Aquecimento global, se há o problema, a solução são as Hidrelétricas!

Quando se faz o cálculo das emissões de carbono a fim de cômputo do suposto aquecimento global antropogênico se esconde determinados itens que não são tão evidentes assim e se condena determinado tipo de formas de geração de energia em detrimento de outras.

Vamos esclarecer bem o assunto, quando se calcula a geração de gases do chamado efeito estufa numa barragem calcula-se com a pior estimativa o que o lago desta barragem pode gerar de calor, entretanto todos esquecem uma propriedade que o James Prescott Joule já sabia no século XIX, o equivalente mecânico do calor.

Explico melhor ainda, quando deslocamos uma massa de água de um ponto mais alto de um rio para um ponto mais baixo, há um ganho de energia cinética, esta energia ao retomar o leito do rio na parte mais baixa, ela se dissipa em que se chama turbulência, que em última instância se transforma em calor, ou seja, cascatas e cachoeiras contribuem para o aquecimento global!

Quando se coloca um aproveitamento hidrelétrico entre a parte alta e a parte baixa do rio, esta energia potencial é transformada em energia mecânica que é transportada para os lares e indústrias aí sendo dissipadas em calor.

Qualquer outra forma de geração de energia termoelétrica transforma uma energia que está acumulada (carvão, gás, óleo combustível ou material radiativo) gera calor tanto na produção como no consumo, ou seja, se for gerado 1GW tomando um rendimento de 50%  (rendimento altíssimo) nas turbinas a vapor, será gerado 3GW de potência que é transformada em calor (2GW na produção e 1GW no consumo). Quando se gera 1 GW numa usina hidroelétrica se retira este 1 GW do meio ambiente (que se dissiparia por turbulência) e se devolve no consumo.

Em resumo, a energia hidroelétrica é a única neutra em termos de geração de calor.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora