Avenida Paulista será palco de manifestações pró e contra governo no domingo

Polícia Militar autoriza realização de atos devido a falta de consenso entre os envolvidos, depois que governo Doria determinou separação

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Grupos a favor da democracia e a favor do presidente Jair Bolsonaro vão se reunir na Avenida Paulista neste domingo, contrariando uma determinação do governador João Doria (PSDB) de que as manifestações contrárias não poderiam acontecer no mesmo dia e local.

A decisão foi tomada após reunião na manhã desta sexta-feira entre os organizadores de ambos os lados, o Ministério Público e a Polícia Militar.

Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, a PM tentou fazer com que um dos grupos de manifestantes aceitasse mudar o dia ou o local da manifestação, mas não houve consenso. Os bolsonaristas também não aceitaram se reunir na região do Ibirapuera, onde existe um acampamento de tais grupos.

Por isso, a polícia autorizou os dois manifestos. Enquanto o ato a favor de Bolsonaro está agendado para as 11h em frente à Fiesp, o ato pró-democracia e contra o governo federal vai ocorrer às 14 horas, em frente ao Masp. O evento é organizado pela Frente Povo Sem Medo, de Guilherme Boulos (PSOL), e terá a participação das torcidas organizadas, como o movimento Somos Democracia, do Corinthians.

Um terceiro manifesto está programado para ocorrer no domingo: os movimentos negros realizarão um protesto no Masp contra o racismo, às 10h.

Para evitar confrontos, os atos pró e contra Bolsonaro serão isolados: a estação de metrô Trianon-Masp deve ficar fechada para que os manifestantes não se encontrem ali — eles devem usar as estações nas extremidades da av. Paulista, Brigadeiro e Consolação.

 

Leia também:  Coronavírus: Parlamentares se organizam para derrubar vetos de Bolsonaro
Leia Também
Bolsonaristas iniciaram confronto em ato contra Bolsonaro na Av. Paulista
Avenida Paulista também reúne manifestantes contra Bolsonaro
GGN prepara dossiê sobre trajetória de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Sou suspeito pra falar a respeito do assunto já que, na prática, não tenho exercido o meu dever de cidadão indo às praças lutar pela nossa combalidíssima democracia, mas estes calhordas fascista só vão sair das ruas quando o povo invadi-la em favor da sua liberdade e dos seus direitos. Por isso, sou a favor da presença do povo no domingo nas ruas lutando e mostrando a força que é necessária pra demover o congresso e o stf da sua apatia e medo de expulsar ente crápula que se apoderou do cadeira presidencial. E com ele sua trupe de entreguistas e sabotadores da nação.

  2. Um dos preceitos elementares do ordenamento constitucional é o dever de respeitar as leis vigentes no país. Estamos ainda às voltas com a pandemia e permanecem em vigor leis relativas às medidas de isolamento social. Assim, a defesa da constituição no atual momento histórico deve ser feita sem a realização de manifestações de rua, pois, caso contrário, resulta patente uma incoerência flagrante.

    Além disso, já foram evidenciadas violências policias e ação de provocadores, donde resulta impossível descartar a probabilidade de haver mais factóides semelhantes. Portanto, não é recomendável que a militância em defesa da democracia abra este flanco de vulnerabilidade, que pode ser explorado pelos golpistas ávidos por pretensas justificativas para provocar uma ruptura ditatorial.

    Por outro lado, é necessário nesse momento, preservar e ampliar a militância virtual, o debate político e a conscientização coletiva acerca da necessidade de prover os meios para a efetiva restauração da democracia constitucional, com vistas à realização do processo de impixe e à preparação de eleições gerais em 2021. Para tanto urge ter a atenção voltada para as ameaças à liberdade na internet em Projeto de Lei que tramita no Congresso, e é preciso mobilizar as instituições democráticas para adotar iniciativas institucionais concretas no sentido de requerer presteza na aplicação das normas legais relativas aos crimes de responsabilidade e ao uso de fake news na eleição de 2018.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome