Com Bolsonaro, otimismo entre empresários cai e volta ao nível de 2014

O índice despencou 28,2%, saindo de 68,5 pontos, de dezembro de 2018, para 49,2 pontos em setembro de 2019. A escala vai de zero a 100 pontos

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal GGN – Pesquisa feita pela Panorama Global dos Negócios, e divulgada pela BBC Brasil neste sábado (5), mostra que o otimismo dos empresários brasileiros na economia despencou e retornou ao patamar de 2014.

Entre os motivos, segundo a BBC Brasil, estão a “incerteza econômica, políticas governamentais, risco cambial, demanda fraca” e uma “série de preocupações” geradas interna e externamente após a posse de Jair Bolsonaro.

A pesquisa, acompanhada pela Fundação Getúlio Vargas, analisou o grau de otimismo de 29 empresas de porte médio e grande no Brasil.

O índice despencou 28,2%, saindo de 68,5 pontos, de dezembro de 2018, para 49,2 pontos em setembro. A escala vai de zero a 100 pontos.

O patamar atual, após 9 meses de Bolsonaro, é o mesmo registrado em 2014, alerta a BBC.

“Naquela época, incerteza econômica e políticas governamentais também foram citadas pelos empresários, ao lado de inflação (que vinha na trajetória ascendente que culminaria nos 10,67% registrados nos 12 meses até dezembro de 2015) e do aumento de custo de matérias-primas.”

O ponto mais baixo da série, que começou em 2012, foi registrado pouco antes do impeachment de Dilma Rousseff: 35,5 pontos, em setembro de 2015.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  TV GGN: O avanço das milícias na Bolívia

5 comentários

  1. O trabalho de Silvia Federici é mesmo muito importante e eu espero que este seu novo livro encontre a acolhida que merece no Brasil. Eu utilizei bastante o pensamento desta autora – citando a fonte – em um texto publicado aqui no GGN onde procuro mostrar, no caso do Brasil de Bolsonaro, o vínculo entre a violência contra a Terra e contra a mulher – para quem se interessar, mando aqui o link:

    https://jornalggn.com.br/artigos/capitalismo-violencia-contra-a-mulher-violencia-contra-a-terra-por-franklin-frederick/

    Franklin Frederick

  2. Fim das expectativas positivas.

    O que impedido um aprofundamento da recessão econômica no Brasil, são as expectativas positivas das empresas em relação ao novo, mais velho governo neoliberal econômica.

    Os seguidos erros na condução política externa, as consequências das medidas trabalhistas e previdenciária, e principalmente a queda da demanda do setor público, reduzindo a demanda agregada, criam as condições para a espiral recessiva.

    A tragédia Argentina, reforça a constatação de que o governo representante dos empresário vai falhar.

    As maldades com os mais pobres, para manter as heranças do escravagismo, são os principais motivos para a atual recessão econômica, que se aprofundar exponencialmente com o fim das expectativas positivas por parte dos empresários em relação ao novo e já velho governo.

    Sem aumento do emprego formal e da renda, não há aumento do crédito nem do consumo das famílias.

    Salário é custo para as empresas, mas renda para as famílias, e sem renda não há consumo.

    Sem falar que com a queda do consumo e da renda, e do emprego formal, há uma queda na arrecadação de impostos e taxas.

    Mais alguns meses, veremos empresários de vermelho, não por vontade, mas por necessidade de sobrevivência.

    Volta PT!!!!!!!

    .

  3. Como não conheço um empresário sequer que não tenha votado em Bolsonaro, a todos digo que não se desesperem porque ainda há muito a perder pelo otimismo às cegas, mal informados, simplesmente porque quando tudo parece desabar, é porque vai desabar mesmo

  4. Ah, mas o bando já se movimenta para animar parte do empresariado o que, certamente, irá aumentar a expectativa (diria volúpia pois são uns cretinos) de empresarios de outros segmentos.
    Na calada, quase que sub-repticiamente, o senado, um dos cúmplices no assalto a previdência dos brasileiros, pariu um
    crime de lesa-pátria num processo chamado de ‘tramitação terminativa’ (em discussão fechada), mais uma roubalheira rapidamente aprovada pelo Bolsonaro.
    Foi publicado no Diário Oficial da União de sexta-feira (4 de outubro) a mudança da Lei Geral de Telecomunicações (LGT) que transformou as antigas concessões em outorga, o que pode significar a doação de cerca de R$ 100 bilhões do patrimônio da União às operadoras de telefonia fixa.
    Entreguistas e vendilhões que são, sorrateiros e dissimulados encobrem seus crimes contra a nação através de cortinas de fumaça como pré-sal, minerações em terras de indios, censura de tudo que possa significar liberdade, queimadas (ai é fumaça literalmente), liberações de armas, e outras merdas tipicas destes incompetentes e que não agregam nada ao Brasil.
    Escória!

  5. Espiral recessiva

    O que temos pela frente, é uma ampliação das demissões, e queda no investimento para ampliar a produção de bens e serviços, com isso mais queda na arrecadação de impostos e taxas, provocando cortes no orçamento público.

    Um ciclo vicioso provocando a queda da demanda agregada.
    Em pouco tempo veremos a execução das garantias para receber débitos em atraso.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome