendidas como grandes feitos da engenharia paulista … enfim, o governador fez o que pode mas a população não colabora …

    • Também acho que o plano é

      Também acho que o plano é esse: fuga pra frente.

      Eles, a oposição e a imprensa, sabem muito bem que já passaram do ponto de retorno há muito e sabem que podem contar com o fanatismo anti pt pra qualquer coisa.

      O jogo agora é de ver quem tem mais farinha no saco: dar voltas e mais voltas no parafuso de “sangrar” Dilma, Lula e PT; paralisar o país por conta das especulações sobre a lava a jato; e ver o que conseguem depois do verão.

      Cobrar uma posição de “estadista” de Alckmin, e responsabilidade das elites pulistanas, só o Nassif mesmo.

  6. Gravíssima situação

    Empresas já estão abandonando São Paulo, daqui a dois ou três meses a situação será gravíssima de sobreviência para a maioria da população. Lembro que li um artigo no ano passado, antes da eleição, de especialistas europeus que alertavam sobre a migração em massa que paulistanos, primeiramente, seremos forçados a fazer pela falta total de água.

    Isso é um crime contra a humanidade!

    E a Sabesp distribuindo altíssimos lucros aos seus acionistas!

  7. criam o caos para depois

    criam o caos para depois capitalizá-lo.

    é o crime perfeito..

    destrói uma empresa – um governo – para depois privatizar.

    o alquimista apenas copia o fhc.

     

  8. Intervenção

    Ele não vai fazer nada, deixará o caos reinar até o ponto do Governo Federal decretar intervenção, aí ele vai se fingir de vítima e, com o apoio da mídia, colocar a culpa na Dilma e no PT.

  9. Não ousem acordarem Geraldo,o enxuto!

    Este cara,dormindo,fez o que fez,imaginem esta fera acordada?Só vai piorar,deixem o “homi”dormir!A solução:Vamos botar para dormir o que ainda resta da tropa TUCANA espalhada por todo o Brasil,em todos os níveis de poder!Avante e Saravá!

  10. Ora, ora, ora, só se tiver

    Ora, ora, ora, só se tiver algum culhão em algum órgão loteado pelo psdb. Alguém leva fé nisso? Enquanto o PT for governo federal, o adormecido xuxu, continuará adormecido e sendo chamado de “belo adormecido” pelos quase 70¢ que o reelejeram.  O pior analfabrto é o analfabeto político, porque propicia as aberrações como alckimin.

  11. O PIG blinda com muita competência mal feitores e incompetentes

    Nesta foto o Alckmin está tomando uma dose de cachaça? Não? Então tá:  ele está se acostumando a tomar água em copos cada vez menores. Ele sabe da tragédia iminente que se abaterá sobre São Paulo, e caladinho está se preparando para não enfrentá-la..

     O PIG tem uma capacidadede extraordinária de blindar mal feitores (exemplo, Eduardo Cunha) e pessoas incompetentes (exemplo, Geraldo Alckmim).

     

    • São Paulo é um grande

      São Paulo é um grande cemitério de idéias, homens e bom-senso. Que triste fim para a Locomotiva. Ninguém merece…

       

      “O BRASIL PARA TODOS não passa na REDE GLOBO DE SONEGAÇÂO & GOLPES – O que passa na REDE GLOBO DE SOENGAÇÃo & GOLPES é um braZil-Zil-Zil para TOLOS”

       

  12. Velho Koba

    “Instalar-se no leme e olhar para nada ver, até que as circunstâncias nos atirem pelos olhos qualquer calamidade, não é dirigir. Para dirigir é necessário prever!”…(J. Stálin)

  13. Nassif, vc fica fazendo

    Nassif, vc fica fazendo campanha mas, na boa, ja encheu o saco.

    O que há a ser feito? Não há nada por fazer, nada!

    Relaxa e goza SP que o problema é seu!

    E, não perderei a oportunidade de dizer que SP sofre falta d’água MESMO roubando impostos de OUTROS entes federativos. Tem dinheiro de outros e AINDA ASSIM VAI PEDIR(já pediu) PARA O BRASIL PAGAR A CONTA!

    É essa a locomotiva do Brasil. Não conseguem nem se pagar…mesmo com dinheiro dos outros.

     

    Fica a pergunta, quando não receberem mais impostos de OUTROS entes…o que será de SP?

    Isso aí já foi bem administrado ou SEMPRE foi a ilusão do dinheiro DOS OUTROS?

    • Athos, não é bem assim.

      O problema é que o furo é tão grande que provavelmente a merd@ vai respingar para todo o país. Se fossemos um país razoavelmente civilizado, o Governo Federal já teria nomeado um interventor Federal (por exemplo um general pertencente ao corpo de engenheiros do exército) e além disto decretado estado de calamidade pública em São Paulo (na região metropolitana).

      Sem querer ser alarmista e já sendo, vamos ver protestos monstros na cidade e seus arredores com tumultos, incêndios e saques.

  14. Mas já devem estar preparando

    Mas já devem estar preparando os argumentos para culpar o governo federal e os sindicatos petistas, talvez mesmo o MST.

  15. Mas segundo o Sr. Motta, ele

    Mas segundo o Sr. Motta, ele ainda está em alta por ser um governador “discreto”. Logo, fica a dica: deu Merda? Seja Discreto, ou Alckimin, tanto faz, né?

  16. Isso está com a cara de vai

    Isso está com a cara de vai SOBRAR PARA OS MAIS POBRES!

    Deixaram bairros alagados e durante um certo tempo a mídia silenciou…

    Vão deixar bairros periféricos SEM ÁGUA, OS POBRES vão ter que deixar suas casas, que se tornarão objeto de especuladores imobiliários e quando voltar as aguas, surgirão novos bairros de classe média!

    A mídia vai falar alguma coisa?

  17. não tem jeito,

    ele usa oléo de peroba como loção pós barba. tremenda cara de pau.

    fico com pena dos 30% que não merecem. mas os 70% fazem por merecer.

    primeiro projeto hidrico dos tucanos só ficará pronto após uns 30 anos de governo!

  18. é píor que inércia.
    tucano


    é píor que inércia.

    tucano parece cataléptico.

    estado mórbido ligado à auto-hipnose ou à histeria,

    é a suspensão da inteligencia e dos movimentos voluntários.

    tensos, os músculos se contraem.

    a insensibilidade é total.

    a respiração é artificail, quase imperceptível. 

    personagem típico: a morte e a morte de quincas berro dágua,

    de jorge amado…que mostra a solidariedade do povo entre si…

    no caso tucano, é ao contrário.

    os puxa-sacos em conluio com a grande mídia carregam o grande 

    quincalquimista em suas últimas danças macabras do baile da

    ilha fiscal dos jardins e da avenida paulista.

    sob os aplausos dos bem informados pela mentirosa

    grande mídia, a grande omissa.

  19. Despertador

    1. Implantação imediata de um racionamento capaz de equalizar as entradas e saidas do sistema, mesmo que seja 50% ou mais de corte de consumo, a fim de viabilizar a travessia dos meses de seca.

    2. Monitoramento diario e transparente dos indices de consumo para garantir que a equalização está sendo alcançada

    3. Operação de guerra para conter vazamentos e desperdícios

    4. Implantação de um Comitê Gestor da Crise plural e transparente, que se encarregue não só de adminitrar essa travessia, mas de discutir de forma ABERTA E TRANSPARENTE com a sociedade um Plano de Contingencia caso a travessia não seja conseguida.

     

  20. Comunicação seria muito importante, mas tem o pig!

    Não esperem nada do alkimim. Ele sempre foi assim. Gente boa. Candidato a presidente. psdb.

    Agora com a crise horrível iminente caberia à comunicação alertar e instruir o povo para o que fazer no caos. Mas infelizmente o pig domina o setor e deixou de informar há muito tempo e só sabe desinformar. Alguem imagina o pig fazendo o papel de prestação de serviço ao público? Esquece. Devem estar em altas reuniões procurando como culpar o pt do desastre. Bobo que cai na conversa deles tem muito e é por isso que existem, ainda. 

    E o desastre, agravado pela ação nefasta do pig, se aproxima. Socorro!

  21. Num dos últimos discursos

    Num dos últimos discursos públicos que fez, Joseph Goebbels (ou terá sido Adolf Hitler) afirmou que os nazistas haviam chegado ao poder com ajuda da propaganda, haviam governado com a propaganda e que a propaganda garantiria a vitória do III Reich sobre seus inimigos. Os alemães perderam sua guerra apesar da propaganda. E os paulistas ficaram sem água por causa do tsunami de propaganda jornalística em favor da Sabesp privatizada e do desgoverno tucano. 

  22. Precisamos acordar

    Precisamos acordar Alckmin!

    Precisamos abordar Alckmin!

    Sim, precisamos abordoar Alckmin!

     

    Precisamos abortar Alckmin.

  23. Não seja ingênuo Nassif, o

    Não seja ingênuo Nassif, o govenador está muito desperto e com a estratégia muito bem elaborada. Os demais poderes estão seguindo a mesma estratégia, já está tudo combinado.

    O objetivo é 2018, apenas isso, mais de 50% da população considera que a culpa da falta de agua é da Dilma e do PT, porque ele assumiria alguma responsabilidade? Entre nós, compromisso com a sociedade não é o forte deles.

    Como as instituições paulista estão nas mãos deles, restaria algum movimento da Sociedade Civil, e essa é a questão surpreendente, a FIESP manifesta apenas indignação contra o aumento de impostos, OAB deve estar em extinção não estão atuando em nenhuma frente.

    Como um todo é impossível iniciar qualquer conversa civilizada sobre o problema. Discutir o tema serve apenas para obter manifestação de ódio ao PT e a Dilma, dificilmente o assunto é discutido objetivamente. A mídia fez sua parte, inseriu na consciência paulista que a culpa é de São Pedro e não há o que fazer, para outros a culpa é do Governo Federal que na cabeça do nosso Governador enxerga como vantagem política.

    O fato é que instituições não irão fazer nada, fazem parte da mesma turma, e a Sociedade Civil está cega de ódio.

      • Maestri
        Errar é humano,

        Maestri

        Errar é humano, colocar a culpa no inimigo é estratégico.

        Com o tombo eles estão acostumados, mas com esse problema eles estão muito bem entrosados, todos unidos em blindar Alckimim, a única opção paulista com chance real para o planalto, mesmo que para o paulistano o caipira seja indigesto.

        A culpa será, será não, já foi colocada no PT, e é muito fácil alimentar os paulista, em especial os paulistanos com essa versão.

        E também não há esperança nenhuma de alguma atitude que venha do PT, partido que se acovardou e so age reativamente.

    • Ri de quê? Parece até a

      Ri de quê? Parece até a hiena. Se seguir neste ritmo o governo federal terá que decretar intervenção em São Paulo, e para tumultos públicos, saques, incêndios e falta de água nada melhor do que um general ENGENHEIRO.

  24. Que situação….

    Lembra desastre de navio de grande porte. Você vê que irá colidir mas não têm o que fazer é esperar a represa com 6% de água sangrar 0,1% todo dia… até s e c a r.

    Agora mandar um incompetente agir, numa situação que ele está mais careca do que antes de conhecer me parece até um pouquinho de maldade. Soubesse o que fazer e já o teria feito alguns anos atrás. Não sabe e pelo andar da carruagem, têm raiva de quem sabe. 

    Logo…

    Coitado dos paulistanos, vocês têm a minha compaixão.

  25. Se alguém conseguir

    Se alguém conseguir acordá-lo, pode tentar acordar também cidadãos e empresários paulistas.

    Mas eu acho dificil, eles vão continuar dormindo com a canção de ninar da imprensa decadente paulista contra governos municipal e federal.

    • Ou seja, acordado ou

      Ou seja, acordado ou dormindo, quem governa de fato é a mídia nativa. Estranho, por outro lado, essa placidez dos empresários paulistas. Há pelo menos dez anos sabe-se que o Cantareira teria problemas no futuro e ficou todo mundo esperando Godot. Estranho, não? Estão torcendo pelo caos?

  26. Mas a ideia é essa mesma

    O que o governo de São Paulo está esperando é justamente alguma ação externa (se for do poder executivo federal então, melhor ainda). Pois assim vai poder dizer que a catástrofe é por causa da intervenção e não por causa da incompetência do governo estadual.

    O governador não está dizendo que a “restrição hídrica” é por causa da determinação da ANA de diminuir a vazão captada?

    Por conta da proteção e blindagem a um grupo político, todos os órgãos e entidades nacionais ficam com medo de atuar, pois correm o risco de serem apontados como os culpados (ou de serem tachados de petistas bolivarianos).

    Que situação esdrúxula essa! A dicotomia, radicalização e partidarização com que ultimamente se tem tratado os assuntos nacionais estão impedindo o país de atuar unido diante das crises hídrica, energética e econômica que estamos passando. Todo mundo só pensa em apontar os erros dos adversários enquanto esconde os seus próprios. Não só os políticos, a população em geral. Esta tachação simplista do tipo: se é tucano (ou petista) então é “corrupto, incompetente e só quer ferrar o povo” enquanto o petista (ou tucano) é “íntegro, competente e só quer ajudar o povo” é ridícula.

    Será que é tão difícil juntar todo mundo em prol de uma “Campanha Nacional de Eficientização Energética e de Recursos Hídricos”. Todo mundo vai sair ganhando. Pode ser um programa suprapartidário, com políticos de todos os partidos aparecendo na televisão, sem que nenhum deles fature sozinho os resultados positivos. É só sentar numa mesa, olhar uns aos outros cara a cara e dizer: “vamos fazer uma trégua, ninguém vai ficar dizendo que o programa precisa ser feito por que fulano ou beltrano foi incompetente, nem dizer que o programa é inciativa solitária de A ou B”.

    Há muito espaço para eficientização energética. Substituição de equipamentos obsoletos e pouco eficientes (motores, refrigeradores, luminárias, etc), formas alternativas para aquecimento de água (solar, a gás, recuperadores de calor de chuveiros), recuperação de energias residuais, revitalização de instalações industriais, entre várias outras. De quebra ainda ajuda a movimentar a economia destes setores. Da mesma forma é possível economizar muita água com a revitalização das instalações, tubulações e sistemas de tratamento e distribuição.

    Tudo isso em cima de uma campanha nacional pedindo apoio da população para mudança de hábitos de consumo visando à redução de desperdícios de energia, água, alimentos, etc. Com a participação de políticos de todos partidos, além de artistas, cientistas, músicos, esportistas, enfim, união nacional.

    A enorme economia (de energia e água) que seria obtida disso serviria no curto prazo para amenizar a escassez atual, mas no longo prazo haveria economia de recursos (dinheiro) que poderia servir de financiamento para programas ambientais tipo: recuperação de matas ciliares, revitalização de fontes e nascentes, reflorestamento e recuperação de áreas degradadas, etc. Temos academia suficiente para planejar e tocar estes programas, falta os recursos e a vontade política. Inclusive isto poderia ser usado na campanha, mostrando às pessoas que do esforço anti-desperdício delas sairão os recursos que ajudarão a preservar a água e energia que elas e as próximas gerações usarão no futuro.

  27. São Paulo e a seca induzida

    Plano absurdo de desestabilização do país a partir de programadamente induzida falta de água em São Paulo pode não ser ficção

    Tudo parece mesmo um plano urdido de longa distância e com bastante cronologia de enredo.seca provocada pelo harap, sabesp convenientemente e previamente privatizada pros americanos ,monitorada por investidores de wall street,que secretamente proibiram qualquer investimento em expansão de represas,etc, visando fins bélicos no futuro.governo paulista totalmente atrelado as ordens internas e aos planos privados de seus monitores internacionais traindo subterraneamente a pátria.Imprensa quinta-coluna calada,na moita. Quando o caos espetacularizado e provocado não poder mais ser evitado cria-se o cenário pretendido:uma maneira perfeita de criar o apocalipse desejado na megalópole e justificar uma intervenção internacional em Sp encabeçada pelos Eua em futuro próximo em sua guerra não declarada contra os BRICS.

    Carlos Emílio Corrêa Lima

    21 de janeiro de 2015

     

  28. A inépcia do governador

    A inépcia do governador Alckimin e principalmente de sua assessoria técnica parece não estar entendendo nada do que será o futuro de São Paulo se nada se fizer de urgência.

    O que vai ocorrer em São Paulo não tem precedente na literatura técnica nem na política nacional e internacional. Lançar uma cidade que tem características de violência urbana latente e reprimidas por forças policiais num TOTAL E COMPLETO DESABASTECIMENTO DE ÁGUA nunca ocorreu e será uma experiência sociológica e política inédita. Uma coisa são cidades em que a falta de água é endêmica outra coisa é uma pandemia de falta de água.

    Salvo por uma probabilidade extremamente baixa de ocorrência de chuvas intensas nos meses de fevereiro e março o racionamento sozinho não é uma solução para São Paulo, simplesmente porque no momento, qualquer racionamento mais intenso levará uma série de rupturas nas canalizações devido ao processo de enchimento e esvaziamento sucessivo das mesmas. Pelo o que foi divulgado pela imprensa as redes no centro da cidade são tão precárias que com operações de enchimento e esvaziamento é possível que muitas delas entrem em colapso.

    O que é necessário no momento são obras provisórias emergenciais feitas dentro de uma lógica de situação de CALAMIDADE PÚBLICA.

    O governador Alckmin está utilizando uma lógica de culpar o aquecimento global como defesa, coisa que é apoiado por uma série de idiotas que não tem nem o cuidado de verificar séries hidrológicas mais longas que mostram perfeitamente que em décadas passadas, no início do século tem-se registrado num dos postos hidrometeorológicos de São Paulo, períodos de secas tão graves como o que tem ocorrido agora.

    As medidas de precipitação em São Paulo é feita desde o século XIX. Conforme mostra o trabalho de Schröder (Distribuição e curso anual das precipitações no estado de São Paulo. SCHRÖDER, Rudolf Bragantia vol15 Campinas 1956 nº18), postos pluviométricos nas cidades como Campinas (1890) São Paulo (1888) Paranapiacaba (1889), Tatuí (1888) e Iguape (1889) funcionavam desde 1889 ou 1890, porém os dados que são apresentados para justificar a baixa precipitação em São Paulo são de séries que começam em 1961 ou 1970, ou seja, se tendo dados de mais 70 anos perfazendo uma série histórica de 124 anos são desprezados e apresentados dados da metade ou menos da metade do tempo.

    O problema é que pesquisadores atuais só trabalham com dados que JÁ ESTÃO DIGITALIZADOS, e como pegar as planilhas ou os registros analógicos de períodos passados dá muito TRABALHO!

    • Idiotisse

      Idiotisse é excluir TOTALMENTE as influências das mudanças climáticas em escala global no regime do clima regional. Além disso, apesar de ilustrar o seu post com gráfico de nove postos hidrometeorológicos no estado (provavelmente deve haver muito mais) e citação de literatura especializada, a síntese do que foi dito é a seguinte: Que no início do século XX, (lá pelos anos 30) e em um único posto hidrometeorológico do estado de São Paulo, unzinho só, houve “períodos de secas tão graves como o que tem ocorrido agora.” Hahaha!

      É claro que o problema é político em razão da falta de planejamento, etc., mas não somente, pois as mudanças climáticas contribuiram (o ano de 2014 foi o mais QUENTE da história moderna)  e contribuirão MUITO MAIS em um futuro próximo, não somente na região sudeste, incluindo São Paulo, mas também em todo Brasil, em todas as Américas, e em todo o planeta…

       

      • João, os gráficos não são para provar nada do que pensas!

        João, os gráficos não são para provar nada do que pensas! Eles só foram postos aí para prover que há dados de mais de 124 anos de chuvas que deveriam ser utilizados, leia de novo.

    • Prezado quem é que vai morrer

      Prezado quem é que vai morrer de sede, o povo brasileiro ou o povo paulista ?

      Você é um daqueles coxinhas orgulhosos que dizem fora petralhas !!

      Que morra de sede agarradinho ao seu Alkimin !!!

    • Meu senhor Pacífico : O

      Meu senhor Pacífico : O senhor acha realmente que a presidente Dilma dorme ? Ou algum Cristo consegue dormir com a gritaria da Mídia, do PMDB, do PSDB, do PR, PSB, PV , até do PT e outros menos votados, diuturnamente em sua cabeça.? Talvez suas falhas estejam exatamente  neste PEQUENO detalhe. O sono é importantíssimo, sabia ?

  29. Quem precisa acordar?

    Sinceramente quem precisa acordar são vocês.

    As iniciativas serão na area de comunicação (com apoio total da grande midia) no sentido de desinformar a população e blindar o governador, vão arrumar bodes espiatórios e vai sobrar para Deus, São Pedro, povo, aquecimento global e claro pro PT.

    Factoides, escandalos, mentiras, montagens, simulações…

    Nos próximos meses vamos presenciar uma situação surreal que vai levar a limites nunca antes atingidos o conceito de manipulação de massas.

    Vai dar certo ou vai ser o ato final da grande midia decadente?

     

  30. Ops refazendo: É preciso

    Ops refazendo: É preciso acordar Alckmin e Dilma!!!

    Parece que ofendi um ativista com uma frase sem maldade alguma. Da minha parte acho os termos 

    coxinha e petralhas impróprios…Mas parece que tem ser humano que só consegue enxergar a vida de modo bifásico tipo 110/220 V. Essas defesas exacerbadas so me remetem a um pensamento de um grande filósofo popular: “A esquerda só enxerga as causas e a direita só as consequências”. O pensamento cartesiano!!!!

     

  31. Não se iludam! A jiripoca vai cantar…

    No extremo Oeste de S. Paulo existem rios, digamos assim, quase que perenes, de onde poderia ter sido projetada uma transposição para cobrir os erros ambientais cometidos nas bacias vizinhas da capital.

    Mas quando que o empresariado privado vai pensar em solução de longo prazo? Solução seria investir o seu rico lucro nesta obra! Quem acredita que a SABESP privatizada faria isto????

    A privataria tucana acabou com São Paulo e se preparem porque virão tempos bem difícieis pela frente! O eleitor paulista continua entorpecido, sem acreditar no caos que virá em S Paulo. O pior! A debacle do ex-estado mais rico vai afetar a economia nacional.

    O governador continua a fazer cara de paisagem confiando que a mídia aliada vai salvar as aparências. Pobre Idiota! Quero ver quando a jiripoca começar a cantar…

  32. O paulistano e o paulista não

    O paulistano e o paulista não estão nem aí. Em um ato falho o governador falou em racionamento, depois voltou atrás. Então como Antônio Conselheiro dos ricos garantiu que não há crise/problema, então não há problema. Isto só existe na cabeça de petistas que já sofrem com o apagão. Este sim já é realidade. Tanto é realidade que que à noite e madrugada as luzes das casas se apagam. Isso deve ser por causa do apagão,

  33. viking de terceiridade.
    nada

    viking de terceiridade.

    nada no lodo marron-glace tucano.

    beowulf da cantareira.

    criador da peste bufônica.

    nem hyeronimus bosh daqui te pintaria melhor.

    nem dali.

     

     

  34. Porque os tucanos dormem

    Os paulistas e paulistanos (cidadãos, governantes, políticos, empresários e imprensa decadente) podem se salvar do caos se acontecer o mesmo que aconteceu em 2004.

    Quem se der ao trabalho de ir ao site da Sabesp e conseguir descobrir onde estão os dados diários dos reservatórios que abastecem SP irá descobrir que em 2004 as coisas estavam pior.

    Basta consultar os diversos anos desde 2003, primeiro ano em que os dados estão disponíveis no site.

    Seguem abaixo os dados que coletei lá para o dia 21 de janeiro de cada ano.
    São dados de volume armazendo (%).

    Cantareira / Alto Tietê / Guarapiranga / Alto Cotia / Rio Grande / Rio Claro
    2003 – 30,3 / 40,3 / 38,4 /  35,4 /  95,3 /  64,5
    2004 –  4,2 / 18,7 / 21,6 /  11,9 /  66,8 /  67,5
    2005 – 36,4 / 34,1 / 61,9 /  53,3 /  89,8 / 101,7
    2006 – 45,1 / 44,3 / 71,6 / 100,2 /  91,4 /  99,9
    2007 – 46,3 / 62,6 / 73,0 / 101,1 /  92,2 /  65,5
    2008 – 34,3 / 45,8 / 58,4 /  68,4 /  81,6 /  34,4
    2009 – 55,8 / 43,8 / 56,8 /  94,9 /  80,4 /  49,2
    2010 – 96,7 / 81,1 / 83,0 / 109,6 / 107,7 / 102,5
    2011 – 96,4 / 80,7 / 79,1 / 102,3 / 102,6 / 102,0
    2012 – 72,7 / 57,7 / 68,7 /  51,9 /  98,3 / 102,2
    2013 – 52,1 / 51,1 / 66,9 /  89,0 /  92,4 /  72,6
    2014 – 24,2 / 45,7 / 66,2 /  67,8 /  93,2 / 101,4
    2015 –  5,5 / 10,0 / 38,2 /  28,2 /  68,6 /  22,0

    Nem tudo está perdido para os dorminhocos paulistas.

    Aproveito e coloco aqui algumas notícias de um dos representantes da imprensa decadente e dorminhoca:

    13/01/2004
    Cantareira opera com 4,9% de sua capacidade
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff1301200424.htm

    24/01/2004
    É possível evitar escassez de água sem elevar tarifa?
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/especial/fj2401200406.htm

    28/01/2004
    Reservatórios continuam baixos
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2801200413.htm

    Durante a pesquisa por notícias relacionadas com a Sabesp nos meses de janeiro apareceu esta nota na coluna Painel:
    “Ao usar dinheiro público para financiar a atuação partidária de FHC, os tucanos jogaram seu discurso da ética pelo ralo”.
    Do deputado federal eleito PAULO TEIXEIRA (PT-SP) sobre a doação de R$ 500 mil da Sabesp, empresa controlada pelo governo paulista, ao Instituto FHC, que reúne o acervo do ex-presidente.
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc1901200701.htm

    Interessante lembrar que a Sabesp “investiu” no Gagá C.

    • Você só esqueceu que esses

      Você só esqueceu que esses atuais 5,5% da cantareiras são totalmente artificiais, pois eles incluíiram no cálculo os dois volumes mortos. Se não tivesse esse volume a mais, o nível estaria em torno de -20%, o que é bem diferente desses 4,2% de 2004. E o Cantareira é de longe o maior sistema, então se ele vai pro brejo, os outros não tem como segurar. Por isso que o Alckmin agora tá falando de usar a Billings.

      Simplesmente o cantareira não tem salvação a curto prazo.

      • Você tem razão em parte,

        Você tem razão em parte, naquela vez não foi preciso usar o tais volumes mortos. Desta vez, não fossem os mortos, o Cantareira já estaria seco.

        Mas se olharmos apenas o volume armazenado de ontem, 5,5%, é ligeiramente maior do que tinha em 2004. Naquele ano as chuvas foram generosas e salvaram o Cantareira e SP da catástrofe. O volume armazendo aumentou de 4,2% para 36,4%. Com mais generosidade pluviométrica no ano seguinte, o volume aumentou para 45,1%.

        Generoso mesmo foi o ano de 2009. O volume armazendo do Cantareira, que era pouco mais da metade, saltou para quase 100%

        Enfim, paulistanos e paulistas dependem da natureza ser generosa novamente. Enquanto a maioria dorme seria interessante os acordados começarem a fazer logo a “dança da chuva”, senão todo mundo vai dançar, dormindo ou não.

         

  35. Acorda o Haddad também.

    Nassif, desculpe aí, não se trata de querer defender o imbecil do narigudo, mas o abastecimento de água potável é responsabilidade do munícipio.

    Muitos municípios tem serviços municipais de água, outros, como São Paulo, concedem a outros, empresas públicas ou privadas.

    Espeficimanete no Município de São Paulo, há uma lei de 2009 que autoriza o Prefeito a celebrar contratos de até 30 anos com essas empresas, no caso a SABESP.

    O município recebe 7,5% do que a SABESP arrecada pelo direito dea explorar tanto o abastecimento de água quanto a coleta de esgoto. 

    Mas a responsabilidade, continua sendo do prefeito.

    Então, acorda o Haddad também.

  36. LEI Nº 14.934, DE 18 DE JUNHO

    LEI Nº 14.934, DE 18 DE JUNHO DE 2009

     

    AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A CELEBRAR CONTRATOS, CONVÊNIOS OU QUAISQUER OUTROS TIPOS DE AJUSTES NECESSÁRIOS, INCLUSIVE CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO E CONTRATO DE PROGRAMA, COM O ESTADO DE SÃO PAULO, A AGÊNCIA REGULADORA DE SANEAMENTO E ENERGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO – ARSESP E A COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO – SABESP, PARA AS FINALIDADES E NAS CONDIÇÕES QUE ESPECIFICA; CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL E INFRAESTRUTURA; E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

    (Projeto de Lei nº 558/08, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo)

    GILBERTO KASSAB, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, faz saber que a Câmara Municipal, em sessão de 3 de junho de 2009, decretou e eu promulgo a seguinte lei:

    TÍTULO I
    DAS DISPOSIÇÕES CONTRATUAIS, DOS CONVÊNIOS E DOS DEMAIS AJUSTES

    Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a celebrar contratos, convênios ou quaisquer outros tipos de ajustes necessários, inclusive convênio de cooperação e contrato de programa, com o Estado de São Paulo, a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo – ARSESP e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – SABESP, previstos nas Leis Federais nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007, nº 11.107, de 6 de abril de 2005, nº 9.074, de 7 de julho de 1995, nº 8.987, de 13 de fevereiro de 1995, e nº 8.666, de 21 de junho de 1993, bem como na Lei Complementar Estadual nº 1.025, de 7 de dezembro de 2007, com a finalidade de regulamentar o oferecimento compartilhado do serviço de abastecimento de água e esgotamento sanitário no âmbito do Município de São Paulo, bem como assegurar a sua prestação pela SABESP, pelo prazo de 30 (trinta) anos, prorrogável por igual período, desde que:

    I – os investimentos a serem realizados pela SABESP sejam definidos em conjunto pelo Estado e pelo Município de São Paulo, observados os Planos Municipal, Metropolitano e Estadual de Saneamento, que constituirão, para essa finalidade, um Comitê Gestor formado por representantes indicados pelos dois entes;

    II – os investimentos previstos no acordo sejam completamente amortizados no decorrer da execução do ajuste que for celebrado com a SABESP, ressalvados os investimentos de caráter extraordinário não pactuados inicialmente;

    III – sem prejuízo do disposto no art. 5º, a SABESP e o Município cheguem a um acordo sobre os valores a serem transferidos a este último, a título de contrapartida inicial, que poderão ser utilizados pelo Município no equacionamento de suas pendências financeiras com a SABESP, após a conclusão da avaliação econômico-financeira dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário no âmbito do Município de São Paulo.

    § 1º A ARSESP poderá exercer as funções de regulação e fiscalização do ajuste, ressalvadas as competências do Estado e do Município.

    § 2º Os ajustes previstos no “caput” deste artigo conterão mecanismo de revisão de tarifas e do percentual definido no inciso II do art. 5º, para mais ou para menos, com periodicidade não superior a 4 (quatro) anos, a fim de se manter o equilíbrio econômico-financeiro, sem prejuízo de revisões extraordinárias.

    Art. 2º Os ajustes que vierem a ser celebrados pelo Poder Executivo, com base na autorização constante do “caput” do art. 1º, serão automaticamente extintos se o Estado vier a transferir o controle acionário da SABESP à iniciativa privada.

    Art. 3º Os ajustes referidos no art. 1º abrangerão, dentre outros, os seguintes termos e atividades:

    I – a proteção de mananciais, em articulação com os demais órgãos do Estado e do Município de São Paulo;

    II – a captação, adução e tratamento de água bruta;

    III – a adução, reservação e distribuição de água tratada;

    IV – a coleta, transporte, tratamento e disposição final de esgotos sanitários;

    V – a adoção de outras ações de saneamento básico e ambiental; e

    VI – o prazo para universalização dos serviços de distribuição de água, coleta e tratamento de esgoto no Município de São Paulo.

    Art. 4º As tarifas e os preços dos serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário deverão garantir a universalização do acesso ao saneamento básico, especialmente para populações e localidades de baixa renda, para as quais haverá tarifa subsidiada.

    Parágrafo Único – A SABESP oferecerá às entidades conveniadas ou que atuem em parceria com o Município nas áreas de saúde, educação e assistência social, o Programa de Uso Racional da Água (PURA), além de tarifas e preços diferenciados, nos termos e condições a serem definidos nos ajustes previstos no art. 1º.

    Art. 5º A partir da data de celebração dos ajustes referidos no art. 1º, e durante todo o período de vigência de tais instrumentos, incluindo eventual prorrogação, a SABESP deverá destinar, no mínimo, os percentuais abaixo indicados, aplicados sobre a receita bruta obtida a partir da exploração dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário no Município de São Paulo, observadas as deduções previstas no § 2º:

    I – 7,5 % (sete inteiros e cinco décimos por cento) para o Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura, em periodicidade trimestral, sendo que eventuais inadimplências dos órgãos da administração direta, fundações e autarquias do Município serão deduzidas do montante a ser transferido; (Vide Art. 1º da Lei nº 15969/2014)

    II – 13,0% (treze inteiros por cento) para investimentos em ações de saneamento básico e ambiental de interesse do Município, a serem definidos nos ajustes referidos no art. 1º e realizados pela SABESP.

    § 1º Com o início da destinação prevista no inciso I deste artigo, a SABESP e o Município pactuarão o término do convênio atualmente existente entre o Município e a SABESP, pelo qual a SABESP destina a totalidade dos valores a ela pagos pelo Município, descontados os tributos incidentes, à realização de ações em saneamento básico e ambiental de interesse do Município.

    § 2º Serão deduzidos da receita bruta referida no “caput” deste artigo, para efeito de aplicação dos percentuais definidos nos incisos I e II, a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social – COFINS e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público – PASEP, bem como os tributos que vierem a substituí-los.

    § 3º A SABESP fornecerá trimestralmente a composição da receita bruta e das deduções referidas no § 2º deste artigo, em formato passível de auditoria independente, sendo que eventuais compensações, para mais ou para menos, serão realizadas nos trimestres subseqüentes.

    TÍTULO II
    DO FUNDO MUNICIPAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL E INFRAESTRUTURA

    CAPÍTULO I
    DAS FINALIDADES

    Art. 6º Fica instituído o Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura, junto à Secretaria Municipal de Habitação, destinado a apoiar e suportar ações de saneamento básico e ambiental e de infraestrutura no Município.

    Parágrafo Único – Sem prejuízo das ações de saneamento básico e ambiental de responsabilidade da SABESP, os recursos do Fundo deverão ser aplicados no custeio de obras e serviços relativos a:

    I – intervenções em áreas de influência ou ocupadas predominantemente por população de baixa renda, visando à regularização urbanística e fundiária de assentamentos precários e de parcelamentos do solo irregulares;

    II – limpeza, despoluição e canalização de córregos;

    III – abertura ou melhoria do viário principal e secundário, vielas, escadarias e congêneres, em áreas de influência ou ocupadas predominantemente por população de baixa renda, visando à regularização urbanística e fundiária de assentamentos precários e de parcelamentos do solo irregulares;

    IV – provisão habitacional para atendimento de famílias em áreas de influência ou ocupadas predominantemente por população de baixa renda, visando à regularização urbanística e fundiária de assentamentos precários e de parcelamentos do solo irregulares;

    V – implantação de parques e de outras unidades de conservação necessárias à proteção das condições naturais e de produção de água no Município, de reservatórios para o amortecimento de picos de cheias, de áreas de esporte, de obras de paisagismo e de áreas de lazer;

    VI – drenagem, contenção de encostas e eliminação de riscos de deslizamentos;

    VII – desapropriação de áreas para implantação das ações de responsabilidade do Fundo.

    CAPÍTULO II
    DOS RECURSOS FINANCEIROS

    Art. 7º O Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura será constituído de recursos provenientes:

    I – das receitas mencionadas no inciso I do art. 5º;

    II – das dotações orçamentárias a ele especificamente destinadas;

    III – dos créditos adicionais a ele destinados;

    IV – das doações, reembolsos, legados ou subvenções de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado, nacionais ou internacionais;

    V – dos rendimentos obtidos com a aplicação de seu próprio patrimônio;

    VI – de outras receitas eventuais.

    Art. 8º Os recursos do Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura serão depositados em conta corrente específica e serão vinculados exclusivamente ao atendimento das finalidades do Fundo.

    Parágrafo Único – O saldo financeiro do Fundo será transferido para o exercício seguinte.

    Art. 9º O Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura terá contabilidade própria, que registrará todos os atos a ele pertinentes, a cargo da Secretaria Municipal de Habitação.

    CAPÍTULO III
    DA GESTÃO DO FUNDO

    Art. 10 A gestão do Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura compete ao Conselho Gestor, que será composto pelos seguintes membros:

    I – Secretário Municipal de Habitação;

    II – Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente;

    III – Secretário do Governo Municipal;

    IV – Secretário Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras;

    V – Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano;

    VI – Secretário Municipal de Finanças;

    VII – Secretário Municipal de Planejamento;

    VIII – Secretário Municipal de Coordenação das Subprefeituras;

    IX – 1 (um) representante da sociedade civil que seja membro do Conselho Municipal de Habitação, indicado pelo próprio Conselho;

    X – 1 (um) representante da sociedade civil que seja membro do Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – CADES, indicado pelo próprio Conselho;

    XI – 1 (um) representante da sociedade civil que seja membro do Conselho Municipal de Política Urbana – CMPU, indicado pelo próprio Conselho.

    § 1º O Secretário Municipal de Habitação será o Presidente do Conselho Gestor, cabendo a Vice-Presidência ao Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente.

    § 2º Os membros do Conselho Gestor previstos nos incisos IX a XI do “caput” deste artigo deverão ser indicados pelos respectivos Presidentes dos Conselhos Municipais, bem como deverão indicar um conselheiro suplente, que comparecerá às reuniões do Conselho Gestor nas ausências do titular.

    § 3º A participação no Conselho não será remunerada, sendo, porém, considerada de relevante interesse público.

    § 4º As decisões do Conselho serão tomadas com aprovação da maioria simples dos membros presentes, cabendo ao Presidente o voto de desempate, quando for o caso.

    § 5º O Conselho reunir-se-á ordinariamente a cada seis meses e, extraordinariamente, sempre que convocado pelo seu Presidente.

    § 6º O funcionamento das reuniões do Conselho será disciplinado pelo Regimento Interno, a ser aprovado por seus membros.

    Art. 11 Compete ao Conselho Gestor do Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura:

    I – aprovar anualmente o plano de aplicação de recursos do Fundo, com observância das diretrizes e prioridades estabelecidas nesta lei, e de acordo com o previsto no Plano Municipal de Saneamento;

    II – aprovar as contas anuais do Fundo;

    III – estabelecer normas, procedimentos e condições operacionais do Fundo;

    IV – aprovar seu Regimento Interno;

    V – dirimir eventuais dúvidas quanto à aplicação das diretrizes e normas relativas ao Fundo nas matérias de sua competência;

    VI – decidir sobre os investimentos a serem realizados com os recursos previstos no inciso I do art. 5º;

    VII – liberar ao pleno conhecimento e acompanhamento da sociedade, em tempo real, informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira do Fundo, em meios eletrônicos de acesso público;

    VIII – dar total transparência a suas manifestações e deliberações, bem como sobre a origem e o destino dos recursos do Fundo, em especial quanto aos contratos que vierem a ser celebrados e aos procedimentos licitatórios realizados, às pessoas físicas ou jurídicas beneficiárias dos pagamentos, e aos bens e serviços contratados.

    IX – autorizar a cessão, pela Prefeitura do Município de São Paulo, dos direitos creditórios previstos no inciso I do art. 5º desta lei, cabendo ao Presidente do Conselho firmar compromissos para sua operacionalização. (Redação acrescida pela Lei nº 15969/2014)

    Parágrafo Único – A transparência a que se refere o inciso VIII deste artigo se dará mediante a publicação de todas as manifestações e deliberações do Conselho Gestor no Diário Oficial da Cidade, além da ampla divulgação de todas as informações relativas ao Fundo na rede mundial de computadores.

    Art. 12 Caberá à Secretaria Municipal de Habitação executar as atividades operacionais, de assessoria, de coordenação e de secretaria do Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura e do Conselho Gestor, bem como:

    I – executar as funções de apoio técnico e administrativo;

    II – elaborar a proposta do plano de aplicação de recursos financeiros a ser apreciada anualmente pelo Conselho Gestor;

    III – dar publicidade às decisões, pareceres, manifestações e análises dos programas e projetos apoiados pelo Fundo.

    Art. 13 No prazo de 120 (cento e vinte) dias contados da publicação desta lei, o Poder Executivo deverá elaborar o Plano Municipal de Saneamento Básico, orientado pelo:

    I – estabelecimento de ações preventivas na gestão dos recursos hídricos, por meio das atividades de drenagem urbana, disposição final de resíduos sólidos e líquidos e preservação de áreas de mananciais e proteção ambiental;

    II – integração das políticas, programas e ações governamentais de saneamento, saúde, recursos hídricos, desenvolvimento urbano, habitação, uso e ocupação do solo;

    III – utilização dos indicadores sanitários, epidemiológicos e ambientais como parâmetros do nível de qualidade de vida da população e como norteadores das ações de saneamento;

    IV – incentivo a atividades de educação ambiental sanitária, com ênfase em saneamento.

    Parágrafo Único – O Plano Municipal de Saneamento será encaminhado para ciência do Poder Legislativo.

    Art. 14 Para atender às despesas decorrentes da execução desta lei, fica o Poder Executivo autorizado a abrir créditos especiais e suplementá-los se necessário, até o limite das receitas do Fundo.

    Art. 15 Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogada a Lei nº 13.670, de 25 de novembro de 2003.

    PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 18 de junho de 2009, 456º da fundação de São Paulo.

    GILBERTO KASSAB, PREFEITO

    Publicada na Secretaria do Governo Municipal, em 18 de junho de 2009.

    CLOVIS DE BARROS CARVALHO, Secretário do Governo Municipal

    DATA DE PUBLICAÇÃO: 19/06/2009 

    Data de Publicação no LeisMunicipais: 19/06/2009

  37. Alguém tinha que avisá-lo de

    Alguém tinha que avisá-lo de que, ao contrário de energia elétrica para servir ao  Brasil do tanto queil precisar, a Argentina não tem água sufiente para isso

  38. Pois então….

    É muito mais do que uma irmandade entre o PSDB e os jornais e revistas de oposição (PIG), é uma única máquina, uma coisa só, quem vem funcionando plenamente.

    Por ai se vê o tamanho do feito que foi Haddad se eleger prefeito na cidade de São Paulo.

    Essa crise é o tranco que o mundinho classe média/medíocre paulista/paulistano merece para começar a prestar atenção na realidade que o cerca. 

    Já o “governador” Alckmin… 

    Mais do que qualquer outro da cena política brasileira, ele é sob medida para representar o adminstrador “cara-de-bunda” diante de uma crise.

  39. Diria que precisa acordar
    Diria que precisa acordar quase TODOS e principalmente os principais grupos sociais, políticos, inclusive da oposição, pesquisadores..

    A tragedia demanda esforços ecumênicos e menos vaidade.

    Mas seria pedir demais…

  40. Só o Chapolim Colorado poderá nos salvar.

    A falta d’água em São Paulo vai para a conta da Dilma e do PT, não tenham dúvida. 

    Com a imprensa  e o povo nas mãos o governador pouco se lixa para o apocalipse hídrico.

    A crise  vem se arrastando há meses e Alckmin foi eleito logo no primeiro turno.

    Lembram-se?

    Ele nadará de braçada nas represas secas da capital e ainda sairá bem na fita.

    Duvidam?

    Nada faz, pois sabe que a catástrofe paulista pode ser o estopim que deflagrará a explosão de um conflito social inigualável no Brasil, sem que isso o atinja.

    Foi assim nas eleições e agora o mesmo se repetirá

    O fantasma do terceiro turno ainda não desapareceu e assombrará Dilma ao longo dos quatro anos vindouros. Se é que a presidente terá folego para aguentar tanto tempo

    Imaginem o maior estado brasileiro parado pela falta d’água?

    Esse desastre terá consequências econômicas e sociais devastadoras para o Brasil e para os petistas.

    Sem o apoio popular, motivado pelas medidas econômicas desastrosas  tomadas pela equipe neoliberal do governo, Dilma corre o risco de ficar sozinha quando o pior dos mundos desabar sobre ela.

    Estamos perdidos?

     

  41. Esqueçam o alkimim

    Esqueçam o alkimim. Ele nada fará como nunca fez. O pig manda nele e ele só obedece.

    Cobrem do pig que escondeu o problema durante anos para garantir a derrota do pt. Ao pig cabe a responsabilidade.

    Ainda agora, hoje, o pig esconde e impede qualquer planejamento de como será o caos. Cobrem do pig. Acordado ele sempre foi, e muito. O pig terá que tirar o paulista disso, ou será que ele não está nem aí… Pensando bem….A globo é no rio, fecham as filiais como o estadão, a folha  e a revistinha do esgoto (seco), e que se danem os paulistas. E a globo vai ainda comemorar o pib ainda menor.

    Cobrem do pig,  mas ele não pagará.

  42. Nassif, por favor, não mande

    Nassif, por favor, não mande os paulistas prá MG, principalmente para Poços de Caldas! Chega a maldade que fizeram os PSDBistas da cidade, que perdemos todos os deputados que tínhamos. Além da história da Máfia dos Transplantes. Diga a eles que o prefeito e o Governador, não perdoam nenhuma criancinha, pois são do PT.

  43. Um acampamento nas imediações do Bandeirantes, talvez

    Se tivessemos uma oposição e uma sociedade civil organizada, já haveria um Occupy Bandeirantes ali instalado, exigindo providencias óbvias como reparo emergencial das  e montagem de uma rede de captação via cisternas para abastecimento emergencial, como mostra essa reportagem:

    http://correio.rac.com.br/_conteudo/2015/01/capa/campinas_e_rmc/236141-pcj-aposta-em-cisterna-como-alternativa-de-abastecimento.html

  44. Sapo em panela de água em aquecimento

    A situação da população de São Paulo, dos empresários de São Paulo, das instituições em São Paulo é a mesma daquela metáfora do sapo dentro de uma panela de água (com o perdão do trocadilho) sendo aquecida lentamente. 

    Quando se aperceberem da gravidade do que estar por vir ja será tarde demais. 

    []’s

  45. Estimada Lenita

    Se não dorme, o que ela fez nesses últimos 4 anos que manteve um ministro de Comunicação apático, uma ministro da Justiça que parece não ter a mínima autoridade perante a sua polícia republicana, uma equipe econômica (a despeito de alguns méritos do Ministro Mantega) que promoveu um desarranjo nas contas públicas e que fez com que ortodoxia econômica voltasse com tudo (Chicago Boys), penalizando os assalariados e favorecendo o grande capital especulativo, que lucra cada vez mais e continua a não aceitá-la. Não pense que não acompanho o manchetômetro, e outros blogs ditos “progressistas”, porém ao que me parece o governo continua a injetar bilhões na mídia que diuturnamente só lhe desse a pancada, não é mesmo? Ou será que sou eu que estou dormindo? Seria um pesadelo? O que não dá é para ficar nesse bláblá… se a mídia bate na Dilma,  logo temos que bater no Alckman. Tenho certeza que nem foi esse o objetivo do post… Mas sim de alguns comentários; Acho que falta uma postura mais impositiva, afinal foi um governo eleito democraticamente pela maioria! Chega dessa vitimização… Ahhh imprensa isso, a imprensa aquilo!! Da imprensa já se sabe o que esperar, não é mesmo?  Vai para cadeia de radio e televisão, use a internet, nomeie um porta-voz, ande nas ruas, nomeie ministros competentes e capazes  como disse o Ciro Gomes. Ta dificíl é perceber que a corda só arrebenta para o lado do mais fraco… quero ver uma postura como a do Obama que pelo menos coloca assuntos como fim do embargo a Cuba e Taxação (relativa) das grandes fortunas em discussão! Não vejo um pronunciamento, um encontro com os bloqueiros (pelo contrário é o café com a imprensa), uma postura mais altiva em pelo menos se defender… 

    Tá difícil… acho que  tem que se ouvir mais os descontentes e não expurgá-los (vide Gilberto Carvalho, Marta Suplicy) e deixar de ser benevolente com atitudes como a do Governador Aguinelo Queiroz (não vi um comentário a respeito dos mal feitos do mesmo). Esse ativismo de lamentações e de agressão a quem expoe o contraditório (por ex. fui rotulado de coxinha) é que é contraproducente.

  46. A massa “cheirosa” da

    A massa “cheirosa” da Catanhede não vai manter essa virtude olfativa por muito tempo, depois do carnaval “o xoqui di jestão” tucano vai legar aos paulistas o “banho de canequinha” uma vez por semana.

  47. Vikings da terceira idade?

    Vikings da terceira idade? Está ofendendo os vikings!! Jeca Tatu da terceira idade também é uma ofensa. Para os Jecas, é claro.

  48. Verdade é.

    Geraldo Alckmim, é um marionete como governador, ele não tá nem aí se São Paulo vai se lascar, ele sabe que nada vai lhe atingir politicamente, basta ele seguir rigorosamente a cartilha da elite dominante, que controla todo o Estado, simples assim; como no caso da craterra do metro, oque sobrou pro Serra?

     

  49. Que nada, a nossa

    Que nada, a nossa Paulicéia(certamente mais desvairada do que nunca) está muito mais preocupada em separação de SP do restante do Brasil. Essa semana mesmo tem passeata em favor da separação, com o apoio irrestrito da revista Veja.

  50. Quanto tempo durará

    Quanto tempo o alkimim durará. A esta hora o pig deve estar planejando como tirá-lo fora do governo e do foco. Quanto tempo o alkimim durará? . A “metáfora” do goldman e do serra pedindo o afastamento da….. Dilma (?????) é alguma senha para o pig?

  51. Notícias da Pauliceia Desvairada

    Manchete da Folha de São Paulo online de hoje: 

    “Falta de luz deixa 800 mil pessoas sem água na grande São Paulo”

  52. tinha que afastar esse

    tinha que afastar esse larápio incompetente e conspirador das corporações abutres do cargo de governador, urgentemente!

  53. Dormindo

    O Brasil está na iminência de uma grave crise hídrica e energética. Falta água para beber e também para gerar energia. As termo-elétricas não suportarão por muito tempo o funcionamento ininterrupto- precisam de manutenção periódica. O que isto pode acarretar? Desequílibrio entre a oferta e a demanda de consumo. Já foi dito pelo MME que as represas geradoras de energia atingindo o nível de 10 % de sua capacidade, haverá racionamento. Quanto ao fornecimento de água potável , do mesmo modo , é iminente que Pezão , Pimentel e Geraldo irão racionar o fornecimento do líquido precioso. Algum ministro disse que Deus é brasileiro. E daí?

  54. é muito mais simples.
    Basta

    é muito mais simples.

    Basta que Pezão e Pimentel, conversem, botem seus assessores de ‘hidro’ para  bolar plano de contingencia pra ontem,

    e venham a publico, os dois JUNTOS e digam umas coisas obvias e diretas … que os paulistas entendam. PAor ex absoluta transparencia e economia de guerra na agua…E q nao adianta criminalizar os consumidores em primeiro lugar.

    E saiam dali com uma verba federal, ja garantida.

    quero ver como o chuchu e sua Midia puxasaquica se virarão.

     

    • A Midia continuará atuando

      A Midia continuará atuando como sempre:

      RJ e MG: racionamento com total desamparo à população (no caso de MG: culpa do PT)

      SP: crise hídrica (no máximo apontando como culpa do PT)

      E o governo Federal continua sem falar com o povo.

      Na natureza não existe vácuo: se o Estado não ocupa o espaço, os bandidos o farão.

  55.  
    http://www1.folha.uol.com.b

     

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/helioschwartsman/2015/01/1579189-os-politicos-e-a-realidade.shtml

     

     

    Os políticos e a realidade

    23/01/2015  02h00

    Compartilhar11Tweetar10

    Mais opções

    SÃO PAULO – Foi com surpresa que li na coluna de Vinicius Torres Freire que economistas do Banco Safra reduziram sua estimativa de crescimento do PIB para 2015 de alta de 0,3% para baixa de 0,5%, entre outros motivos, porque o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, reconheceu que o Estado passa por um racionamento de água.

    O assombroso aqui não é que tenham modificado sua previsão, mas que tenham aguardado o governador se atrapalhar com as palavras e quem sabe talvez admitir que esteja faltando água para proceder à atualização. Alckmin se revelou, desde sempre, a fonte menos confiável de informações sobre a crise hídrica. Ouvi-lo nessa matéria faz tanto sentido quanto consultar Dilma sobre o setor elétrico, isto é, nenhum.

    O problema de base aqui está na interação entre a democracia de massas e a arquitetura cerebral. Sabemos, desde Platão, que o regime democrático flerta com o populismo. O principal mandamento do político é não desagradar à população. Se o fizer, perderá a próxima eleição e, assim, deixará de ser político.

    Essa faceta do sistema é tão acentuada que faz com que a própria percepção de realidade seja alterada. Isso significa que o político ou militante partidário que defende teses com pouco amparo na realidade, como a de que não faltaria água em São Paulo ou a de que o governo federal vinha aplicando uma política econômica virtuosa, não necessariamente é um mau caráter. A literatura traz um bom corpo de evidências empíricas a sugerir que as pessoas torcem tanto para que sua versão favorita do mundo se materialize que, em alguma medida, acabam confundindo seu desejo com a realidade.

    O que diferencia políticos comuns de estadistas é que estes últimos não apenas veem as coisas de modo menos deformado pela subjetividade como enxergam para além do horizonte de dois mandatos eletivos. Estadistas vêm fazendo falta ao Brasil. 

    Hélio Schwartsman é bacharel em filosofia, publicou ‘Aquilae Titicans – O Segredo de Avicena – Uma Aventura no Afeganistão’ em 2001. Escreve de terça a domingo.

  56. Alckmin seria democrata e competente

    Nassif, por favor, não perturbe o sono  blindado do Alckmin. Ele só quer ser acordado em agosto de 2018, à tempo de preparar os vídeos para o programa eleitoral gratuito. Contente-se com o que diz a Folha de São Paulo sobre ele: Alckmin nem é fascistra nem irresponsável; é um democrata competente. Palavras do Opus Dei.

  57. Ele não foi reeleito no primeiro turno?

    Ele não foi reeleito no primeiro turno? Parece que isso que a população de SP queria.

     

     

  58. Foi por essas e muitas outras . . .

    . . . que o tal de Cabral no Rio de Janeiro cascou fora antes do fim de mandato, subiu a serra e foi pastar as suas cabras noutro lugar, tadín dele. Mas tem ganas de voltar com o seu gado, pois pensa que governar algum estado do Sudeste é lanacaprina, é sopa de favas previamente contadas e distribuídas entre os seus sub-sátrapas. Se engana. Gente como o Briza quase que se ferra totalmente (de fato se ferrou parcialmente!) Taí! Fez tudo pro Braziu gostar dele e não levou a melhor. Quem nasce pra pataca nunca pode ser vintém.

  59. Preconceito

    Uma frase mostra o quando o Sr. Luis Nassif é preconceituoso: “No Facebook e por email, vikings da terceira idade, como Aloyzio Nunes e Alberto Goldmann denunciando pacotes fiscais”. Calma Sr. Jornalista Sabe Tudo, a idade chega pra todos. Até para os canalhas.

  60. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome