Autópsia de Adriano da Nóbrega confirma laudo de polícia da BA

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro foi assassinado com dois tiros na Bahia, em fevereiro; filho do presidente chegou a colocar resultado em dúvida

Adriano da Nóbrega, assassinado em fevereiro na Bahia após passar um período foragido da polícia do Rio de Janeiro.

Jornal GGN – A autópsia feita pela Polícia Civil do Rio de Janeiro no corpo do miliciano Adriano da Nóbrega confirmou a veracidade das informações apresentadas no primeiro exame, elaborado pela polícia da Bahia.

Segundo o jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo, o laudo registra dois disparos de arma de fogo, um no peito e outro na região entre o pescoço e a clavícula. A polícia fluminense ressaltou que o trajeto dos disparos foi identificado da mesma maneira, assim como as fraturas nas costelas – todas causadas pela passagem das balas.

Dias após a morte de Adriano, o senador Flávio Bolsonaro questionou o resultado do laudo e chegou a divulgar no Twitter um vídeo de um corpo de costas, com uma etiqueta mostrando o nome do miliciano.

Contudo, o governo da Bahia questionou a veracidade das gravações divulgadas pelo filho do presidente Jair Bolsonaro e declarou que as imagens não foram gravadas nas dependências do IML.

Adriano da Nóbrega foi morto durante uma operação policial na Bahia, no dia 09 de fevereiro. Suspeito de comandar uma milícia que cometeu diversos homicídios a partir do Escritório do Crime, o ex-capitão da Polícia Militar chegou a ser homenageado por Flávio Bolsonaro por mais de uma vez.

 

Leia Também
Bolsonaro volta a elogiar miliciano: Adriano Nóbrega era herói da PM do Rio
Por que o miliciano Adriano da Nóbrega pode ser mais perigoso morto do que vivo?, por Juan Arias
Carlos Bolsonaro também homenageou Adriano e PMs no Rio
Bolsonaro silencia sobre morte de Capitão Adriano – e volta a criticar a imprensa
Primeira prisão de Adriano da Nóbrega foi marcada por escândalos
Polícia Civil do Rio mata capitão Adriano, testemunha chave da morte de Marielle

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. Bolsonaro tem razão. Se o Brasil já tem um presidente operacional e em tempos de crise precisamos economizar, ele é dispensável. Chega de irresponsáveis.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome