Brumadinho: 166 mortos e 155 desaparecidos

As buscas prosseguem na cidade desde que a barragem da mineradora Vale se rompeu, no dia 25 de janeiro

Desastre de Brumadinho. Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O número de mortos em decorrência do crime da Vale, com rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, chega a 166, segundo dados divulgados na tarde de ontem, dia 13, pela Defesa Civil de Minas Gerais. Dos 166 corpos resgatados, 160 foram identificados, e outros 6 continuam sem informações.

As buscas prosseguem na cidade desde que a barragem da mineradora Vale se rompeu, no dia 25 de janeiro. Os rejeitos invadiram a região, deixando em sua esteira um rastro de mortes e destruição.

Segundo a Defesa Civil ainda há 155 desaparecidos, sendo 37 da lista elaborada pela mineradora e 118 da comunidade, listados como não localizados, englobando moradores, trabalhadores da área atingida e turistas.

Desde o início das buscas, 339 pessoas foram localizadas. Não há mais hospitalizados, conforme balanço da Defesa Civil.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais suspendeu os processos de concessão de licenças para a Mina da Casa Branca, situada na região da Serra do Rola Moça, no limite de Belo Horizonte. A suspensão foi determinada até o fim da perícia judicial.

Os produtores de Brumadinho receberam mais prazo do Banco do Brasil nos vencimentos de suas dívidas. Devido à tragédia, o BB adiou o vencimento em um ano, considerando prejuízos da tragédia.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora