Após ser alvo de operação da PF, Witzel levanta bandeira branca para Bolsonaro

Governador chegou desaprovar a possível interferência de Bolsonaro nos trabalhos da PF, mas após operação decidiu deixar oposição de lado

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Jornal GGN – Ao temer possível prisão após operação da Polícia Federal, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC-RJ), deixou de atacar Jair Bolsonaro (sem partido) nas redes sociais, observou Mônica Bergamo, em sua coluna na Folha de S. Paulo. 

Em 26 de maio, a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão na residência oficial de Witzel, como parte da investigação sobre desvio de verba emergencial da saúde durante a pandemia do coronavírus. 

O escritório de advocacia da esposa do governador, Helena Witzel, é central nas investigações, por contrato firmado com a DPAD Serviços Diagnósticos, empresa investigada e ligada a Mário Peixoto

A coluna de Bergamo aponta que, após a operação da PF, Witzel “jogou a toalha e já comunicou a pessoas próximas que não fará mais oposição frontal ao presidente Jair Bolsonaro”. 

Desde o dia da operação, o governador que atacava semanalmente Bolsonaro ou membros de sua família deixou de lado as críticas em seu perfil nas redes sociais.

Witzel chegou desaprovar a possível interferência de Bolsonaro nos trabalhos da PF, mas ao temer prisão, decidiu levantar bandeira branca em direção ao oponente. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora