Brasil verá pessoas morrendo em casa em 4 semanas, diz epidemiologista

"As pessoas vão surtar e se trancar dentro de casa por sua própria vontade", diz médico sobre a sabotagem às medidas de mitigação

Jornal GGN – O epidemiologista da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, Ivan França Junior, disse ao jornal The Guardian que se Jair Bolsonaro continuar incentivando a sociedade a sabotar o distanciamento social contra o coronavírus, o Brasil viverá “dias dolorosos”, semelhante à Itália, dentro de algumas semanas.

“Vamos ver pessoas morrendo fora dos hospitais [porque não existem leitos de terapia intensiva suficiente], pessoas morrendo em casa porque nosso serviço de ambulância não será capaz de lidar”, disse.

“As previsões sugerem que isso acontecerá em três ou quatro semanas, e então será tarde demais. As pessoas vão surtar e se trancar dentro de casa por sua própria vontade.”

The Guardian publicou neste domingo uma reportagem sobre a postura irresponsável de Bolsonaro, que está “arrastando o Brasil para a calamidade” em meio à pandemia de coronavírus. O jornal lembrou que, neste feriado de Páscoa, o presidente saiu às ruas de novo e foi flagrado limpando o nariz antes de cumprimentar uma idosa com a mão.

Segundo o diário, o distanciamento social não está funcionando no País satisfatoriamente porque, de um lado, os governos estaduais fracassam em apoiar o isolamento dos moradores das favelas, que não têm outra opção a não ser sair de casa para trabalhar.

De outro lado – e para além de Bolsonaro – tem sido difícil também convencer os ” brasileiros exuberantes, focados na família, a evitar os parentes.”

O monitoramento do estado de São Paulo afirma que o isolamento alcançou apenas 50% da população, quando o índice ideal é de 70%. É com esta meta em vista que governador e prefeito da capital estão ampliando o número de leitos de UTI e de média complexidade.

Leia também:  BB proíbe clientes de utilizar serviços das 13 mil lotéricas do país

Se o isolamento social continuar esmorecendo, o planejamento nos hospitais não será suficiente para segurar o pico da pandemia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

13 comentários

  1. A gripezinha quase leva o Boris Johnson. Ele tá todo desmamuriado. Se tivesse um passado atlético, a gripezinha não o teria deixado igual a um gato molhado

    23
    1
  2. É lamentável, mas é verdade, fato a falta, desde antes da pandemia, de comando responsável do governo central, de estratégia antecipada para fazer frente a COVID-19, de identificação proativa de indústrias para suprir em as carências de respiradores e, de laboratórios que supram as necessidades de testes da doença para todos, de humanidade no trato das pessoas e vidas humanas, pois todos são cidadãos brasileiros.
    Com foco em um cenário estimativo, necessário para se atender as populações atingidas, previstas num hipotético pico dessa Pandemia no Brasil, sugere-se comando nacional, pró-atividade, integração responsável e agilidade nas tomadas de decisões, tanto na gestão do comando nacional, que deve ser harmonizada com as gestões do DF, dos Estados e dos municípios :: i) avaliação das instalações hospitalares públicas e privadas, dos Estados e municípios, , existentes e necessárias; ii) Ídem para as categorias de profissionais envolvidos, existentes e necessários; iii) Ídem para leitos, equipamentos, respiradores, materiais essenciais de saúde, serviços funerários, crematórios, etc; iv) rede de veículos existentes e necessários aos Estados, para suporte de assistência e de transporte dos pacientes; v) Viabilização de recursos financeiros necessários para suporte das providências de rotina e emergenciais necessárias, para que tudo, proativamente , sejam implementados, adquiridos antecipadamente, distribuídos e estejam disponíveis para utilização, pelos cidadãos e cidadãs necessitados; vi) A exemplo do que vêm fazendo outros países para amparar seus cidadãos carente, trabalhadores e empresas, na vigência da quarentena que todos têm a obrigação de cumprirem e, similar à preocupante atenção financeira dada pelo governo aos bancos, que seja analisado pelo CN e com urgência, a aprovação de recursos para subsidiar a sobrevivência digna, das famílias brasileiras enquanto dure essa provação de todos. Essa operação cidadã, fraterna e solidária pela vida das pessoas, antes de tudo, não se trata de pedir-se favor a quem quer que seja porque, a CF em seus Artigos 1º (Caput e §Único), 5º e 6º dentre outros, asseguram esses direitos a todos habitantes deste país.
    https://www.tudorondonia.com/noticias/covid-19-a-culpa-e-do-brasil,46524.shtml
    São essas as nossas observações e sugestões ao tema.
    Paz e bem.
    Sebastião Farias Um brasileiro nordestinamazônida

    14
  3. “A morte não causa mais espanto
    Miséria é miséria em qualquer canto
    Riquezas são diferentes”.

    Titãs, o pulso ainda pulsa

    10
    1
  4. A minha previsão OTIMISTA é que até o fim da epidemia teremos 950.000 motos do covid-19 e de outras doenças que não serão atendidas. Provavelmente haverá deserção em massa dos médicos devido a afrontamentos diretos com a população.

  5. Os EUA, no que pese ter desviado cargas de suprimentos para outros países para usar internamente, está fazendo muitos testes. O site do Johns Hopkins vem inserindo também o número de testados em seu país e podemos notar que estão em busca de melhorar o controle:

    Estado População(2010) Testados % Positivos/Testado % Mortes Mortes/Positivos Mortes/Testado
    USA 328.200.000 2.688.766 0,82% 547.681 20,37% 21.692 3,96% 0,81%
    New York US 19.378.102 440.980 2,28% 188.902 42,84% 9.385 4,97% 2,13%
    New Jersey US 8.791.894 120.193 1,37% 61.850 51,46% 2.350 3,80% 1,96%
    Michigan US 9.883.640 76.014 0,77% 23.605 31,05% 1.384 5,86% 1,82%
    Pennsylvania US 12.702.379 120.153 0,95% 22.938 19,09% 557 2,43% 0,46%
    Massachusetts US 6.547.629 108.776 1,66% 22.860 21,02% 686 3,00% 0,63%
    California US 37.253.956 182.986 0,49% 22.439 12,26% 635 2,83% 0,35%
    Louisiana US 4.533.372 96.915 2,14% 20.595 21,25% 840 4,08% 0,87%
    Florida US 18.801.310 175.518 0,93% 19.347 11,02% 452 2,34% 0,26%
    Illinois US 12.830.632 92.149 0,72% 19.180 20,81% 677 3,53% 0,73%
    Texas US 25.145.561 120.533 0,48% 13.509 11,21% 274 2,03% 0,23%
    Georgia US 9.687.653 51.817 0,53% 12.452 24,03% 433 3,48% 0,84%
    Connecticut US 3.574.097 39.831 1,11% 11.510 28,90% 494 4,29% 1,24%
    Washington US 6.724.540 93.615 1,39% 10.418 11,13% 496 4,76% 0,53%
    Maryland US 5.773.552 47.238 0,82% 8.225 17,41% 236 2,87% 0,50%
    Indiana US 6.483.802 39.215 0,60% 7.928 20,22% 343 4,33% 0,87%
    Colorado US 5.029.196 34.873 0,69% 6.897 19,78% 275 3,99% 0,79%
    Ohio US 11.536.504 60.471 0,52% 6.602 10,92% 253 3,83% 0,42%
    Virginia US 8.001.024 37.999 0,47% 5.274 13,88% 141 2,67% 0,37%
    Tennessee US 6.346.105 66.828 1,05% 5.132 7,68% 106 2,07% 0,16%
    North Carolina US 9.535.483 60.393 0,63% 4.570 7,57% 89 1,95% 0,15%
    Missouri US 5.988.927 45.064 0,75% 4.469 9,92% 125 2,80% 0,28%
    Arizona US 6.392.017 40.530 0,63% 3.542 8,74% 115 3,25% 0,28%
    Alabama US 4.779.736 21.320 0,45% 3.450 16,18% 93 2,70% 0,44%
    Wisconsin US 5.686.986 37.893 0,67% 3.213 8,48% 143 4,45% 0,38%
    South Carolina US 30.093 3.211 10,67% 80 2,49% 0,27%
    Nevada US 23.587 2.836 12,02% 112 3,95% 0,47%
    Mississippi US 21.274 2.781 13,07% 96 3,45% 0,45%
    Rhode Island US 18.207 2.665 14,64% 63 2,36% 0,35%
    Utah US 42.546 2.207 5,19% 18 0,82% 0,04%
    Oklahoma US 22.658 1.970 8,69% 96 4,87% 0,42%
    Kentucky US 24.567 1.840 7,49% 94 5,11% 0,38%
    Minnesota US 35.404 1.616 4,56% 70 4,33% 0,20%
    Iowa US 17.132 1.510 8,81% 34 2,25% 0,20%
    Delaware US 11.103 1.479 13,32% 33 2,23% 0,30%
    Oregon US 28.638 1.447 5,05% 51 3,52% 0,18%
    Idaho US 14.308 1.407 9,83% 27 1,92% 0,19%
    Kansas US 12.343 1.323 10,72% 56 4,23% 0,45%
    Arkansas US 18.578 1.280 6,89% 27 2,11% 0,15%
    New Mexico US 28.692 1.174 4,09% 20 1,70% 0,07%
    New Hampshire US 10.925 929 8,50% 23 2,48% 0,21%
    Nebraska US 10.175 791 7,77% 17 2,15% 0,17%
    Vermont US 9.258 727 7,85% 27 3,71% 0,29%
    West Virginia US 15.819 593 3,75% 6 1,01% 0,04%
    Hawaii US 17.968 486 2,70% 8 1,65% 0,04%

    • A tabela já está pronta para ser colada em uma planilha, caso prefira lidar e os números se referem a 12/04/2020 por estado.

  6. Em outro post comentei sobre o enigma da vitoria-regia e inseri link onde um engenheiro brasileiro mostra à partir do enigma que existe um momento a partir do qual não será mais possivel impedir o aumento indiscriminado de infectados numa pandemia.
    Alinhando com este artigo, o enigma aponta para uma triste realidade para a qual caminhamos. Devido a baixa capacidade do nosso sistema de saúde em absorver e tratar os atingidos pela COVID19, os varios niveis de governo deveriam ter implantado de forma coordenada, e.bem mais cedo, rigidas acoes de mitigação. Não o fizeram.
    E agora, alem da propria rebeldia e indolência do brasileiro, quem tenta alguma ação ainda precisa lidar com as sabotagens perpretadas por um presidente mentalmente perturbado.
    Então não duvido quando o articulista registra que estamos próximos de conviver com a morte dentro de casa.
    Mas se esta tragédia ocorrer, ao colocarmos a mortalha em nossos mortos não deixaremos de agradecer aqueles que tornaram isso possivel. Sabemos quem são, e serão cobrados.

    Para os interessados segue o link sobre o enigma.
    https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/04/10/enigma-da-vitoria-regia-vira-exemplo-em-video-que-explica-o-que-e-o-crescimento-exponencial-da-pandemia.ghtml

    5
    2
  7. As da Amazônia já podem ser colocadas pois foi dos lugares onde mais teve problemas com a saída dos médicos cubanos e a não reposição pelo mais médicos. Uma “medida” que Bolsonaro tomou antes mesmo de ser empossado. Cada morte nestes lugares, devem ser reportadas na conta do irresponsável. Por sorte do Brasil foi apenas um ano de desmonte que deu tempo para esta gente, com Mandetta à frente, prejudicar o país.

  8. Quem está sabotando a quarentena e publicizando maus exemplos é a própria mídia, bastava parar de dar cobertura a ele!!!

    Repórteres, jornalista e cinematógrafistas, ignoram a quarentena e as recomendações de não aglomeração para cobrir as saídas do Presidente, quem está mais louco?

    11
    2
  9. Leio na miRdia que governo equatoriano remove 700 corpos de casas só em Guayaquil.
    Isto é apenas um exemplo de caos e subnotificação, já que os números oficiais do Equador falam em 333 óbitos no país.
    A menos que de repente as pessoas resolveram em massa também morrer em casa (e nas ruas) de outras doenças.
    Já no braZil…

  10. Peço a Deus que vossos familiares nao sejam acometidos da doença…..mesmo que a midia pare de dar informação…

  11. Bom…esse artigo é datado de 12/04/2020. Hoje é 11/05/2020. Passaram-se as 4 semanas e a previsão sombria do meu colega epidemiologista não se realizou. Previsões de catástrofes sempre serão feitas, porque as pessoas tem ganhos outros com esse comportamento. Doença nova, pouco conhecida…inferir cenários desastrosos ou paradisíacos é inútil. Nós médicos temos que orientar a população baseados na ciência e reforçar que esse quadro de quase colapso da Saúde, vem de décadas (e governos de diferentes ideologias) de descaso com a saúde da população!

  12. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome