Bolsa Família paga para criança estudar. Bruno Covas paga para criança ficar em casa

Ação prevê custo de R$ 5 milhões por mês, para atender 51 mil crianças que ainda não estão matriculadas na rede pública de ensino ou não são alcançadas por parcerias da Prefeitura com a iniciativa privada

Jornal GGN – Com déficit de 51 mil vagas em creches na cidade de São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB) anunciou nesta segunda (25) um programa social que irá pagar uma bolsa para crianças de 0 a 3 anos que não estão matriculadas.

O Programa Bolsa Primeira Infância prevê o repasse de R$ 100,00 por criança, no limite de até 3 crianças por família (exceto quando há mais de 1 nascimento por gestação), na tentativa de compensar a falta de vagas na rede pública de ensino da capital.

Segundo informações da Agência Brasil, o projeto vai consumir cerca de R$ 5 milhões por mês do orçamento da Prefeitura, para atender as 51 mil crianças.

Covas disse que o custo será coberto pelo orçamento enviado para a Câmara Municipal, que estipula R$ 100 milhões ao mês para subsidiar o programa e financiar alternativas para a falta de vagas em São Paulo: construção de mais creches ou parcerias com a rede privada.

O programa, a exemplo do Bolsa Família, vem com algumas condicionalidades: a participação dos pais ou responsáveis em atividades de orientação sobre parentalidade e cuidados com a primeira infância, e o cumprimento do calendário de vacinação da criança, conforme orientações do Ministério da Saúde.

O Bolsa Família, contudo, é cortado quando as crianças beneficiadas não cumprem com a frequência escolar exigida.

De acordo Covas, o pagamento na capital começará pelas famílias que já recebem o Bolsa Família do governo federal, pois trata-se do mesmo público alvo. E a bolsa deixará de ser paga quando a criança receber uma vaga nas creches da capital.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome