Bolsonaro chama atos contra o governo de “terroristas” e pede repressão policial

Manifestantes pró-democracia são “marginais, maconheiros terroristas, que querem quebrar o Brasil em nome de uma democracia que nunca souberam o que é e nunca zelaram por ela", diz

Jornal GGN – Durante inauguração de um hospital em Goiás, nesta sexta (5), o presidente Jair Bolsonaro voltou a chamar os manifestantes de grupos contrários ao governo de “marginais” e “terroristas” e pediu que as forças de segurança atuem na repressão de atos esperados no domingo (7), caso os “limites” sejam “extrapolados”.

Bolsonaro afirmou que os atos pró-democracia são realizados por “marginais, maconheiros terroristas, que querem quebrar o Brasil em nome de uma democracia que nunca souberam o que é e nunca zelaram por ela.” O presidente ainda pediu que os seus seguidores fiquem em casa no próximo domingo.

O último domingo de maio foi marcado por manifestações contra e a favor de Bolsonaro. Na Avenida Paulista, em São Paulo, torcidas organizadas e movimento antifascista ganharam a atenção da mídia e arrancaram ataques de Bolsonaro e do vice-presidente Hamilton Mourão, que os chamou de “baderneiros” que deveriam ser presos.

Leia também: 

Medo de cassação faz Mourão radicalizar no discurso contra manifestantes

 

Com informações da Agência Reuters

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fora de Pauta

2 comentários

  1. A Constituição do Brasil garante o direito a manifestação. Aquilo que chamamos de presidente, deveria perceber que o seu pedido é ilegal, como quase tudo que faz. Afinal, ele não participa de atos aos finais de semana !

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome