Após relatório da Fenaj, Bolsonaro diz que vai evitar imprensa

Dos 208 ataques a veículos de comunicação registrados em 2019, presidente foi responsável por 58% deles - e ironizou a Fenaj em suas redes sociais

Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta populares na entrada do Palácio da Alvorada. Foto: José Cruz/Agência Brasil (via fotospublicas.com)

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro disse que vai evitar falar com a imprensa após a divulgação do último relatório da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), que o apontou como responsável pela maioria dos ataques sofridos pela categoria em 2019.

O relatório da Fenaj registrou 208 ataques a veículos de comunicação e jornalistas apenas no ano de 2019, um aumento de 54% em relação ao visto em 2019. Sozinho, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi responsável por 58% de tais ataques, chegando a 121 registros.

Do total de ataques ocorridos, 114 casos foram de descredibilização da imprensa e 94 de agressões diretas a profissionais.  Além dos ataques, a Federação registrou dois assassinatos, 28 casos de ameaça e intimidação, 15 agressões físicas, 10 casos de censura ou impedimento do exercício profissional, 5 ocorrências de cerceamento à liberdade de imprensa por ações judiciais, 2 casos de injúria racial e 2 ações de violência contra a organização sindical da categoria.

Bolsonaro ironizou a publicação em suas redes sociais ao replicar uma chamada jornalística a respeito do assunto.

“Eu quero falar com vocês, mas a Associação Nacional de Jornalistas diz que, quando eu falo, eu agrido vocês. Como eu sou uma pessoa da paz, não vou dar entrevista. Não posso agredir vocês aí. Manda tirar o processo que eu volto a conversar”, disse Bolsonaro a jornalistas na entrada do Palácio da Alvorada, segundo informações do jornal O Estado de São Paulo.

O presidente referiu-se a um suposto processo movido contra ele pela “Associação Nacional de Jornalistas” – que, segundo a Secretaria Especial de Comunicação Social do Planalto (Secom), é a Fenaj.

Leia também:  Em estratégia bolsonarista, Russomanno procura um militar como vice

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. No site da FENAJA.. RSS.. eles dizem:
    “É a PRIMEIRA vez que a FENAJ usa a descredibilização no seu relatorio”
    Uai, ora pois pois, se é a PRIMEIRA VEZ, qual o número anterior que usaram para AFIRMAR que estes ataques cresceram 54%????? Onde ocorreu antes, na LUA?? Que BOSTA de pesquisa é está karay… kkkkk…. deveria mudar a Sigla para FENAJFN… Federação Nacional do Jornalismo Fake News… kkkkk
    Este site ainda reproduz está BOSTA sem ler… o bando de analfabetos funcionais…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome