Bolsonaro quer Bolsa-Família para conter queda de popularidade

Além de mudar nome para Renda Brasil, presidente determinou que equipe econômica encontre recursos para turbinar programa social

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro está concentrado em reverter a queda de sua popularidade e, para isso, quer impulsionar projetos voltados para a área social.

Segundo o jornalista Vicente Nunes, do jornal Correio Braziliense, uma das medidas tomadas por Bolsonaro é turbinar o Bolsa Família – porém, modificando o nome do programa para Renda Brasil para se desvincular da iniciativa criada durante o governo Lula.

O presidente também determinou à equipe econômica que encontrem recursos para o projeto e, segundo dados de técnicos do Palácio do Planalto, o Renda Brasil poderá chegar a R$ 70 bilhões por ano, mais do que o dobro do atualmente pago pelo Bolsa Família (que encontra-se na faixa de R$ 32 bilhões).

Esse aumento será viabilizado pela fusão de diversos programas, como o abono salarial, o seguro-defeso, o farmácia popular e a desoneração da cesta básica.

E Bolsonaro está com pressa: seu objetivo é que o Renda Brasil esteja em funcionamento, no máximo, até novembro, com forma de continuidade ao auxílio emergencial, que vai até outubro com o acréscimo das três parcelas (de R$ 500, R$ 400 e R$ 300).

 

Leia Também
FMI: América Latina terá maior recessão da história
Novo calendário evidencia intermitência do auxílio emergencial
Movimentos lançam campanha online pela regularização migratória na América Latina
Do Banestado à Lava Jato: o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome