Como faturar na crise trabalhando em casa

Olá pessoal aqui do Blog MVA. Hoje quero falar sobre a história da Melissa, minha colega na faculdade de Administração. Ela está cursando o terceiro período da faculdade na mesma turma e sempre fomos muito amigas.

A Melissa trabalhava como caixa de um supermercado, de segunda a sabado, com jornada de oito horas diárias. Mas era comum que ela fizesse hora extra e chegasse a trabalhar até dez horas por dia.

Era com esse dinheiro que ela conseguia pagar as mensalidades da faculdade, que era particular.

E ainda tinha que conciliar esse emprego com os estudos para o curso de Administração. Mas, mesmo diante dessas dificuldades, Melissa era uma aluna frequente e tirava boas notas.

A crise e o desemprego

Mas aí veio a crise econômica e a vida da Melissa começou a mudar. De uma só vez, o supermercado em que ela trabalhava demitiu quinze funcionários. E o nome da Melisse estava entre os demitidos.

De início, ela não se desesperou. Como sempre foi uma mulher batalhadora, tratou logo de distribuir currículos para conseguir uma vaga em outro lugar. E ela estava disposta a aceitar qualquer coisa, para não ficar desempregada e continuar pagando as mensaldiades do curso de Administração.

O problema é que os dias foram passando e o telefone nunca tocava. Mesmo tendo enviado vários currículos e feito diversos contatos, Melissa não foi chamada para nenhuma entrevista.

Enquanto isso, as mensalidades da faculdade começaram a atrasar. Até que ela completou três mensalidades atrasadas e foi chamada pela coordenação do curso para uma conversa.

Melissa foi advertida de que, caso não quitasse a dívida, não poderia se matricular no semestre seguinte.

Como Melissa pagou a dívida

Foi então que eu resolvi ajudá-la! Pensei que ela poderia conseguir uma renda provisória trabalhando em casa pela internet, até que conseguisse um emprego.

Depois de muita pesquisa, descobri um site que ensinava como fazer salgados para vender. Esse curso prometia um faturamente de 2 a 5 mil reais por mês, trabalhando em casa produzindo salgados congelados.

Como eu sabia que a Melissa gostava de cozinhar, comprei o curso e resolvi dar de presente para ela. Como não poderia deixar de ser, ela ficou super feliz e foi logo colocar a mão na massa.

A vida da Melissa mudou

O resultado é que, depois de seis meses, a Melissa já faturava mais do que o salário que recebia no supermercado e quitou toda a sua dívida.

Hoje, ela tem uma empresa de salgados congelados e não precisa mais se preocupar com emprego. Tornou-se dona do próprio negócio e já está até contratando funcionários.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora