10 comentários

  1. URGENTE: Nova bomba do Intercept mostra que procuradores reclamavam das transgressões de Moro

    Acaba de sair a prévia do próximo lote de mensagens comprometedoras da Lava Jato; nesta leva, os procuradores se mostram chocados com a conduta de Sergio Moro; eles dizem não confiar no juiz e postulam: “Moro viola sempre o sistema acusatório”

    29 de junho de 2019, 00:24 h Atualizado em 29 de junho de 2019, 00:44

    Acaba de sair a prévia do próximo lote de mensagens comprometedoras da Lava Jato. Nesta leva, os procuradores se mostram chocados com a conduta de Sergio Moro. Eles dizem não confiar no juiz e postulam: “Moro viola sempre o sistema acusatório”

    Os procuradores afirmam que Sergio Moro é inquisidor, centralizador que que usa o Ministério Público para “corroborar suas ideias”.

    As trocas de mensagem revelam um juiz temido – porque trangressor. Os procuradores se sentem acuados e dão a entender que se não atenderem aos ‘pedidos’ de Moro, poderiam sofrer consequências.

    https://www.brasil247.com/midia/urgente-previa-de-nova-bomba-do-the-intercept-acaba-de-sair

    Vele a pena ler a postagem original.

    ESSE MORO É UM PSICOPATA FILHO DA PUTA. E CONTINUA SENDO O CANDIDATO DA GLOBO PARA AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES.

    Phoda-se, Sérgio Moro! Phoda-se Rede Globo!

  2. Juízes? Não, uma quadrilha de perigosos bandidos.

    Dallagnol tentou acelerar ação contra Jaques Wagner antes do segundo turno

    Três dias antes do segundo turno das eleições de 2018, o procurador Deltan Dallagnol tentou forçar a mão para provocar ações de busca e apreensão contra o atual senador Jaques Wagner (PT-BA). Em uma das conversas, Deltan pergunta: “Caros, Jaques Wagner evoluiu? É agora ou nunca… Temos alguma chance?”

    29 de junho de 2019, 05:48 h

    Dallagnol parece corromper a Justiça pregada por Jesus Cristo

    247 – Em sua coluna deste sábado, a jornalista Mônica Bergamo revela que o procurador Deltan Dallagnol demonstrou, em diálogos com colegas da Lava Jato, em outubro de 2018, que era preciso acelerar ações contra o petista Jaques Wagner —ele tinha acabado de se eleger senador pela Bahia e tomaria posse em fevereiro. Para Deltan, valeria fazer busca e apreensão sobre o político ‘por questão simbólica’, segundo informa a jornalista.

    Em uma das conversas, de 24 de outubro do ano passado, Deltan pergunta: “Caros, Jaques Wagner evoluiu? É agora ou nunca… Temos alguma chance?”. Naquele momento, Fernando Haddad e Jair Bolsonaro disputavam a presidência da República e Sergio Moro negociava com a equipe de Bolsonaro sua ida para o governo.

    Leia, abaixo, um trecho da coluna de Mônica Bergamo, em que Deltan, que diz não ser possível atestar a autenticidade das mensagens, afirma que ‘seria bom demais’ uma ação contra Wagner:

    Um procurador identificado como Athayde (provavelmente Athayde Ribeiro Costa) responde: “As primeiras quebras em face dele não foram deferidas”. Mas novos fatos surgiram e eles iriam “pedir reconsideração”. “Isso é urgentíssimo. Tipo agora ou nunca kkkkk”, escreve Deltan. Athayde diz que “isso não impactará o foro”. Deltan responde: “Não impactará, mas só podemos fazer BAs [operações de busca e apreensão] nele antes [da posse]”. Uma procuradora pondera que o petista já sofrera uma busca: “Nem sei se vale outra”. Deltan responde: “Acho que se tivermos coisa pra denúncia, vale outra BA até, por questão simbólica”. E completa: “Mas temos que ter um caso forte”. Athayde informa que seria “mais fácil” Wagner aparecer “forte” em outro caso, e Deltan finaliza: “Isso seria bom demais”.

    https://www.brasil247.com/regionais/sul/dallagnol-tentou-acelerar-acao-contra-jaques-wagner-antes-do-segundo-turno

  3. E FOI NESSE CLIMA QUE A ELEIÇÃO (???) OCORREU

    Dallagnol tentou acelerar ação contra Jaques Wagner antes do segundo turno

    Três dias antes do segundo turno das eleições de 2018, o procurador Deltan Dallagnol tentou forçar a mão para provocar ações de busca e apreensão contra o atual senador Jaques Wagner (PT-BA). Em uma das conversas, Deltan pergunta: “Caros, Jaques Wagner evoluiu? É agora ou nunca… Temos alguma chance?”

    29 de junho de 2019, 05:48 h
    61
    Dallagnol parece corromper a Justiça pregada por Jesus Cristo

    247 – Em sua coluna deste sábado, a jornalista Mônica Bergamo revela que o procurador Deltan Dallagnol demonstrou, em diálogos com colegas da Lava Jato, em outubro de 2018, que era preciso acelerar ações contra o petista Jaques Wagner —ele tinha acabado de se eleger senador pela Bahia e tomaria posse em fevereiro. Para Deltan, valeria fazer busca e apreensão sobre o político ‘por questão simbólica’, segundo informa a jornalista.

    Em uma das conversas, de 24 de outubro do ano passado, Deltan pergunta: “Caros, Jaques Wagner evoluiu? É agora ou nunca… Temos alguma chance?”. Naquele momento, Fernando Haddad e Jair Bolsonaro disputavam a presidência da República e Sergio Moro negociava com a equipe de Bolsonaro sua ida para o governo.

    Leia, abaixo, um trecho da coluna de Mônica Bergamo, em que Deltan, que diz não ser possível atestar a autenticidade das mensagens, afirma que ‘seria bom demais’ uma ação contra Wagner:

    Um procurador identificado como Athayde (provavelmente Athayde Ribeiro Costa) responde: “As primeiras quebras em face dele não foram deferidas”. Mas novos fatos surgiram e eles iriam “pedir reconsideração”. “Isso é urgentíssimo. Tipo agora ou nunca kkkkk”, escreve Deltan. Athayde diz que “isso não impactará o foro”. Deltan responde: “Não impactará, mas só podemos fazer BAs [operações de busca e apreensão] nele antes [da posse]”. Uma procuradora pondera que o petista já sofrera uma busca: “Nem sei se vale outra”. Deltan responde: “Acho que se tivermos coisa pra denúncia, vale outra BA até, por questão simbólica”. E completa: “Mas temos que ter um caso forte”. Athayde informa que seria “mais fácil” Wagner aparecer “forte” em outro caso, e Deltan finaliza: “Isso seria bom demais”.

    https://www.brasil247.com/regionais/sul/dallagnol-tentou-acelerar-acao-contra-jaques-wagner-antes-do-segundo-turno

  4. ILEGÍTIMO E CORROMPIDO, ISSO MESMO!

    Mesmo para os defensores de Moro, seu trabalho se tornou ‘ilegítimo e corrompido’, aponta Glenn

    O jornalista Glenn Greenwald escreveu neste sábado (29) sobre as últimas revelações feitas pelo The Intercept Brasil nesta madrugada; “A conduta de Moro como juiz tornou-se tão obviamente antiética e politizada que mesmo seus mais leais defensores do MPF explicaram entre si com clareza por que a violação dele de regras éticas e ações politizadas tornou seu trabalho ilegítimo e corrompido”, apontou

    29 de junho de 2019, 09:38 h Atualizado em 29 de junho de 2019, 09:44
    4
    glenn moro

    247 – O jornalista Glenn Greenwald escreveu neste sábado (29) sobre as últimas revelações feitas pelo The Intercept Brasil nesta madrugada. “A conduta de Moro como juiz tornou-se tão obviamente antiética e politizada que mesmo seus mais leais defensores do MPF explicaram entre si com clareza por que a violação dele de regras éticas e ações politizadas tornou seu trabalho ilegítimo e corrompido”, apontou.

    Antes, Glenn havia escrito que “Ninguém mais precisa argumentar se a conduta de Moro como um juiz era antiética, corrupto e imprópria. Os próprios promotores sabiam e – pelo menos em segredo – reconheceram isso e reclamaram com grande raiva, mas também grande clareza sobre isso”.

    https://www.brasil247.com/regionais/sul/dallagnol-tentou-acelerar-acao-contra-jaques-wagner-antes-do-segundo-turno

    Vale a pena ler a matéria completa. O link se encontra logo acima.

  5. Essa repórter da Globo não tem o menor pudor

    Blog do Mello: FAB desmente Globo; sargento traficante só acompanhou presidentes a partir de 2016; vídeo
    28/06/2019 – 11h28

    FAB desmente Globo e diz que sargento traficante só acompanhou presidentes a partir de 2016

    por Antônio Mello, em seu blog

    O Jornal Nacional, assim como boa parte da mídia corporativa, tenta colar o tráfico de drogas por um sargento em voo da comitiva presidencial de Bolsonaro aos presidentes antes dele, Dilma, Temer, numa tentativa de normatizar a presença do traficante voador, que foi flagrado com 39 kg de cocaína anteontem, em Sevilha, Espanha.

    Mas o porta-voz da Aeronáutica é claro: o sargento traficante só foi incorporado às comitivas presidenciais em 2016, e não em 2011, como afirmara reportagem anterior da Globo, ou 2010 (para botar Lula no rolo, Kamel*?), como afirmou a Globo no Jornal Nacional, em reportagem de Délis Ortiz**, aquela que entregou uma bíblia de presente a Bolsonaro num puxassaquismo constrangedor.

    Confira:no vídeo que se encontra na parte inferior da matéria: https://www.viomundo.com.br/denuncias/blog-do-mello-fab-desmente-globo-sargento-traficante-so-acompanhou-presidentes-a-partir-de-2016-video.html

    A versão da Globo, totalmente desmascarada por essa matéria, era a de que o traficante flagrado com 39 kg de cocaína, o sargento comissário de bordo Manuel Silva Rodrigues, tinha feito viagens com o Lula e depois com a Dilma e, portanto….

    Veja o vídeo com militar da FAB desmentindo a Globo, no final da matéria cujo link se encontra acima.
     

    ──────────────────────────

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome