Clipping do dia

As matérias para serem lidas e comentadas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  GGN Covid: últimos dados da União Europeia mostram Brasil com 25% dos óbitos totais

6 comentários

  1. MOURÃO EM QUARENTENA

    Mourão fica em isolamento após servidor testar positivo para Covid-19

    O vice-presidente e sua esposa também foram submetidos ao exame de coronavírus e aguardam resultado para segunda-feira 18. Os dois estão isolados no Palácio do Jaburu

    https://www.brasil247.com/regionais/brasilia/mourao-fica-em-isolamento-apos-servidor-testar-positivo-para-covid-19-cldj9ymr

    Não se preocupe, Gal Mourão, é só uma “gripezinha”

    O NÚMERO DE ÓBITOS DA “GRIPEZINHA”

    Brasil registra 816 mortes por coronavírus em 24h e ultrapassa os 15 mil óbitos

    FAKE NEWS ORIGINADAS DO GABINETE DO ÓDIO DE CARLUX ORIENTOU POLÍTICOS E E POPULAÇÃO DA REGIÃO NORTE NA “ESTRATÉGIA GERAL DE COMBATE” AO CORONAVÍRUS.

    E o resultado foi devastador. Veja, por exemplo, a situação de Manaus. A fake news originada no gabinete do ódio do Carlux dizia que o coronavírus era praticamente inoperante em regiões de clima quente..

    Você encontra esta informação no vídeo cujo o link se encontra abaixo, no intervalo compreendido entre 24 e 26 minutos.

    https://youtu.be/ApgNoAVnIy4

    Ou seja, não é só Bolsonaro que é criminoso. Criminosos são ele, todos os seus filhos e toda essa cambada de generais que apoiam esses maloqueiros genocidas.

  2. CHIORO REJEITA IMPOSIÇÃO DE CLOROQUINA PARA TODOS COM COVID-19: “ATITUDE IRRESPONSÁVEL E CRIMINOSA CONTRA A SOCIEDADE BRASILEIERA”

    16/05/2020 – 16h25

    por Conceição Lemes, no Vi o Mundo

    Deu nessa sexta-feira, 15/05, no Estadão:

    Bolsonaro manda general assinar decreto que vai liberar cloroquina a todos os pacientes de covid-19

    Alçado a chefe interino do Ministério da Saúde nesta sexta-feira, 15, o general Eduardo Pazuello deve assinar o novo protocolo da pasta que libera o uso da cloroquina até mesmo em pacientes com sintomas leves da covid-19.

    A medida é uma determinação do presidente Jair Bolsonaro, que o oncologista Nelson Teich se recusou a cumprir.

    Atualmente, a orientação é para profissionais do sistema público de saúde prescrever a substância apenas em casos mais graves.

    A cloroquina e seu derivado, a hidroxicloroquina, são medicamentos usados há bastante para tratar malária, com manejo muito criterioso.

    Porém, o presidente dos EUA, Donald Trump, e seu capacho brasileiro, Jair Bolsonaro, insistem em “prescrevê-las” generalizadamente para a doença causada pelo novo coronavírus, a covid-19, apesar das evidências científicas contrárias.

    Não há embasamento científico ou clínico comprovado para usar cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento da covid-19.

    Muitas entidades científicas, de saúde pública e bioética, no Brasil e no exterior, já se posicionaram contra o uso desses medicamentos na covid-19.

    O Comitê Científico do Consórcio Nordeste, coordenado pelo neurocientista Miguel Nicolelis e o ex-ministro Sergio Rezende, reforçou no seu último boletim a recomendação contra o uso desses medicamentos, em qualquer fase da infecção produzida pelo coronavírus:

    Estudos clínicos em múltiplos países demonstram, categoricamente, a inexistência de qualquer efeito terapêutico destes medicamentos e o gravíssimo risco de morte súbita por parada cardíaca irreversível.

    O maior instituto de pesquisas do mundo, o National Institute of Health (NIH), anunciou na última quarta-feira, 22 de abril, que estes medicamentos não devem ser usados em pacientes com coronavírus.

    Ainda seguindo recomendações do NIH, o Comitê Científico do Nordeste reafirma: só devem haver exceções para possíveis estudos clínicos randomizados que sigam todos os procedimentos dos comitês de ética locais.

    “Impor o uso desses medicamentos sem eficácia comprovada e potencial enorme de reações adversas graves e até fatais é atitude irresponsável e criminosa”, afirma o médico sanitarista Arthur Chioro, ministro da Saúde no governo Dilma Rousseff.

    Ele conclama os colegas médicos a observarem os princípios éticos e rejeitarem contundentemente tal imposição.

    “Um novo ministro que se sujeite a esse absurdo deve ser repudiado e desrespeitado por todos os profissionais de saúde e pela sociedade”, defende.

    “É inadmissível qualquer atitude de conivência com esse crime contra a sociedade brasileira”, arremata.

    https://www.viomundo.com.br/blogdasaude/chioro-rejeita-imposicao-de-de-cloroquina-para-todos-pacientes-com-covid-19-atitude-irresponsavel-e-criminosa-contra-a-sociedade-brasileira.html

    Um general a mais ou mais um ajudante de ordens? Esse general nomeado “ministro da saúde” (o que esse cara entende de saúde?) foi o mesmo que obrigou um soldado a puxar uma carroça em substituição a um burro. Mas isso é um ato de humilhação insignificante comparado com a morte de um cadete por um militar mais graduado, como o descrito por Gregório Duvivier neste vídeo.

    https://youtu.be/dniQ2tIkzeo

    Um bando de sádicos!

  3. MAUS PATRIOTAS

    Quem são eles? Aqueles brasileiros que não querem colaborar com o presidente genocida, por insistirem em não tomar cloroquina ou saírem às ruas para trabalhar e morrer. Daqui a pouco o gabinete do ódio do Carlux vai chamá-los de COMUNISTAS safados, por insistirem em continuar vivos.

    E até o Mourão vai entrar nessa categoria de “comunista safado” por querer fazer quarentena depois que cruzou, a 120 metros de distância, com um funcionário infectado.

  4. MAUS PATRIOTAS

    Quem são eles? Aqueles brasileiros que não querem colaborar com o presidente genocida, por insistirem em não tomar cloroquina ou saírem às ruas para trabalhar e morrer. Daqui a pouco o gabinete do ódio do Carlux vai chamá-los de COMUNISTAS safados, por insistirem em continuar vivos.

    E até o Mourão vai entrar nessa categoria de “comunista safado” por querer fazer quarentena depois que cruzou, a 120 metros de distância, com um funcionário infectado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome