Argentinos protestam contra Fernández por estender quarentena contra coronavírus

Presidente decidiu adotar as medidas de restrição por causa da pandemia até 30 de agosto. Reforma do Judiciário também desagrada parcela da população

Foto: ESTEBAN COLLAZO / AFP

Jornal GGN – Uma “multidão” de argentinos, segundo a agência de notícias Reuters, foi às ruas ou às sacadas de suas casas com panelas para protestar contra o presidente Alberto Fernández, que decidiu estender as restrições sociais por causa da pandemia de coronavírus até 30 de agosto.

De acordo com Reuters, além da ampliação da quarentena, outro motivo que tiraram os argentinos de casa é a reforma do Judiciário. Para uma parcela da população, Fernández promove mudançar para evitar que a aliada e vice-presidente Cristina Kirchner seja julgada por acusações de corrupção.

“A crescente insegurança nos grandes centros populacionais também esteve entre as reclamações dos manifestantes”, anotou a agência.

Já é o terceiro protesto em massa que o governo argentino enfrenta na quarentena.

A Argentina decretou quarentena contra a Covid-19 em março. Hoje ela registra mais de 294 mil casos do novo coronavírus e mais de 5,7 mil mortes.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora