Artistas assinam manifesto contra Regina Duarte

Entre eles, estão atores, escritores e diretores; documento foi divulgado após entrevista da secretária especial da Cultura na CNN Brasil

Regina Duarte, secretária especial da Cultura do governo de Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução

Jornal GGN – Um grupo de 512 profissionais ligados à indústria cultural assinou um manifesto crítico à Regina Duarte, secretária especial da Cultura do governo de Jair Bolsonaro.

“Como artistas, intelectuais e produtores culturais, formamos a maioria que repudia as palavras e as atitudes de Regina Duarte como Secretária de Cultura. Ela não nos representa”, diz o manifesto.

Em entrevista à CNN Brasil na última quinta-feira, a secretária de Cultura minimizou os problemas ocorridos durante os governos militares e afirmou “que sempre houve tortura”. Regina afirmou, também, que não quer “arrastar um cemitério”.

Depois de falar a respeito, Regina Duarte cantou trecho do jingle da Copa de 1970, muito propagado pelo regime militar durante o evento.

Entre os signatários do manifesto, estão atores como Adriana Esteves, Alice Braga, Ana Lúcia Torre, Cauã Raymond, Malu Mader, Marcelo Serrado, Marieta Severo, Marisa Orth, Miguel Falabella, Monica Iozzi, Paulo Betti, Renata Sorrah e Selton Mello; os músicos Caetano Veloso, Chico Buarque, Dinho Ouro Preto, Emicida, Fafá de Belém, Lulu Santos, Rita Lee e Samuel Rosa; os jornalistas Edney Silvestre, Juca Kfouri e Marília Gabriela; os escritores Antonio Prata, Ignacio de Loyola Brandão, Julián Fuks, Luiz Fernando Veríssimo e Mário Prata; e os cineastas Anna Muylaert, Fernando Meirelles, Jorge Furtado e Lais Bodanzky e o diretor de teatro Zé Celso Martinez Corrêa.

As informações são da CNN Brasil.

 

Leia Também
A inacreditável Regina Duarte, aquela que não nos merece, por Camilla Amado
Regina Duarte e a variante brasileira do Complexo de Peter Pan, por Luis Nassif
GGN revisita a trajetória de Moro em projeto inédito. Saiba mais aqui

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Estatais financiam canais que veiculam fake news no YouTube

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome