Aras atende Bolsonaro e nega apreensão do celular do presidente

A resposta do PGR vai ao encontro dos interesses de Jair Bolsonaro. O presidente chegou a dizer à imprensa que não irá cumprir nenhuma ordem de apreensão de seu celular

Antônio Augusto Brandão de Aras, indicado para o cargo de procurador-geral da República, durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado

Jornal GGN – O procurador-geral da República Augusto Aras rejeitou três petições que solicitavam busca e apreensão dos celulares de Jair Bolsonaro, Carlos Bolsonaro e outras autoridades investigadas no inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal, sobre a interferência do presidente na Polícia Federal.

Na semana passada, o relator no STF, Celso do Mello, encaminhou as petições para deliberação de Aras, reforçando que a PGR não pode se abster de investigar qualquer crime reportado, independente do nível de poder que exerça o suspeito.

Aras respondeu que cabe à PGR decidir se e quando vai solicitar esse tipo de diligência. “Tratando-se de investigação em face de autoridades titulares de foro por prerrogativa de função perante o Supremo Tribunal Federal, como corolário da titularidade da ação penal pública, cabe ao Procurador-Geral da República o pedido de abertura de inquérito, bem como a indicação das diligências investigativas, sem prejuízo do acompanhamento de todo o seu trâmite por todos os cidadãos”, anotou.

A resposta do PGR vai ao encontro dos desejos de Jair Bolsonaro. O presidente chegou a dizer à imprensa que não iria cumprir nenhuma ordem de apreensão de seu celular.

A decisão é divulgada apenas um dia após o núcleo do bolsonarismo ser atingido por uma operação da Polícia Federal no âmbito do inquérito das fake news. Naquela investigação, Aras também convergiu com os interesses de Bolsonaro e pediu o arquivamento do inquérito.

O GGN PREPARA UM DOSSIÊ SOBRE SERGIO MORO. SAIBA MAIS AQUI.

Leia mais:

Xadrez do fator Celso de Mello no enquadramento do governo Bolsonaro, por Luis Nassif

 

Leia também:  Multimídia do dia

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Como se não bastasse termos vivido a época em que outro cafajeste engavetava tudo que fosse contra o governo do gatuno fhc (geraldo brindeiro, o engavetador geral da república), vamos ter que continuar assistindo inertes ao cafajeste da vez? Ou seja, quem um dia vai resolver essa questão que no fundo é uma proteção à cafajestice? Pois se o STF, que é a instância judicial maior, tem que se submeter às decisões de um bandido que protege um chefe de quadrilha, algo está muito errado nessa legislação ou na própria Constituição. Será que a coisa terá mesmo que ser resolvida a bala, numa lei da selva? Será que este e outros blogs não deviam estar batendo nessa tecla todos os dias, cobrando que um bandido não possa proteger outro graças a seu cargo? Será que a imprensa em geral nunca vai tomar vergonha na cara para decidir-se a esculachar de vez com essa função de PGR, onde costumeiramente se colocam lá bandidos? Será que não é hora de entrevistar muitos parlamentares e sobretudo os ministros dos tribunais superiores para cobrar que essa bandidagem dos pgr seja extinta? Afinal, até o mais idiota dos idiotas sabe que é no celular do boçal e de seus filhos que se encontram as provas para mandá-los todos para a cadeia…pois impeachment não sai mesmo e cassação da chapa pelo TSE, só mesmo se o fachin…nora tirar o bundão de cima do processo que está uma enrolação só. E dá para acreditar que o tse terá gente com culhões para tal empreitada:cassar a chapa de asnos que nada entendem de economia e deixarão uma víbora continuar com seu neoliberalismo de puteiro arrasando com esse país?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome