China propõe renegociação de preços de carne brasileira

Decisão surpreende frigoríficos que exportam para o país; preço da arroba do boi gordo caiu R$ 40 em relação à alta recorde vista em 2019

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A China desistiu de pagar os altos preços cobrados pela carne brasileira, e os exportadores decidiram propor mudanças nos valores praticados.

Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, os chineses entendem que os preços estão elevados, os lucros da indústria são grandes e a variação cambial permitiria que um novo acerto seja feito.

A decisão chinesa pegou as indústrias brasileiras – principalmente os frigoríficos de menor porte – pelo contrapé, e pode trazer alguns problemas para o setor, uma vez que elas pagaram os valores mais altos e a renegociação dentro do proposto pelos importadores chineses não cobre os custos do boi e da operação de exportação.

A situação para os pecuaristas brasileiros também deve se complicar depois que um frigorífico sul-americano fez negócios com os chineses por preços abaixo do praticado pelo país recentemente. Uma alternativa a ser explorada pelos exportadores brasileiros é a venda de carne para o Irã, mas esse cenário de menor preço para a exportação também deve ser levado em conta pelo país persa.

Ao fim do ano passado, o preço da carne bovina atingiu níveis recordes, chegando a R$ 231 por arroba, segundo levantamento elaborado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) – e boa parte desse aumento se deu na entressafra de bois no Brasil, por conta da peste suína africana na China. Na última segunda-feira, a cotação da arroba do boi fechou em R$ 192,60.

Leia também:  Na contramão dos ataques do governo Bolsonaro, UNE lança campanha “Eu defendo a educação”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. AntiCapitalismo de Estado. O amadorismo brasileiro é inacreditável !! Depois do Acordo da China com EUA, onde seu Presidente impôs enorme cota de Produtos AgroPecuários, logicamente que a China ganhou margem de manobra com os produtos brasileiros. Ou foi forçada em trocar os produtos brasileiros por norteamericanos. Veja se nos EUA, estão reclamando que estão transformando seus Biomas de Boi ou Soja? Salários e Em,pregos Brasileiros que serão reduzidos. Parabéns !! ‘Farms here, Forests there’.

    3
    1
  2. O aumento do consumo de Carne de Frango está desmatando e acabando com Meio Ambiente na América Latina, segundo GreenPeace. A Hipocrisia e o desespero achou suas ONG’s

  3. Estranho frigorificos serem apanhado no contrapé. Qualquer um que opera no mercado de exportação sabe que fortes desvalorizações cambiais em um dado país exportador descoladas de aumentos nos custos locais implicam em ajustes dos preços de exportação. Afinal, desde quando importador é burro? Ora, se há um aumento do preço na moeda local decorrente de desvalorização a margem do exportador aumenta e se o importador tem poder de barganha por que não se beneficiaria disso empurrando o preço para baixo?
    Isso já aconteceu antes com o frango, com o suíno, por que não com o boi?
    Quanto à opção de saída pelo Irã, é risível. Os iranianos iriam pagar mais que os chineses? e de um país cujo governo esculhambou o que pôde com o país deles? Sério?

  4. Olha, pelo preço da carne bovina que está aqui no Brasil, aconteceu uma coisa:
    O brasileiro mudou e muda de hábitos rapidamente.
    Para ajustar o alimento ao orçamento doméstico.
    Então, o consumo de outros produtos substituíveis aumenta.
    Carne suína, carne ovina, equina, caprina, frango, ovo. O povo se vira.
    E eles esqueceram a carne bovina; desistiram.
    Mesmo que o preço caia, vai demorar a voltar o consumo anterior.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome