Brasil x EUA, 2008 a 2015, PIB e Desemprego

Tendo em vista a grande confusão que se encontra o meio poítico no Brasil e, na minha opinião, a falta de confiança nas mídias tradicionais e conservadoras, costumo fazer alguns questionamentos.

Na conjuntura do Brasil atual, questiono o porquê não se compara o crescimento do Brasil com o dos EUA nesse período da crise mundial, criada por eles, frise-se, que é o período de 2008 a 2015 (incluindo-se as estimativas)?

Com essa pergunta na cabeça, e acreditando ser bastante relevante para o debate sobre o momento que o país atravessa, fiz um comparativo ano a ano, bem como o resultado do crescimento de ambos ao longo dos últimos 8 anos (incluindo a estimativa de 2015), e o resultado é surpreendente, os dados são baseados em dados obtidos nos links ao fim do texto:

2008 – Brasil: 5,2%   EUA: -0,3%
2009 – Brasil: 0,3%      EUA: -3,1%
2010 – Brasil: 7,5%     EUA: 2,4%
2011 – Brasil: 2,7%   EUA: 1,8%
2012 – Brasil: 1,0%   EUA: 2,8%
2013 – Brasil: 2,7%   EUA: 1,9%
2014 – Brasil: 0,1%   EUA: 2,4%
2015 – Brasil: -3,0%  EUA: 2,0% (estimativas)

Total do crescimento no período 2008 a 2015, Brasil 15,69%  /  EUA  10,18%

Com esses dados em mãos, vem outro questionamento, o que seria melhor, ter apostado no endurecimento logo após a crise em 2008, ou adotar as políticas anticíclicas, apostando que a crise seria absorvida pelo mercado dentro de no máximo 5 anos? Infelizmente a crise foi mais longa que o esperado, mas será que a aposta deu errado?

Sob meu ponto de vista leigo, ao que parece nos números, o Brasil tomou a decisão mais acertada, evidente, que quando se olha para os EUA hoje, parece que estamos bem pior do que de fato estamos, mas quando se olha o histórico da crise, crescemos 50% mais que os EUA, com a Europa não é nem justo comparar.

Leia também:  Documentos revelam vaivém no gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara

Além do mais, essa comparação é útil e similar também quando comparamos as taxas de desemprego no Brasil e nos EUA:

Brasil   2008: 7,8% 2009: 8,1%  2010: 6,7%  2011: 6,0% 2012: 5,5% 2013: 5,4%  2014: 4,8% 2015: 9,0% (estimada)
EUA     2008: 7,2% 2009: 9,3%  2010: 9,7%  2011: 9,0% 2012: 8,1% 2013: 7,3%  2014:  5,5% (estimada) 2015: 5,2% (estimada)

Nada mais natural, que, para qualquer um que tenha perdido o emprego ou rendimentos ou conheça alguém próximo sem emprego, o Brasil errou na aposta, mas os números mostram o contrário, e se, o que particularmente não acredito muito, mas espero estar errado, a política do Levy (governo Dilma) der certo, voltaremos a crescer já em 2016, então realmente a política anticíclica foi mais que acertada.

http://br.advfn.com/indicadores/pib/brasil (PIB Brasil)
http://www.suapesquisa.com/economia/pib_estados_unidos.htm (PIB EUA)
http://www.indexmundi.com/g/g.aspx?c=us&v=74&l=pt (desemprego EUA)
https://pt.wikipedia.org/wiki/Taxa_de_desemprego_no_Brasil (desemprego Brasil)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Brasil X EUAN
    A comparação fica ainda mais favorável se considerarmos o equívoco de se usar a política monetária no combate à inflação quando na presença de capacidade ociosa na produção.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome