Aras pede “apuração preliminar” sobre reunião do GSI e Abin com a defesa de Flávio Bolsonaro

PGR informou sua decisão em petição enviado ao STF, que pediu sua manifestação sobre uma notícia-crime apresentada pela deputada federal Natália Bonavides (PT-RN)

Flávio Bolsonaro. | Foto: Jane de Araújo / Agência Senado

Jornal GGN – O procurador-geral da República Augusto Aras instaurou uma notícia de fato para apuração preliminar, ‘em tese, na esfera penal’, do uso do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) na estratégia de defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos). O filho 01 de Jair Bolsonaro (sem partido) é investigado por suposto esquema de “rachadinha”. 

O PGR enviou petição ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre sua decisão, em resposta ao pedido do ministro Ricardo Lewandowski para manifestação sobre a notícia-crime apresentada pela deputada federal Natália Bonavides (PT-RN), que levantou suspeitas sobre supostos crimes de advocacia administrativa e tráfico de influência relacionados à reunião.

Em agosto, o ministro-chefe do GSI, Augusto Heleno, e o diretor da Abin, Alexandre Ramagem, teriam se reunido com os advogados de Flávio para discutir o desdobramentos da defesa do senador no caso das “rachadinhas”. O encontro, no Palácio do Planalto, também contou com a presença de Jair Bolsonaro . 

“Caso, eventualmente, surjam indícios razoáveis de possível(is) prática(s) delitiva(s) por parte dos noticiados, será requerida a instauração de inquérito nesse Supremo Tribunal Federal”, registrou Aras.

Com informações do Estadão.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  ABJD envia carta aberta ao Supremo Tribunal Federal

1 comentário

  1. Diversiomismo, enrroleition, empurrar com a barriga, igual o pedido de vista do minstro do STJ sobre as rachadinhas. Ele nem estabelece um prazo de conclusão. Se Lewa aceitar isso sem determinar um prazo vai levar uma rasteira.

    Mas todos esses movimentos, ou ausência de movimentos, parece apontar numa aposta no desgaste do governo e principalmente da familicia, no seu apodrecimento, antes da derrubada do fruto. Também pode ser a famigerada tática de fHC de sangrar até a morte, ou ainda enfraquecer para chantagear.

    São 3 alternativas, acho a terceira mais tentadora.
    Aí todo mundo participa do Butin, onde já estão os militares, o centrão e os evangélicos. Para ficar completo só falta a mídia e o judiciário.

    Como diz o Barão; “Ou instaura a moralidade ou nos locupletemos todos” e esse governos e essas gente sempre passaram longe da moralidade.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome