Brasil vai levar 15 anos para retornar ao patamar de pobreza de 2014

O aumento da desigualdade é um péssimo negócio para a economia, pois tem impacto sobre "o consumo da população, a violência que desestrutura atividade produtivas e a polarização política que leva à instabilidade. Tudo isso é ruim"

Crianças se divertem nos escassos espaços livres da ocupação Prestes Maia (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Jornal GGN – O economista Marcelo Neri, da FGV Social, disse em entrevista à Folha de S. Paulo que se o governo brasileiro não voltar a priorizar programas sociais que combatem a pobreza e a desigualdade, como o Bolsa Família, o País vai levar mais 15 anos para voltar ao patamar de 2014.

[O GGN prepara uma série no YouTube que vai mostrar a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto pelo interesse público? Clique aqui]

Segundo Neri, a pobreza caiu de 1990 a 2014 cerca de 75%. Com a crise econômica do segundo governo Dilma e mudanças de governos -com chegada de Temer e Bolsonaro, que trataram o orçamento social com mais austeridade – a extrema pobreza subiu 40%.

“Não estamos voltando ao mesmo nível de pobreza que tínhamos antes de ela cair, felizmente. Mas a projeção é que, se não reduzirmos a desigualdade, mesmo crescendo 2,5% ao ano até 2030, nós vamos apenas voltar aonde estávamos em 2014”, comentou Neri.

“Ou seja, precisamos fazer não só um combate à desigualdade, mas à sua pior forma, que é a que afeta os mais pobres. É o que programas como o Bolsa Família ou educação pública podem fazer”, apontou.

Segundo o especialista, o aumento da desigualdade é um péssimo negócio para a economia, pois tem impacto sobre “o consumo da população, a violência que desestrutura atividade produtivas e a polarização política que leva à instabilidade. Tudo isso é ruim.”

“Se tivermos alguma retomada da renda média, ainda que tímida, se olharmos o bem-estar da nação, que leva em conta também a distribuição da renda, quase não existe recuperação. Ela é muito tênue”, comentou, indicando que é necessário priorizar o Bolsa Família, que é o programa mais estruturado, e focar nos mais pobres entre os pobres.

“É uma década perdida em termos de bem-estar social.”

Leia também:  A guerra dos porões e a demissão do Secretário da Receita, por Luis Nassif

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. ” Brasil vai levar 15 anos para retornar ao patamar de pobreza de 2014″. Uma afirmativa que causa medo pelo futuro destas pessoas.
    E acrescentem-se mais 30 anos para mitigar a imbecilidade que esta turma ora no poder implantou no país.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome