Bolsonaro teria encomendado estudo sobre estado de sítio; presidente nega

Coronavírus é muleta para pedido de suspensão das atividades do legislativo e do judiciário

O presidente Jair Bolsonaro e o blogueiro Allan dos Santos, do site Terça Livre. Foto: Reprodução

Atualizada às 20h43 para acréscimo de informações

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro estuda um eventual decreto de estado de sítio, por conta da pandemia de coronavírus.

A informação foi revelada pelo jornalista Igor Gadelha, na revista Crusoé. O presidente teria encomendado parecer a respeito do assunto a alguns ministérios, segundo informações do site Diário do Centro do Mundo (DCM).

Durante coletiva de imprensa na tarde desta sexta (20), Bolsonaro negou a hipótese, afirmando que a medida “não está no radar” do governo. Ele argumentou que não teria necessidade de verificação, pois é uma medida “relativamente fácil” de se aplicar.

“Não tem dificuldade em implementar isso. Em poucas horas você decide uma situação como essa, mas acho que estaríamos dando uma indicação de pânico para a sociedade. Por enquanto, está descartado até ‘estudar’ essa circunstância”, completou.

O Estado de Sítio é um instrumento burocrático e político sobre o qual o chefe de Estado suspende a atuação dos poderes legislativo (deputados e senadores) e judiciário por um período temporário.

Ele pode ser decretado em dois casos: comoção grave de repercussão nacional ou ocorrência de fatos que comprovem a ineficácia de medida tomada durante o estado de defesa; ou declaração de estado de guerra ou resposta a agressão armada estrangeira. Fontes consultadas pelo jornalista dizem que a pandemia poderia se encaixar no primeiro caso.

Para ser aprovado, o decreto seria necessário ouvir antes os conselhos da República e de Defesa Nacional, compostos por ministros, pelos presidentes da Câmara e do Senado e líderes da maioria e da oposição nas duas Casas.

Leia também:  Multimídia do dia

A divulgação de tal informação não foi bem recebida por representantes do bolsonarismo. Segundo a jornalista Monica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, Allan dos Santos, do site Terça Livre, mostrou irritação com o “vazamento” da informação.

Visto como um dos expedientes da militância bolsonarista, Santos é um dos blogueiros investigados pela CPMI das Fake News e, recentemente, se encontrou com executivos do Projeto Veritas nos Estados Unidos – apoiado por Donald Trump, o projeto tem como premissa  desacreditar jornalistas, empresas da área de comunicação e as grandes companhias da área de tecnologia, criando situações para filmar e editar seletivamente as conversas mantidas por jornalistas e executivos sobre política e suas empresas.

Leia mais: Como funciona o estado de sítio, medida extrema estudada por Bolsonaro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

7 comentários

  1. vagabundo Jair Bolsonaro confundiu Estado de Defesa (art. 136, da CF/88) com Estado de Sítio (art. 137, da CF/88) por ma-fé, malícia ou medo de ser afastado do cargo porque é um demente que contraiu a pandemia? Estado de Sítio sem autorização do Congresso é golpe de estado.

    Bolsonaro não sabe governar e não quer aprender a fazer isso. Ele prefere fazer vídeos para ludibriar seguidores fanáticos. O mito não conhece os limites impostos ao poder presidencial. Na verdade duvido muito que ele tenha lido a Constituição Federal.

  2. O blogueiro panaca, subsidiado pelos milicianos para sua aliança do mal, deve ter confundido quando o pai do bananinha falou que iria passar o aniversário numa chácara no Nordeste e avisou ao gado. Com tantos palavreado agros, o boboca pensou que isto é estado de sítio.
    Esta gente é perigosa, porque são perturbados mentais com a caneta do poder. Isto não vai dar nada de bom.

  3. Um buraco é sempre mais em baixo. Em plena crise sanitária, um golpe bolsonarista pra jogar a última pá de cal nessa jovem democracia brasileira. Segue o enterro…

  4. Nassif, reforçando uma sugestão. Se você estiver montando uma grade fixa para o cana GGN no YouTube, tem de criar uma rotina por uns dias de divulgar diariamente no porta e nas redes sociais do GGN pois a concorrência por audiência, ainda mais agora com muitos em quarentena e usando mais a internet. No início tem de chamar intensiva e ostensivamente, principalmente se for usar superchats e no início das transmissões, reforçar para os ouvintes. Não deixe só para o final, ainda que precise reforçar no sinal, pois a maior audiência é no início dos vídeos, já deve ter notado. Se for uma grade, façam uma divulgação dela várias vezes ao dia, inicialmente. Principalmente neste período de epidemia que o YT anda desmonetizando a revelia vídeos.

    4
    1
  5. É o sonho de uma noite de verão dele!
    E de primavera outono e inverno também.
    Pois a noite, ele já conseguiu há mais de ano…

  6. Ele não precisaria pousar ao lado desse senhor de cara obscena pra gente saber de suas intenções de golpe.
    Tivesse o bozo algum juízo consultaria juristas e não blogueiros.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome