Antes de ser preso, hacker indicou que poderia vazar dados do governo

Zambrius foi alvo de operação policial neste sábado; em e-mail, afirmou ter o controle da maioria dos sites de governo do Brasil

Jornal GGN – O hacker português apontado como responsável pelos ataques ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indicou que poderia efetuar um vazamento em massa de dados institucionais do Brasil.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, o hacker – conhecido como Zambrius, de 19 anos – é líder do CyberTeam, grupo que também reivindica a autoria de invasões ao Ministério da Saúde e ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

Zambrius enviou uma mensagem ao jornal na última sexta-feira, quando chegou a comentar a respeito de um suposto plano de invasão ao principal tribunal de segunda instância do Brasil e chegou a ameaçar “um vazamento em massa de dados institucionais do governo do Brasil”.

De 2017 para cá ao menos 140 sites brasileiros foram alvos do grupo CyberTeam, sendo que 61 páginas foram atacadas apenas neste ano. Os dados incluem apenas sites que sofreram alguma espécie de “pichação virtual” – isto é, que sofreram algum tipo de alteração no conteúdo disponível aos usuários.

Zambrius e outros três hackers brasileiros foram atingidos pela operação “ex ploit” neste sábado, 28. Segundo a Polícia Federal, eles foram alvo de mandados de busca e apreensão, além de terem proibidos de manter contato com investigados, em São Paulo e Minas Gerais.

 

Leia Também
PF prende em Portugal suspeito de invasão hacker ao TSE
Hackers atacam e capturam dados dos sistemas do TRF-1

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Distribuição de vacina contra Covid-19 contará com forças de segurança

1 comentário

  1. A tentativa de bolsonaristas de desacreditar e tumultuar o estado oficial é mesmo um absurdo. As concessões que vão lhe dando a cada novo delito cometido, vai dando permissão para que as coisas piorem. Difícil acreditar que estes jovens se arrisquem em ataques a sites que não lhe trarão retornos visíveis, sem ter ligação com políticos e milícias que se beneficiam em ambientes de confusão e desordem.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome