Brasil merece presidente que se comporte à altura do cargo, diz Macron

Presidente francês reage a postagem endossada por Bolsonaro com ofensas à sua mulher, Brigitte, e critica o comportamento do brasileiro. Também volta a acusá-lo de "não falar a verdade" sobre suas políticas ambientais

Da DW Brasil

O presidente da França, Emmanuel Macron, reagiu nesta segunda-feira (26/08) a comentários que considerou desrespeitosos sobre sua mulher, endossados em uma rede social por Jair Bolsonaro, e disse esperar que os brasileiros “tenham logo um presidente à altura do cargo”.

O caso agravou os desentendimentos entre os dois chefes de Estado, que trocaram farpas nas últimas semanas tendo como pano de fundo as queimadas na Amazônia.

O GGN prepara uma série de vídeos sobre a interferência dos EUA na Lava Jato e a indústria do compliance. Quer se aliar a nós? Acesse: www.catarse.me/LavaJatoLadoB

“Ele fez alguns comentários extraordinariamente desrespeitosos sobre a minha esposa”, disse Macron em coletiva de imprensa na cidade francesa de Biarritz, onde ocorre a cúpula do G7. “O que posso dizer? É triste, é triste para ele, primeiramente, e para os brasileiros.”

No sábado, Bolsonaro endossou uma postagem de um seguidor no Twitter com comentários ofensivos sobre Brigitte Macron, sugerindo que o francês teria “inveja” de Bolsonaro. A postagem trazia uma foto de Macron com sua esposa e, logo abaixo, uma de Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle, com a seguinte legenda: “Entende agora por que Macron persegue Bolsonaro?”.

O perfil oficial do presidente brasileiro respondeu ao seguidor afirmando: “Não humilha cara. Kkkkkkk.” O comentário em linguagem informal ganhou enorme repercussão, inclusive na imprensa francesa, que acusou Bolsonaro de sexismo.

“Penso que as mulheres brasileiras têm, sem dúvida, vergonha de dizer isso de seu presidente. Penso que os brasileiros, que são um grande povo, têm um pouco de vergonha de ver esse comportamento. Eles esperam, quando se é presidente, que se comporte bem em relação aos outros”, disse Macron nesta segunda-feira.

Leia também:  Bolsonaro estuda recorrer ao TSE para que PSL seja obrigado a abrir suas contas

“Tenho muito respeito e admiração pelo povo brasileiro, e espero muito rapidamente que eles tenham um presidente que se comporte à altura [do cargo]”, completou o francês.

Quando concorria à presidência francesa, Macron teve de rebater críticas em relação à diferença de idade entre ele e sua esposa, que é 25 anos mais velha que ele. Na época, afirmou que, se fosse o contrário, se ele fosse mais velho que Brigitte, “ninguém pensaria que não poderíamos estar juntos”. Bolsonaro tem 64 anos e Michelle, 37.

 

No mesmo pronunciamento, Macron ainda reforçou suas críticas às políticas do governo brasileiro sobre o meio ambiente. “Eu encontrei [Bolsonaro] uma primeira vez e ele me falou, com a mão no coração, que tudo faria pelo reflorestamento e o engajamento com o Acordo de Paris para poder assinar o acordo do Mercosul com a União Europeia, e 15 dias depois fazia o contrário demitindo cientistas.”

“Pode-se dizer que não me falou a verdade. Algumas semanas depois, teve um compromisso de urgência no cabeleireiro quando deveria receber nosso ministro do Exterior [Jean-Yves Le Drian]. E, ontem, considerou que era uma boa ideia que um de seus ministros da República fizesse insultos a minha pessoa”, afirmou.

Macron se referia ao ministro brasileiro da Educação, Abraham Weintraub, que no domingo chamou o líder francês de “cretino” e “calhorda oportunista” em postagens no Twitter.

Leia também:  O ataque estratégico do neoliberalismo à educação, por Christian Laval

Após as declarações de Macron nesta segunda-feira, Bolsonaro voltou a atacá-lo em mensagens em rede social, mas sem mencionar as ofensas à primeira-dama da França.

“Não podemos aceitar que um presidente, Macron, dispare ataques descabidos e gratuitos à Amazônia, nem que disfarce suas intenções atrás da ideia de uma ‘aliança’ dos países do G7 para ‘salvar’ a Amazônia, como se fossemos uma colônia ou uma terra de ninguém”, reagiu o presidente.

O episódio deve acirrar ainda mais os desentendimentos entre os dois líderes, que já ocorrem desde a cúpula do G20 em junho no Japão.

Na semana passada, Macron ameaçou não ratificar o acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul, afirmando que Bolsonaro mentiu ao assumir compromissos em defesa do meio ambiente, que eram condição para o pacto.

O líder da França levou o debate sobre a Amazônia para a cúpula entre os líderes do G7, que terminou nesta segunda-feira. Diante disso, Bolsonaro acusou Macron de “instrumentalizar uma questão interna” do Brasil para “ganhos políticos”.

“A sugestão do presidente francês, de que assuntos amazônicos sejam discutidos no G7 sem a participação dos países da região, evoca mentalidade colonialista descabida no século 21”, disse Bolsonaro na sexta-feira.

Durante a cúpula, os chefes de Estado e governo do Grupo dos Sete chegaram a um acordo sobre o envio de ajuda aos países afetados pelos incêndios na Região Amazônica “o mais rápido possível”.

Na coletiva nesta segunda-feira, Macron anunciou o envio de uma ajuda financeira de 20 milhões de euros, além de apoio militar, para combater as queimadas, mas prometeu respeitar a soberania de cada país da região. A estratégia defendida por ele se baseia em criar uma governança que inclua entidades de setores diferentes.

6 comentários

  1. Prezados Nassif e camaradas

    Passou da hora de dizermos as coisas pelo seu nome: Bozo está à altura do bando de imbecis que o elegeram. Esse bando não vai ter vergonha de nada, porque quem se jacta da burrice e ignorância merece ser levado pelo cabresto. Temo sim, pelo Brasil e pela maioria da população, que foi enganada pela mídia porca e votou num capacho idiota dos norte-americanos, que além de tudo é BANDIDO

  2. O QUE PODE SE ESPERAR DE UM CAPACHO DE AMERICANOS. QUE TEM FILHO METIDO COM MELICIAS NO RJ, E ACOBERTADO POR UM SUPREMO ACOVARDADO, QUE APROVA TUDO QUE ELE QUER. ATE O FIM DAS APOSENTADORIAS DOS POBRE O STF , RATIFICOU…

  3. A baixaria, imbecilidade, a pobreza intelectual, a idiotice e desrespeito ao próximo próprios de Bolsonaro, orientado por Guru com massa cerebral e neurônios oriundos da involução da carniça recusada pelos urubus, no convívio com vassalos torpes, religiosos anti-cristo,políticos ladrões e incompetentes oportunistas renegados como Waintraub, , Ônix e Sergio Moro e uma centena de capachos sujos por cima e por debaixo, homens e mulheres indignos, eleito por por milhões de otarios desumanos revoltados com a vida e a própria existência e incentivados por uma imprensa covarde capitalista e imoral que os leva ao desconhecido e por fim amparado numa infantaria dócil e burra,Bolsonaro, essa coisa inexplicável e nojenta que no nosso meio emergiu, se não freada transformará o Brasil na maior vergonha dos tempos modernos! O Brasil e seu povo desaprova e não aceita este ignóbil e deplorável presidente! AGORA SIM, as forças armadas brasileiras têm motivos constitucionais emanados do povo para exercer seu patriótico papel. Quem é Jair Bolsonaro para humilhar e envergonhar o povo brasileiro?

  4. O Brasil do golpe, da Globo, da Lava Jato e do Bolsonaro, tornou algo tão repugnante que nem mesmo Dante poderia ter concebido…

    e ainda estão incompletos, nem na metade do que se prontificaram a destruir do nosso país

  5. Que o coiso é uma aberração todos sabem……mas esse tal de macron já está passando os pés pelas mãos ameaçando a soberania do país sobre a amazonia, logo esses europeus colonialistas……

    1
    4

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome