CNMP abre processo para apurar como Castor de Mattos pagou outdoor lavajatista

"Caso ele tenha se utilizado de sistemas de informações oficiais para [obter] informações de terceiro, é possível que tenha havido desvio de finalidade", diz conselheiro

Jornal GGN – O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu, por unanimidade, abrir um processo para apurar a origem dos recursos utilizados pelo procurador da República, Diogo Castor de Mattos, para custear a instalação de um outdoor que exalta o trabalho da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

Pelas informações apuradas até agora, Castor de Mattos usou um nome de terceiro para fazer o pagamento. O cidadão fez um boletim de ocorrência porque não sabia que seus dados estavam sendo usados para tal finalidade. [Leia mais abaixo]

“Quem seria a pessoa do contato do reclamado [Castor de Mattos] que procedeu à efetiva contratação? Quem obteve e como foram obtidos os dados pessoais? Caso ele tenha se utilizado de sistemas de informações oficiais para informações de terceiro, é possível que tenha havido desvio de finalidade”, afirmou o corregedor do CNMP, Rinaldo Reis.

Segundo o conselheiro Bandeira de Mello, é “preciso saber de onde partiu a ideia e quem pagou por ela”. As informações foram divulgadas por Pedro Canário no site O Antagonista.

Castor de Mattos era membro da equipe da Lava Jato em Curitiba mas, quando o outdoor foi descoberto e ele, representado no CNMP, acabou apresentando um atestado médico e pediu afastamento da operação por motivos de saúde.

Ao CNMP, Mattos já confessou ser o mentor do outdoor. Os conselheiros entendem que ele cometeu uma infração disciplinar, mas arquivaram o pedido de punição contra o procurador.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora