Base científica brasileira na Antártida tem solo contaminado

Estação Comandante Ferraz, plataforma científica brasileira na Antártida. Foto: Mauricio de Almeida - TV Brasil

Jornal GGN – A Estação Comandante Ferraz, nova base científica do Brasil na Antártida, foi inaugurada na última quarta-feira (15) com pompa e circunstância. Apesar dos equipamentos de ponta, a construção foi feita em cima dos resíduos das antigas instalações, que foram destruídas por um incêndio ocorrido em fevereiro de 2012.

Avaliação efetuada pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) à Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) aponta a existência de aproximadamente 7 mil metros cúbicos de sedimentos contaminados, segundo informações do jornal O Globo.

As substâncias contaminadas estão espalhadas em uma área de 8 mil m², e podem ser detectadas na superfície ou a até três metros de profundidade. Contudo, poucas ações foram tomadas para que os poluentes sejam retirados.

Além disso, o governo brasileiro não estabeleceu qual o método que será empregado para decompor o óleo, e sequer definiu um prazo para começar qualquer projeto com esta finalidade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fora de Pauta

1 comentário

  1. Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico? A ENGENHARIA BRASILEIRA, SEUS PROFISSIONAIS, SUAS EMPRESAS agradecem. Por terem adquirido tudo da China. ANTICAPITALISMO DE ESTADO. Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome