Como os delegados da PF colocaram o governo de joelhos

Comentários no post “Delegados da Operação Lava Jato fizeram campanha para Aécio nas redes sociais”.

Por Dani Carvalho

Os delegados de Polícia Federal obtiveram nas últimas semanas a votação mais rápida da história do legislativo, da MP 657, que reestrutura apenas oCARGO DE DELEGADO DE POLÍCIA FEDERAL, sem considerar o órgão como tendo mais quatro cargos, por dar todo o poder da Polícia Federal aos delegados, estabelecendo que somente eles podem ser escolhidos para Diretor Geral pelo Presidente do País, deixando todas as outras classes do órgão absolutamente sem direitos e garantias. 

E também não vamos nos esquecer da frase do deputado federal/delegado de polícia federal Francischini falou,à respeito desta MP 657: “Botamos o Governo de joelhos”.

Todo mundo sabe como foram os bastidores para esta votação com tramitação recorde: chantagem e jogo sujo.

Quero ver agora a Presidenta sancionar a lei que deu a Polícia Federal de bandeja aos delegados, e depois limpar o rastro de sujeira, mau-caratismo, prepotência e bagunça que sobrou.

Por Luciano Prado

“O que o Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo fará com essas informações?”

“E o que Dilma fará com Cardozo?”

“O que ambos farão para restaurar a disciplina na PF?”

Resposta: Já fizeram.

Sucumbiram às chantagens através da MP 657 que dá aos delegados da PF, dentre outras regalias, exclusividade para o cargo de Diretor-Geral do DPF.

“Art. 2º-C. O cargo de diretor-geral, nomeado pelo Presidente da República, é privativo de delegado de Polícia Federal integrante da classe especial.”

Foi sempre assim, todas as vezes que os delegados pretendem jogar com interesses corporativos, exclusivo da categoria dos delegados, agem dessa forma, e no momento “adequado”, ou seja, as vésperas das eleições. Ou as vésperas de eventos cruciais que podem colocar a presidência em xeque.

MP 657/2014

Nota Oficial da Federação Nacional dos Policiais Federais – Aprovação da MP 657 no Senado

Caros colegas policiais federais de todo o Brasil,

Como é de conhecimento amplo foi aprovada hoje pelo plenário do Senado Federal a MPV 657/2014, editada e publicada pelo Poder Executivo no dia 14.10.2014.

Construída na calada da noite, em plenas eleições presidenciais, e sem a urgência e relevância que justificassem o uso desse instrumento legislativo, a Medida ganhou vários apelidos em seu curtíssimo tempo de vida (MP da Chantagem, MP a jato, MP da Impunidade, etc.). Para editá-la o Governo Federal atropelou diversas negociações que estavam em andamento através de grupos de trabalho e bancou o envio ao Congresso Nacional de um texto que destacava exclusivamente o pleito de delegados da Polícia Federal.

Leia também:  “Não aceitam que os povos indígenas sejam sujeitos de direito”, aponta debate

De forma calculada, e ao mesmo tempo aviltante e desafiadora, o Governo Federal se sobrepôs a todos os compromissos firmados com os policiais federais no que concerne à discussão sobre a carreira policial federal.

As demais fases percorridas no Congresso Nacional seguiram o rito ditado por delegados-deputados, como os deputados federais oposicionistas João Campos e Fernando Francischini, e deputados “amigos” dos delegados, como o performático Bernardo Santana de Vasconcelos (PR/MG). Todos trabalharam para evitar as discussões técnicas em torno do assunto, até por medo de prolongar o assunto e dar-se tempo para a sociedade ser informada do absurdo presente tanto na forma de encaminhamento quanto no mérito dessa Medida Provisória.

Houve ainda a participação ativa do Ministério da Justiça (SAL/MJ) a Direção-Geral da Polícia Federal, através da intervenção direta do diretor geral dos delegados e de sua ASPAR (Assessoria Parlamentar).  No Senado, com apoio de seu assessor delegado federal, o Senador Humberto Costa se empenhou na aceleração da votação e aprovação sem discussão e sem emendas.

Através de um grande chamado nacional, a Federação Nacional dos Policiais Federais e os sindicatos filiados coordenaram e executaram uma estrutura de combate a tal medida.

Pela via do combate técnico, houve a elaboração de nota técnica, buscando apoio em outras entidades e, sob ameaça de greve dos policiais federais não-delegados, uma agenda urgente foi aberta com o Governo Federal, com a participação da Casa Civil e Secretaria de Relações Institucionais. Muitas promessas e garantias foram registradas em duas reuniões com o amplo conjunto do Governo Federal (Casa Civil, Ministério da Justiça, Ministério do Planejamento, Secretaria de Relações Institucionais e Departamento de Polícia Federal). Nunca se viu tanta preocupação governamental com uma possível greve e a cobrança desta fatura virá imediatamente.
Outras entidades representativas, como do Ministério Público, emitiram notas técnicas contrárias a MPV 657.

Como resultado dessa aprovação de hoje, somada à esperada sanção pela presidente da República, a situação interna da Polícia Federal passará pela sua pior fase de convivência entre os cargos. Os representantes exclusivos do cargo de delegado federal apostam na imposição trazida por leis mal elaboradas e discutidas em obscuros bastidores como forma de impor uma hierarquia entre cargos, que nunca, jamais irá existir na Polícia Federal.

Leia também:  Em processo de autocrítica, parte do MBL já considera injusta a condenação de Lula

Essa tentativa de sobrepujança por força de lei obrigará a PF a passar pelo o seu maior desafio: o aumento da degradação nas relações internas e a ampliação da declaração pública das divergências entre os cargos que compõem a carreira policial federal, desta vez ironicamente patrocinada pelo Governo Federal, através da iniciativa do Ministério da Justiça.

O empenho da Direção-Geral e seus Superintendentes Regionais na aprovação da MPV 657, convidando parlamentares para comparecerem às Superintendências da PF nos estados, foi a maior demonstração de que trator corporativista apoiado pelo Governo estava passando.

Sem qualquer discussão ou rito democrático, a gestão da PF chegou a patrocinar a expedição de ordem de missão para tentar legalizar a presença de delegados federais no Congresso Nacional. E eles vieram aos montes…

Sem qualquer sentimento de derrota, foi realizada uma assembleia ainda, onde as futuras ideias e ações sindicais serão reformuladas e colocadas imediatamente em prática.

Nosso sindicalismo parte hoje para uma nova era: a da consolidação da carreira de nível superior trazida pela Lei 13.034/2014 e muitos outros projetos para os policiais federais e para a segurança pública.

Não serão tomadas atitudes drásticas, nem haverá incentivo a animosidades, até porque ficou cristalina a desinformação de vários delegados conduzidos de forma equivocada por sua associação, e também por termos a plena convicção de que certas situações são criadas com o intuito provocativo, estrategicamente pensado como forma de manter o sindicalismo e nossas bandeiras com a ululante flâmula do radicalismo.

Tomaremos as medidas judiciais cabíveis e intensificaremos a luta política pela valorização dos policiais federais, até a eliminação completa de toda a legislação retrógrada e que traz benefícios para apenas um cargo na estrutura de carreira da Policia Federal.

Leia também:  Fora de Pauta

Por mais que não pareça, a luta está apenas no início. Como nos disse um Senador governista ontem, dizendo-se compelido a votar sim à MPV 657/2014 por obrigação partidária, “da mesma forma que leis vêm, leis também vão”.

No dia 17 de novembro próximo, em comemoração ao Dia do Policial Federal, faremos a maior homenagem que um federal de verdade já teve. Vamos fazer uma grande manifestação, talvez a mais contundente que o Brasil já assistiu e demonstrar toda a nossa capacidade de união e garra em torno de uma causa justa e de direito.

Neste dia, decidiremos em assembleias por todo o Brasil sobre a entrega das chefias e funções hoje exercidas por Agentes, Escrivães e Papiloscopistas policiais federais, bem como a retomada da aplicação do Manual de Procedimentos (cartilha).

Vamos instigar as novas “excelências” da PF a trabalhar conforme o mal redigido texto da Medida Provisória MPV 657, nascido sob notícias de ameaças de vazamento, insculpido com traços antigos da arte barroca nas Minas Gerais, conformado pelo Diretor-Geral e abalizado pelo Ministro da Justiça, até que naturalmente uma nova e verdadeira urgência surgirá: de os delegados sentirem que não são líderes dos policiais federais, e sequer de si mesmos.

Não consideraremos a votação de hoje uma derrota e nem nos ajoelharemos perante uma imposição legislativa injusta, questionável e desprovida de qualquer tentativa ou intenção de pacificação interna.

Por fim, agradecemos a todos os representantes sindicais e colegas que compareceram ao Congresso Nacional nos últimos dias, ombreando com a diretoria da Fenapef em uma luta desigual, mas podendo ver de perto as dificuldades e peculiaridades da atividade sindical no parlamento brasileiro. Estão todos de parabéns pelo esforço de estarem de Brasília e por dedicarem seu valioso tempo à nossa causa.

Juntos somos fortes. Unidos pelo tempo que for necessário seremos imbatíveis!!!

 A Diretoria.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

59 comentários

    • Gostei da idéia.
      Ao que

      Gostei da idéia.

      Ao que parece a PF está se trensformando em partido político. Poderia ser impedido com uma cláusula de barreira.

      Se o órgão não serve mais, penso que deveria ser extinto.

      Poderia ser criada outra estrutura onde os servidores fossem proibidos de qualquer vinculação partidária e também de disputar eleições.

    • Ora, basta aprovarem a

      Ora, basta aprovarem a PEC-51, proposta por um Senador do PT.

      Mas não. Ficam ai sendo chantageados por delegados.

      Bem feito.

       

       

  1. ”’Chantagem”?
        Mas a

    ”’Chantagem”?

        Mas a chantagem só funciona pra quem tem culpa no cartório.

              Evidentemente que não é o caso do PT, Um governo limpo,honesto que não manipula números da economia,competente e acima de qualquer suspeita.

                   Quanta injustiça,não?

    • Vamos apenas supor …

      Que tudo que acontece no seu bairro seja noticiado por mim e apenas por mim,

      Aí eu viro pra vc e digo que vou espalhar que a digníssima senhora sua mãe é uma prostituta do baixo meretrício desde antes de vc nascer e que seu pai não é o seu pai…

      Vc, ao contrário, acredita que não é nada disso, mas…

      Pois é, quanta injustiça, não?

    • sério???

      já passou da hora deste anarquista escrever algo sério………..

      este cara é um bobalhão!!

      • E vc se considera sério?
          Me

        E vc se considera sério?

          Me defina o que é seriedade.

               Escrever o que te agrada?

        • Se eu fosse o colega…

          … comentarista te diria: “Seriedade é o contrário daquilo que tu aqui vens trollar”… mas não sou, o colega, digo… então posso te passar a definição do que considero ser a definição de “anarquista sério”:

          1. Que ou quem se mostra incapaz de coordenar .ideias. = ESTÚPIDO, IMBECIL, PARVO, PATETA

          2. Que ou quem denota estupidez. = ESTÚPIDO, IMBECIL, PARVO, PATETA

          3. Que ou quem apresenta idiotia.

          “idiota”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/idiota [consultado em 13-11-2014].

           

    • MP da baixeza

      Na véspera de sua operação, o médico informa que se não “der mais”, o anestesista não fara seu trabalho no dia da operação. Isso é chantagem. Qual sua culpa no cartorio ai ? So o fato de ter medo e ceder à chantagem. 

      Não estranha o governo ter cedido à chantagem da MP a jato. Com a campanha conforme se deu e a imprensa com os dentes afiados, à espera de qualquer acontecimento para disparar uma granada, deve ter batido o desespero.

      Ficamos nos cidadãos chocados com a tibieza da Policia Federal com essa MP da baixeza, com a falta de estratégia do Ministro da Justiça (não antecipou nada) e com o atual modo de operação midiatico-politica. 

       

    • Penso que não seja assim

      Penso que não seja assim não.

      No Brasil, que não é um paiseco qualquer, muito ao contrário, é um continente, potencialmente um dos países mais ricos do mundo, e por isso mesmo, qualquer governo que se meta a corrigir distorções históricas; que se meta a governar para a imensa maioria do povo, será, de saída, visto, TRATADO e chantageado como quem sempre teve a tal culpa no cartório.

      Ou será que entendi mal?

  2. Acorda governo Dilma, nenhum

    Acorda governo Dilma, nenhum administração séria pode ser refém de uma corporação, tá na hora de cortar o mal pela raiz e acabar com a farra desses delegados federais que acham malandros.

     

  3. Notável e incompetente

    Nassif,

    O contido na MP 657 não passa de uma completa excrescência corporativista, sendo esta também a opinião de Jones Borges Leal, presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapefe).

    De acordo com o comentário de JBLeal, “a medida provisória é corporativista e aumenta o risco de corrupção ou de ingerência na polícia. “Isso fortalece somete um cargo, em detrimento de todos os outros. Coloca todas as chefias na mão de um único cargo, possibilitando, inclusive, a corrupção. Quem guardará os guardiões? Quem guardará as informações? Quem investigará esses que estão em mãos com todas essas informações?””

    Portanto, ao votar, Bolsonaro e Francischini fizeram como já é hábito. Faz falta à quase quadrilha o ex-deputado Marcelo Itagiba, que não conseguiu voltar prá Brasília.  

    Como bem diz o notável e incompetente ministro da Justicia, a polícia federal é uma polícia prrepublicana, ou melhor, prá lá de republicana, haja vista o fuzuê protagonizado pelos puliça republicanos do ministro na Operação Lava-Jato.

  4. Caro Nassif e demais
    Entendo

    Caro Nassif e demais

    Entendo que não, que a con tinuidade da piolitica da luta contra a corrupção e sonegação é que está dando resultado e eses delegados estão lutando pelo direito da impunidade, tão comum entre os governos demotucanos.

    Veja em SP como a policia civil flutua num mar de rosas. Fosse o Padilha, tudo isso acabava e ele seria a nova Dilma,  a ser atacado e  inimigo público número um, como já o foi.

    Combater a corrupção torna o cambatente em inimigo, e o corrupto em fortaleza. 

    Saudações

  5. Delegados da PF vão levar lista tríplice para o Planalto!!!!!!!!
    Delegados da PF vão levar lista tríplice para o Planalto

     

    Agência Estado – Diário de Pernambuco

    Publicação: 12/11/2014 07:44 Atualização:

    Os delegados de Polícia Federal elegeram sua lista tríplice para escolha do futuro diretor-geral da corporação. A classe elegeu os delegados Roberto Troncon, superintendente em São Paulo; Sérgio Fontes, diretor de gestão de pessoal e ex-diretor da Academia Nacional de Polícia; e Sérgio Menezes, superintendente em Minas Gerais.

    A lista, que tem caráter de sugestão, será levada ao ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) e à Presidência da República. O atual diretor-geral da PF é o delegado Leandro Daiello. Não está decidido se ele vai permanecer no topo da corporação no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff.

    O pleito, o primeiro na história da categoria, foi conduzido pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) e pela Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal. Votaram 790 delegados, dos cerca de 2,1 mil associados. O voto foi facultativo.

    A escolha do chefe da PF é prerrogativa exclusiva da Presidência da República. Na véspera do 2.º turno das eleições presidenciais de 2014, o governo editou a Medida Provisória 657, batizada “MP da Autonomia”. O texto impõe que o comando da Polícia Federal será ocupado exclusivamente por delegado de carreira da instituição.

    A MP foi aprovada pela Câmara dos Deputados e está sob análise do Senado, mas sofre pesada resistência dos procuradores da República e de agentes, escrivães e peritos da PF. Os procuradores avisam que podem ir ao Supremo Tribunal Federal contra a medida.

    A MP não alterou a competência para indicação do diretor-geral, ato que continua sendo de atribuição do Palácio do Planalto. “A lista tríplice é uma sugestão”, assinala o presidente da ADPF, Marcos Leôncio Sousa Ribeiro, artífice das principais conquistas obtidas nos anos recentes pelos delegados da PF. “Estamos colocando como uma contribuição para auxiliar a Presidência da República no aperfeiçoamento do processo de escolha da direção-geral da Polícia Federal como uma polícia verdadeiramente republicana, como deseja a sociedade brasileira.”    

     

    • Brincalhão

      Henrique,

      “A lista tríplice é uma sugestão”

      Este presidente da APDF parece ser um brincalhão.

      Em post recente a respeito da PF, um delegado o desqualificou como representante legítimo de todos os delegados. 

  6. Se Dilma quiser resolver a

    Se Dilma quiser resolver a questão, é fácil: exonera-se J. E. Cardozo, nomeando-se um jurista renomado (p. ex. Fabio K. Comparato) ou mesmo Tarso Genro; exonera-se o atual Diretor Geral da PF, nomeando-se o Delegado Paulo Lacerda; indica-se o Dr. Fausto De Sanctis para a vaga de J. Barbosa no STF. E deixa rolar…

    • Eu sou a favor do De Sanctis

      Eu sou a favor do De Sanctis no Supremo.

      Contra ele pesa o fato dele ser apartidário e de que ter sangue nos dentes para condenar políticos corruptos, seja de qual partido for.

      Não podemos esquecer que esse negócio da Petrobras vai fazer com que muita gente grauda do nosso partido seja julgada.

       

  7. Postei mais cedo no site do

    Postei mais cedo no site do PHA, mas ele não publicou. Acho que a Dilma devia fazer como o Jânio. Não manda em nada, não tem controle de nada, não governa de fato. Chama logo o Aécio, que com extrema facilidade fez a PF e o judiciário sumirem com um helicóptero com 500 kg de coca, e passa a faixa presidencial. Vai acabar com a nossa raiva, salvando nossos fígado, coração e sanidade.

  8. A regra é o concurso

    Nossa, pelo título do “post”, como são importantes esses delegados, mas não possuem sequer… inamovibilidade! Estão generalizando demais nessa questão dos delegados. Há servidores decentes em todo o Serviço Público, entre eles muitos delegados e agentes do DPF. E há aqueles também que postam aquelas imbecilidades no “Face”… quanto à MP 657, nada mais lógico de ser o cargo de delegado o chefe da PF, melhor ainda com requisitos de antiguidade na carreira. Ou queriam que fosse escolhido para chefe um recém-empossado? Assim a lista reduz-se aos que têm condições de chefiar, os de final de carreira. Mas querem um agente ou perito como Chefe? Por favor… quanto a essa baboseira de carreira única, falem isso para o Judiciário e principalmente ao MPF, que tanto dá opinião nesse assunto (pois quer o monopólio da investigação a todo custo) e perguntem se querem que o escrivão ou sei lá qual servidor do MP chegue ao “topo” da carreira. Esse sistema da PF é IGUAL A TODOS os outros sistemas dentro dos três poderes, até a PM e o Exército que são uma verdadeira carreira há a divisão de praças e oficiais, sendo que os primeiros só chegarão junto aos segundos somente por CONCURSO, palavrinha mágica da CF que se estende à todos os cargos públicos. Não há nada de “excrescência corporativista”, mas se quiserem colocar um sargento no Comando do Exército quem sabe os generais aceitem também. Uma Polícia Federal nunca será livre de pressões políticas, mas um bom comando e independência nas investigações ajudariam em muito essa instituição, e não essa papagaiada de funcionários públicos não-vocacionados sempre reclamando dos salários e cujo único assunto é como estar à reboque do Judiciário e MP.

    • De fato, nada contra um

      De fato, nada contra um Delegado da PF ser o chefe daPF. Porém, o que se critica foi a forma de se conseguir colocar isto em lei. Chantagem e jogo sujo (que todos sabemos que houve) não podem fazer parte desse processo. Jamais. Que se coloque em discussão.

    • Ah, como é bonita a defesa do

      Ah, como é bonita a defesa do corporativismo.

      Não querem ficar expostos à concorrência, nao é?

      Falam que é certo que os “mais antigos” chefiem a PF, mas defendem o “concurso para chefe”.

      Ou seja, é “gerontocracia” de um lado e “concursismo burocrata” de outro.

      Eu, como cidadão, nao dou a mínima para quem é o chefe da PF – se delegado, escrivão ou cozinheiro.

      Eu quero é que funcione.

      E o que eu sei é que não funciona. O modelo do inquérito policial nao funciona. É um anacronismo dos tempos do império.

      O Delegado é geralmente um concurseiro que nunca investigou nem sequer penetra em festa de 15 anos e vai chefiar grupos de agentes com anos de casa.

      Mas disso você nao reclama, né?

      No mais, fala mal da carreira única, mas esquece que as MELHORES polícias do mundo são assim.

      Daí, pergunto: qual deve ser o nosso parâmetro? O do anacronismo bacharelesco defendido por suas “excelências” os delegados ou a proposta modernizadora da PEC-51?

      Agora eu quero ver. Onde estão os “progressistas” do blog?

      • Quero ser General também

        “Gerontocracia”… bem, talvez essa afirmação seja proveniente de um jovem. Mas, observe que antigamente os MPs dos Estados, por exemplo, só poderiam escolher seu chefe (Procurador-Geral) entre os mais antigos da carreira, ou seja, os procuradores de justiça. Após muita luta, conseguiram aprovação de EMENDA CONSTITUCIONAL para que o Chefe possa ser escolhido entre todos os membros, desde que contassem com mais de 10 anos de carreira. Ora, ora… porque então 10 anos? Porque não 1 ano somente? Quem sabe 10 dias? A resposta é tão lógica que não se teria dúvidas, mas se as tivesse era só observar em um aeroporto se são os pilotos de cabelos brancos que pilotam os A380 e 747 acima do Oceano Atlântico ou se são os jovens saídos das academias. Agora, quando os delegados da PF regulamentam uma garantia semelhante para o bom funcionamento da instituição, aí os “concurseiros” são contra…

        Mas, se o cidadão não dá a mínima para quem é o Chefe da PF e se acha realmente que o cozinheiro pode chefiá-la, também não pode depois reclamar da Polícia! E esse discurso copiado da internet de que “o modelo do inquérito policial nao funciona” e que é “um anacronismo dos tempos do Império” não explica como as CPIs, por exemplo, fazem exatamente igual ao IP em suas investigações, nem como o MP e seu inquérito civil é tão ou mais burocrático que o IP! Ora, então como deve ser documentada a investigação? Não deve ter alguém impusionando-a? Se defendem a carreira única, quem ficará no final dela? Um delegado-com-outro-nome ou a instituição-agora-sem-chefe será dominada pelo membro/delegado-do-MP?

        Por outro lado, agora somente o delegado é um CONCURSEIRO… certo? E logicamente que os agentes (que já eram investigadores), peritos (que já faziam perícias) e cozinheiros (que já eram chefs) são provenientes da carreira única… dos concurseiros! A verdade é que, pela lei, que cada um faz o concurso que quiser. E os CONCURSEIROS que serão juízes, fiscais da fazenda, promotores, professores e cozinheiros também chefiarão suas equipes da mesma forma que na PF.

        Mas um aspecto da MP que também é muito benéfico para a instituição, a exemplo do MP e do Judiciário, e que a mídia não informa, é de que agora o concurso para o cargo de delegado de Polícia Federal exigirá a participação da Ordem dos Advogados do Brasil e também exigirá três anos de atividade jurídica ou policial. Esse é um avanço que só os cegos por salários de ministro não querem ver. Não vêem também que “antigamente”, quando CONCURSEIROS passavam para o cargo de juiz com 21 anos e passavam a chefiar funcionários com anos de casa, isso não havia problema…

        A carreira única é uma proposta que deve ser debatida, sim. Mas passa também pela desmilitarização, pelo regramento da participação do MP na fase investigatória e muitas outras questões. Mas se essa for a vontade do legislador, minha opinião é que que seja feita essa severa mudança constitucional em todo o sistema de acesso aos cargos públicos de Chefia e Direção, e não somente na Polícia. Resta indagar quem está por trás nessa vontade toda de “mudar” a Polícia.

        • Soldado?

          Prezado, talvez não tive a capacidade de entender o seu raciocínio na escrita do primeiro parágrafo ou você foi contraditório. Vamos as contradições:

          1. Apesar de ter a alcunha de soldado, aparentemente, você parece desconhecer as regras de ingresso nas forças armadas, no que tange a militares de carreira em seu primeiro post. Ou, propositadamente, as ocultou. Os oficiais e sargentos de carreira, das diferentes Armas, são ou da AMAN (4 anos de duração) e da EsSA (34 semana de duração), respectivamente. Ou seja, não há como comparar delegados da PF com oficiais das forças armadas e muito menos Agentes, Escrivães e Papiloscopistas com sargentos, pois, todas essas carreiras possuem o mesmo tempo de curso na ANP;

          2. Ainda sobre militares, após a conclusão do curso e antes de atingir o oficialato, pretendente passa por um período de estágio. Ele é apenas aspirante a oficial. Em outras palavras, para ser chefe de alguma coisa, ele ainda passará por um treinamento. Como deve saber, na PF, o recém saido na ANP, COMANDA – ou acredita que faz – equipes de inteligência, operacionais e investigações… E isso tudo após ter cursado apenas pouco mais de 3 meses de curso. Vale ressaltar que, se a estrutura do curso da ANP não o qualifica o Agente a se tornar um investigador, imagine a um delegado se tornar chefe de uma equipe;

          3. Em qualquer órgão público, no mesmo nível funcional, vale o lema: antiguidade é posto. É a lógica. Sempre foi e sempre será, tornando o seu argumento vazio. Longe de ser um critério justo quanto eficiência do serviço, obviamente, tem a boa intenção de valorizar a experiência;

          4. Ao contrário do que disse, os delegados da PF não estavam regulamentando uma garantia para o bom funcionamento da instituição. Os motivos são outros, como deve saber. Afinal, desde quando foi inaugurada a era dos Diretores Gerais civis, sempre o cargo foi ocupado por um delegado. E não vale falar do Romeu Tuma…

          5. O que funcionava na PF era o critério do “eu tenho nível superior” e “você tem nível médio”. Assim era justificada a hierarquia funcional. Quando falas que “um agente ou um perito” poderiam ser chefes, comete o erro de acreditar que um bacharel em direito é melhor qualificado para gerir uma empresa que um administrador. Ou que faria melhores balanços que um contador.  

  9. De um lado delegados, do

    De um lado delegados, do outro policiais como Bolsonaro Jr. Essa polícia federal tá de lascar. Mas todos tem que ser enquadrados, pois são todos policiais civis e devem ser eternamente subordinados ao Ministrlo da Justiça e à presidiência. 

  10. Corporativismo lamentável, antigo e perigoso para o Brasil

    Há anos, jantando com um amigo agente/delegado (sei lá, andava com a equipe para o Clinton / FHC) da PF, ele me contou (e eu repasso pelo mesmo preço) que em Guarulhos (aero), estava chegando ao fim o “mandato” de um determinado chefe e o que ficou co merdeiro, digo como herdeiro, estava ansioso para assumr, pois a boca é uuóótima!

    Aí, o antecessor ofereceu US$ 20 milhões ao sucessor para ficar mais um ou dois (não me lembro) aninhos no cargo. Apenas um atrasinho.

    O sucessor aceitou a postergação.

    Isto é, o “adiantamento”…

  11. Policia Federal

    Nassif sinceramente depois de lutar muito nas redes sociais defendendo este governo para não termos retrocessos e, agora vendo toda semana a falta de coragem deste governo, da Presidente Dilma, dos deputados e senadores do PT (silêncio irritante), quanto a chantagem e manipulação da mídia, Policia Federal, Ministério Público, etc todos aparelhados por oposicionistas e não acontece absolutamente nada. Esse “bundão” babaca do José Eduardo Cardoso (Justiça) que faz media com a oposição para ser Ministro do STF e não enfrenta esse delegados tucanos assumidos que descaradamente manipularam a operação Lava Jato(vide Estadão de hoje 13/11) e o Bernardo Cabral das Comunicações que tbem é marionete consciente das teles e boicota a telebras na expansão da rede de banda larga e sua universalização. Só tenho uma coisa dizer e o digo muito triste: CANSEI!!!

  12. A Dilma é a culpada disso

    pois quem manda ela manter um ministro traira na justiça? E parece que ela quer inidcar esse ministro para o stf. A Dilma está querendo um golpe contra ela e não vai demorar. Eu pensava que ela de fato fosse gerentona. Ela não é nem gerentona e muito menos política. Ela é incompetente mesmo. 

  13. APROVEITADORES E OPORTUNISTAS

    Enquanto a DILME estiver são só comandados dela o resto e falastrianismo de mediocres quenrendo minutos de fama, são os neo amigos do lobão, cadê o HILICÓPTERO com quase meia tonelada, sumiu, é melhor irem, trabalhar e depois reivindicar, lá no congresso só tem aliados da PF, tudo com Medo de serem apanhados, é a moeda de troca.

  14. ENTENDI DIREITO? A POLÍCIA FEDERAL ESTA CHANTAGEANDO O GOVERNO?

    Só faltava essa agora a POLÍCIA FEDERAL é que esta governado o país?  Uai DILMA, quem chatagea comete crime cadeia neles. O PT tem mêdo da GLOBO, agora tem também mêdo dos arapongas legais?

  15. COISA RUIM SE APROXIMA.

    Nassif, disse isso antes d’aquele mês de junho e ninguém deu ouvidos, Eu acho que não deixarão a DILMA voltar para o Brasil, Há uma conspiração em curso e com a mão do PMDB e elite de SP junto com grupos de mídia e extrema direita. O processo é todos sairem de perto enfraquecer a presidenta e detonar o golpe, e o PMDB assume com o avatar do Drácula. Espere e verá…COISA RUIM SE APROXIMA.. será que tem polícia no meio?

    • Coisa ruim se aproxima.

      Estou apreensiva tambem…Mas de certa forma e melhor que venha tudo que esta escondido a tona.No momeno estou orando pela nossa Presidenta, pq e so Deus.

  16. Humm…. para mim tem “gato nessa tuba”

    Fui direto no site da câmara e observei que, no dia 13/10/2014 O Ministério da Justiça enviou para a presidente Dilma a referida medida provisória que foi assinada eletronicamente por Mirian Aparecida Belchior e por José Eduardo Martins Cardoso (Ministro da Justiça) para que fosse analisada pela presidente para seu envio ao Congresso, sendo que na mesma data Dilma assinou e enviou. Bem, sabemos que em 13/10/2014, a presidente Dilma  estava em plena concentração para os 12 dias que faltavam para a eleição no segundo turno e, não duvido, que possa ter assinado tal medida sem realmente ter lido todas as suas implicações, pois ela recebeu a proposta do Ministério da Justiça e no mesmo dia encaminhou a mensagem para o Congresso, o que para mim fica claro que ela nem se debruçou sobre a questão e tenha assinado como um despacho normal. A mensagem foi lida no plenário da Câmara, no dia 31/10/2014, após as eleições e sua redação final foi feita  feita pelo deputado tucano João Campos do PSDB de Goiás.

     

    Vejam que o referido deputado do PSDB, João Campos, que deu a redação final desta MP foi o autor do projeto denominado de “Cura Gay” (PDC 234/2011), é autor da PEC 471 que pretende manter os donos de cartórios em seu posto, sem concurso público e ainda votou a favor da PEC que retirava poderes do MP para fazer investigações.

    Ou seja, essa medida provisório é, na verdade de autoria do Ministério da Justiça (nem preciso dizer quem é o Ministro da Justiça não é?).

    A redação final da Medida foi do deputado federal tucano, conforme citei acima e ainda que ele é da ala do Malafaia e do Feliciano até o talo…

    E agora vem a público que os policiais da operação lava jato faziam campanha anti-dilma, o que pode anular todo procedimento, por vício de prova.

    Então, acho melhor o pessoal parar com o “fogo amigo”, que tem muita coisa estranha por trás disso tudo.

  17. Como diz o Lula, com sua

    Como diz o Lula, com sua admiravel capacidade de comunicação: é só não roubar ou não deixar roubar. 

  18. MPF apóia policiais do Aécio -fizeram apenas”gracejos” – em nota
      Operação Lava Jato: Membros da força-tarefa do Ministério Público Federal manifestam apoio a delegados, agentes e peritos da PF Os Procuradores da República membros da Força-Tarefa do Ministério Público Federal, diante do teor da reportagem “Delegados da Lava Jato exaltam Aécio e atacam PT na rede”, publicada pelo jornal “O Estado de São Paulo” nesta data, vem reiterar a confiança e o apoio aos delegados, agentes e peritos da Polícia Federal que trabalham nessa operação. Em nosso país, expressar opinião privada, mesmo que em forma de gracejos, sobre assuntos políticos é constitucionalmente permitida, em nada afetando o conteúdo e a lisura dos procedimentos processuais em andamento.  A exploração pública desses comentários carece de qualquer sentido, pois o objetivo de todos os envolvidos nessa operação é apenas o interesse público da persecução penal e o interesse em ver reparado o dano causado ao patrimônio nacional, independentemente de qualquer coloração político-partidária. (13/11/2014) Assessoria de Comunicação – AscomProcuradoria da República no Estado do Paraná Atendimento à imprensaFones: 41. 3219-8843/ 3219-8870/ 8852-7555E-mail: prpr-ascom@prpr.mpf.gov.brSite: http://www.prpr.mpf.mp.brTwitter: http://www.twitter.com/MPF_PRPR Atendimento ao cidadãoFones: 41. 3219-8700 http://www.prpr.mpf.gov.br/news/operacao-lava-jato-membros-da-forca-tarefa-do-ministerio-publico-federal-manifestam-apoio-a-delegados-agentes-e-peritos-da-pf

  19. Ajoelhou…Tem que REZAR!!!!!!!!!!!

    Bom, se meros delegados da policia federal conseguiram fazer o fundo da calça do governo Rousseff aparecer, imagine-se o tamanho do ‘mar de lama” em que esse pessoal tá metido!!!!!!! É ESTARRECEDOR….

    Olha, qualquer criança sabe: “QUEM NÃO DEVE NÃO TEME”. Simples assim….

  20.  
    Mas o MPF também tem se

     

    Mas o MPF também tem se omitido da sua função institucional de Órgão de Controle da Polícia Federal. 

  21. TUDO COMO DANTES NA TERRA DE ABRANTES, SERA QUE O PT “GALINHOU”

    Será que depois de passarmos nas ruas defendento a DILMA todo tipo de humilhação, persegição e hostilidades o PT vai como no popular “GALINHAR NOVAMENTE”. Ai é querer demais de nós. Minaram o campo com ajuda de petistas traíras agora sabemos quem estava sabotando o governo, é só botar tudo para fora, o povo lhe garante DILMA, faz um bota fora de traíras, as peixarias do Brasil lhe agradecerá. Da até para comer na semana santa do ano que vem é só congelar.

  22. Delegados vazam o querem para

    Delegados vazam o querem para a imprensa material contra o PT e ninguem diz nada, principalmente essa mumia do MJ, mas quando o delegado protogenes vazou material contra o psdb, o resultado foi a condenação e cassação do mandato…

    Sinceramente, que mundo é esse….

  23. Delegados vazam o querem para

    Delegados vazam o querem para a imprensa material contra o PT e ninguem diz nada, principalmente essa mumia do MJ, mas quando o delegado protogenes vazou material contra o psdb, o resultado foi a condenação e cassação do mandato…

    Sinceramente, que mundo é esse….

    Isso só acontece por que o PT e o governo não entram com uma ação judicial contra esses delegados. Mas o psdb entrou contra protogenese e ganhou…

    Os deputados do pt não passam um bando de bundas moles….

     

  24. Fatos graves. Dever do cidadão informar à PF e ao MPF

    Frustração.  Leviandade. Mentiras.

    condiderando que os comentaristas afirmaram que a  MP 657 é fruto de chantagem.  Sugiro a esse conceituado  jornalista que encaminhe todas as  “denúncias”  ao  MPF, com a iindicação  dos. “Noticisntes”, para apuração rigorosa 

  25. A verdade sempre aparece, apesar dos levianos de sempre
    Procuradores saem em defesa de delegados da Lava Jato: Por meio de nota, membros da força-tarefa do Ministério Público Federal responsável pelas ações da operação afirmam que a opinião dos policiais não afeta a investigação 13.11.2014 | 15:32inShare   Mateus Coutinho – O Estado de S. PauloOs Procuradores da República da força-tarefa do Ministério Público Federal que atua nas ações da Operação Lava Jato divulgaram nota nesta quinta-feira, 13, em defesa aos delegados da Polícia Federal envolvidos na operação e que postaram nas redes sociais mensagens de apoio ao candidato do PSDB, Aécio Neves e críticas à Dilma, Lula e ao PT, durante o período eleitoral. “Em nosso país, expressar opinião privada, mesmo que em forma de gracejos, sobre assuntos políticos é constitucionalmente permitida, em nada afetando o conteúdo e a lisura dos procedimentos processuais em andamento.”, afirma a nota do MPF. A força-tarefa é composta de cerca de seis procuradores federais que acompanham as 12 ações penais decorrentes da Lava Jato na Justiça Federal do Paraná, além dos inquéritos que surgiram com a operação. O caso veio à tona na reportagem do Estado desta quinta que mostrou que os delegados compartilharam em seus perfis no Facebook propaganda eleitoral do então candidato tucano que reproduzia reportagens com o conteúdo da delação premiada do doleiro Alberto Youssef. Neste depoimento, o doleiro mencionou que Dilma e Lula teriam conhecimento do esquema de desvios – o teor desses depoimentos está sob segredo de Justiça. Os policiais ajudaram ainda a divulgar notícias sobre o depoimento à Justiça Federal de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, no qual disse que o PT recebia 3% do valor de contratos superfaturados da estatal. “A exploração pública desses comentários carece de qualquer sentido, pois o objetivo de todos os envolvidos nessa operação é apenas o interesse público da persecução penal e o interesse em ver reparado o dano causado ao patrimônio nacional, independentemente de qualquer coloração político-partidária.”, conclui o texto do MPF. Veja abaixo a íntegra da nota: “Os Procuradores da República membros da Força-Tarefa do Ministério Público Federal, diante do teor da reportagem “Delegados da Lava Jato exaltam Aécio e atacam PT na rede”, publicada pelo jornal “O Estado de São Paulo” nesta data, vem reiterar a confiança e o apoio aos delegados, agentes e peritos da Polícia Federal que trabalham nessa operação.Em nosso país, expressar opinião privada, mesmo que em forma de gracejos, sobre assuntos políticos é constitucionalmente permitida, em nada afetando o conteúdo e a lisura dos procedimentos processuais em andamento.

    • “Em nosso país, expressar

      “Em nosso país, expressar opinião privada, mesmo que em forma de gracejos, sobre assuntos políticos é constitucionalmente permitida, em nada afetando o conteúdo e a lisura dos procedimentos processuais em andamento”:

      Mentira.  Isso pode ate mesmo anular o processo inteirinho do comeco ao fim no caso da canalhada paranaense.  Qual eh a sua mesmo, cara?

      Nassif:  verificar se isso eh IP do Parana.

  26. TENDI!

    Agora entendi a delação seletiva, o apoio a Aécio Neves! A PF está corrompida! Está tendo atitudes seletivas e arbitrárias em prol de seus interesses! Assim com a mídia nefasta por medo se sua regulação! E o desesperos dos políticos e empresários pela reforma política! É Dilma contra todos! Força minha querida! Vamos acabar com as farras! Coragem que ninguém nunca teve! FIRME!

  27. A partir dessa MP a PF tem se

    A partir dessa MP a PF tem se declarado partidarista, manchando sua farda, e se diminuindo perante todos que sempre a tiveram na cota de uma polícia sem mácula. Agora, além de personagens do STF, temos também PF, aliados ao PIG, e, por seu turno, íntimos dos tucanos. Cada vez mais fica difícil para Dilma governar este país, e é exatamente o que deseja essa oposição.

    Teremos o grande desprazer de assistirmos as coberturas televisivas nos dia 15 próximo com a enxurrada de pessoas se manifestando nas ruas do Brasil, tudo bem programado para impulsionar o Impeachment da Presidente. É uma loucura o que estamso vendo no mundo político brasileiro. Falta de bom senso, de amor ao Brasil, porque tal impasse acarretará mais retorcessos aos nosso desenvolvimento. 

  28. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome