Bolsonarista Oswaldo Eustáquio é solto pelo STF, mas com restrições

A defesa do jornalista afirmou que o Supremo levou um jornalista "ao calabouço" por causa de sua militância política, o que "abre um perigoso precedente”

Reprodução/Instagram

Jornal GGN – O youtuber bolsonarista Oswaldo Eustáquio saiu da prisão nesta segunda (6), após autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que impôs restrições à sua circulação.

Preso desde o final de junho, o jornalista está proibido de deixar o Distrito Federal e deverá manter distância de pelo menos um quilômetro da Praça dos Três Poderes e das residências dos ministros do Supremo. Eustáquio também não poderá usar redes sociais nem manter contatos com pessoas investigadas, resumiu a Agência Brasil.

A prisão temporária de Eustáquio chegou a ser renovada uma vez. Moraes alegou que sua custódia era necessária para não prejudicar as investigações. Eustáquio é suspeito de “impulsionar o extremismo do discurso de polarização contra o STF e o Congresso Nacional”, por meio das redes sociais.

O bolsonarista é investigado no Supremo, que apura o financiamento de atos antidemocráticos. Ele foi preso no dia 26 de junho, em Campo Grande. As autoridades suspeitavam que ele poderia deixar o País porque tem familiares no Paraguai.

A defesa do jornalista afirmou que o Supremo levou um jornalista “ao calabouço” por causa de sua militância política, o que “abre um perigoso precedente”.

Com informações da Agência Brasil

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O que é imunidade de rebanho e por que "não se aplica" a Covid-19

2 comentários

  1. Não vai querer dar uma de bonzinho… Utilizava a midia social para instigar a prática de atos contrários à normalidade democrática, como o fechamento do Congresso Nacional e do STF… Existe uma legislação penal que considera crime tais práticas e prevê a imposição de penalidades para os recalcitrantes… Logo, não procede a alegação de “conotações políticas” ou “atentado à liberdade politica”. Ele está sendo investigado por outros motivos, devidamente explicitados pelo Ministro do STF, Alexandre de Moraes.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome