Auxiliares de Bolsonaro pedem afastamento de gestor da empresa de Wajngarten

Gestor da FW Comunicação, Fabio Liberman é irmão do secretário-adjunto da Secom, Samy Liberman

Fabio Wajngarten, chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência, e o presidente Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/Twitter

Jornal GGN – A forma como Fabio Wajngarten, secretário especial de Comunicação da Presidência da República (Secom), tem atuado para se defender das acusações de conflito de interesse têm incomodado auxiliares do presidente Jair Bolsonaro.

Na última quarta-feira, foi revelado que Wajngarten recebe dinheiro de emissoras de TV e agências de publicidade contratadas pela Secom, ministérios e estatais do governo Bolsonaro. O pagamento é feito à uma empresa da qual ele é sócio.

Segundo informações da coluna Painel, do jornal Folha de São Paulo, a avaliação é que ele poderia ser mais efetivo e afastar Fabio Liberman da gestão de sua empresa, a FW Comunicação. O irmão de Liberman, Samy, é secretário-adjunto da Secom. O objetivo é que Wajngarten tire crises futuras da frente, mesmo que tente defender seu passado.

Diante de tais desdobramentos, a frase de Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, faz todo sentido: “Quando o servidor público sabe de um crime e não age, ele prevarica, e é isso que Jair Bolsonaro está fazendo”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fraude: General Heleno aparece em sistema para receber R$ 600

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome